O Urso – Claire Cameron

O Urso é um thriller psicológico narrado na voz de uma pequena garotinha em busca de esperança. Escrito por Claire Cameron, o livro foi trazido ao Brasil pela editora Bertrand Brasil em 2018.

SOBRE O LIVRO

Esta é a história dos Whyte, uma pequena família composta pelos pais e duas crianças: Anna, de cinco anos e Alex (ou o grude) um bebê de dois anos que saem para acampar em um parque florestal. 

Tudo corria bem até que a pequena garotinha acorda ao som dos gritos de seus pais… O acampamento está sendo atacado por um enorme urso negro. Escondidos em um recipiente térmico as crianças não veem a hora dos gritos cessarem e de poderem sair para irem de encontro aos pais, no entanto, não é o que irá acontecer.

“Há uma terra dos vivos e uma terra dos mortos, e a ponte é o amor, a única relíquia, o único significado.”

Após conseguirem despistar o urso e saírem de seu esconderijo eles irão travar uma busca para encontrar os pais e, depois de muita procura, acabam por encontrar a mãe gravemente ferida. Ela pede a filha que pegue seu irmão e fuja com ele na canoa da família e esperem pelos pais em um local seguro. Mas, ao fazerem isso elas se verão completamente perdidas na floresta e sua única esperança é baseada no amor de Anna pela família, enquanto tenta se manter forte quando tudo parece apenas piorar. 


MINHA OPINIÃO

Antes de iniciarmos a leitura desta história temos uma nota da autora que nos conta que o livro foi inspirado na história de um casal que sofreu um ataque de urso enquanto acampavam na Ilha Bates, no Lago Opeongo, em Toronto. Existem alguns documentos sobre o fato que estão disponíveis na internet caso os leitores se interessem em dar uma olhada, no entanto, aconselho que tanto a nota quanto os artigos serão melhor aproveitados se lidos após o término da leitura do livro.

Falando agora sobre a obra em si, preciso dizer que infelizmente não foi para mim. Apesar de ser catalogada como thriller psicológico, não há nenhum suspense ao longo das duzentas e cinquenta e três páginas escritas pela autora, já que nas primeiras cinquenta páginas já sabemos o que de fato aconteceu. Talvez eu tenha ido com expectativas exageradas ao acreditar que seriam criados fatos novos e reviravoltas ao longo da narrativa, mas o que ocorrem são divagações da protagonista que remetem a acontecimentos passados que pouco ou nada tem a ver com aqueles do presente, o que me fez ter a sensação de que o tempo estava sendo perdido enquanto algo interessante poderia estar acontecendo.

É importante dizer que fica claro que a tentativa aqui era mostrar como a mente de uma criança lida com realidades difíceis, criando fugas e muitas vezes procurando acreditar no impossível. Mas ao contrário do que acontece na maioria dos livros narrados por crianças, é que aqui isso tornou a leitura ainda mais arrastada.

“Eu abro os olhos e sonho que fui enlatada feito um peixinho. É um sonho, mas consigo enxergar.”

Um ponto interessante e que talvez seja o que mais tirei do livro, é o amadurecimento da pequena protagonista. Apesar de não ter conseguido sentir empatia ou me conectar com ela, é nítido o quanto ela deixa de apenas sentir ciúmes do irmão e de se sentir injustiçada por ter que ser sua babá, e passa a tentar sobreviver. Mais do que isso, a cuidar para que ele também viva  bem na medida do possível.

Outro ponto que para mim pareceu mais como uma ponta solta foi o fato de que por diversas vezes a menina diz frases como: “o papai vai embora de novo se ficar zangado por eu não ser boa” ou algo como eles terem ido viajar sozinhos porque papai foi embora de novo… O que o leitor pode esperar disto é que a autora irá nos dizer algo chave sobre o relacionamento dos pais e a convivência desta família no dia a dia, no entanto, não é o que acontece.

De uma forma geral posso dizer que infelizmente não consegui me conectar com os personagens ou com sua história, e que em minha opinião isso se deve ao pouco que foi dedicado ao desenvolvimento de suas personalidades e convívio. É claro que não significa que este seja um livro de todo ruim, e provavelmente algumas (até muitas) pessoas irão gostar dele, mas para mim, não funcionou.

O URSO

Autor: Claire Cameron

Editora: Bertrand Brasil

Ano de publicação: 2018

Narrada na voz inocente de uma criança, uma história de amor, de perda e dos instintos que permitem a nossa sobrevivência.Enquanto acampava com a família em um parque florestal, Anna, de 5 anos, acorda ao som de gritos. Um urso-negro selvagem está atacando o acampamento — e seus pais são a presa.Escondendo-se na caixa térmica com seu irmãozinho recém-saído das fraldas, eles conseguem evitar a atenção do urso e sobreviver.Sua mãe, gravemente ferida, implora às crianças que embarquem na canoa da família e remem para longe. Mas, assim que escapam, os irmãos se veem sozinhos e perdidos na floresta, tendo de enfrentar a fome e as forças da natureza. A única esperança reside no amor desmensurado que Anna nutre por sua família enquanto se esforça para manter a coragem quando mais nada no mundo parece seguro.

É resenhista do Resenhando Sonhos.
Estudante de Direito, 20 anos, mineira, mora em Belo Horizonte e ama o universo literário.