fbpx

Obsidiana – Jennifer L. Armentrout

Obsidiana, de Jennifer L. Armentrout é o primeiro livro da Saga Lux, publicado no Brasil pela Editora Valentina em 2015.

20170311_140927

Sobre o livro

Kat, uma garota apaixonada por livros e dona do Blog “Katty’s Krazy Obsession”, acaba de se mudar para uma pequena cidade do interior e precisa lidar com a mudança. Isso foi ideia de sua mãe, que agora passa boa parte do tempo trabalhando, numa tentativa final de seguir a vida após a morte do marido, anos antes. Determinada a ser mais presente na vida de Katy, sua mãe aconselha a filha a fazer novos amigos antes das aulas começarem, e diz como quem não quer nada, que na casa ao lado tem dois adolescentes mais ou menos da sua idade.

“Começar de novo é um saco”.

Ao se mudar para o interior, Katy já vinha se preparando para o sotaque caipira, o tédio, e um monte de chatices. Mas ela promete a mãe que vai fazer um esforço para se enturmar. Só que ela não esperava se deparar com um vizinho que mais parecia um deus grego, mas que, quando ele abre a boca, descobre que ele é um completo babaca. Daemon não mede esforços para ser desagradável e Kat não entende a aversão que ele sente por ela, nem o motivo dele não aprovar sua amizade com Dee.

Quando coisas estranhas começam acontecer, Kat desconfia que seus vizinhos não sejam adolescentes normais, e após um incidente, o segredo  é revelado. Daemon e Dee são aliens, mais precisamente são Luxen, seres de luz que possuem poderes especiais que vieram de um planeta muito distante e agora tentam viver de forma discreta na Terra, para não chamar a atenção de seus inimigos.

Porém, a exposição de Daemon o coloca no radar dos Arums, seres de trevas, que visam destruir todos os Luxen, e podem enxergar a marca que o poder desses aliens deixa nos humanos, para então os caçarem. Kat então tem que ficar perto de Daemon, até que sua marca desapareça, e tentar não ser morta pelos os Arums ou matar o garoto ao longo do caminho.


Minha opinião

Estava completa e totalmente animada para ler Obsidiana. Eu já tinha escutado vários comentários elogiando esse livro e sempre fiquei curiosa em relação a sua história. Mas como se tratava de uma história que envolvia alienígenas, fiquei meio receosa (não tive uma boa experiência com A Hospedeira) de ser algo muito viajante e sem nexo. Mas eu estava extremamente errada e a leitura foi muito gostosa.

Katy é uma personagem querida e na dela. E algo que pra mim foi ótimo pra me relacionar foi o fato de ela também curtir livros e ter um blog literário onde conta suas experiências. O que achei engraçado, entretanto, é o fato de que não aparece ela lendo em momento algum.

O personagem mais conflitante do livro é Daemon. Ele é instável e misterioso, tem uma aura de segredo e consegue ser daquele jeito arrogante. Não tem nada a ver com ser um alien, isso até vai, mas a vibe do personagem é aquele em que é difícil definir como nos sentimos, porque ele balança para os dois lados: do apaixonante ao detestável, já que sedutor fica fácil de definir né.

” Que diabos  tinha de errado com ele? Pensei que as pessoas eram mais legais nas cidades menores, e não que agissem como filhos do capeta. “

20170311_141205

O legal sobre o livro é o quanto ele consegue ser divertido. Por mais que o foco não seja esse, a interação dos personagens proporciona ótimos momentos. Vamos aos poucos descobrindo o papel de cada um e novos vão surgindo para complementar.

Mas, puxando pro lado mais sério da história tempos o DOD, Departamento de Defesa, que está ciente da presença dos alienígenas e os está monitorando. O objetivo é manter tudo sobre controle e impedir que a situação venha a toma, ou que esses seres façam algo indevido. Os humanos, óbvio, não devem saber de nada.

Temos a narração de Katy no livro e ela tem apenas 17 anos, o que reflete na forma como somos conduzidos pela história. Entramos em sua cabeça e compartilhamos suas inseguranças e várias situações super engraçadas que surgem de seus pensamentos sobre Daemon e outros tópicos também.

Apesar das comparações com Crepúsculo, a autora conseguiu colocar sua marca na história. Há um interessante desenvolvimento de personagens, eles se conhecem, mas não caem de amores logo de cara, há uma tensão no ar que instiga ainda mais o leitor a seguir lendo. Há ação e ficamos querendo descobrir mais sobre os poderes e o que mais esses seres podem fazer.

“Sempre achei que as pessoas mais bonitas, bonitas de verdade, por dentro e por fora, são aquelas que não têm noção do efeito que causam.”

20170311_141020

Esse primeiro volume trás a introdução ao mundo e um começo de desenvolvimento. Sendo uma série grande, certamente há muito mais nos próximos quatro livros para ser trabalhado e a autora pode fazer muita coisa com essa história. Mesmo assim aqui já encontramos algumas respostas que servem para tornar esse ambiente mais verídico e dar credibilidade à trama.

A editora fez um belo trabalho com a edição do livro e a capa segue o padrão internacional, ter Daemon estampado ali ajuda a dar mais vida ao personagem. Acredito que para leitores que curtam o sobrenatural inserido no mundo contemporâneo e querem um livro leve e divertido, Obsidiana é uma boa pedida.

OBSIDIANA_

45estrelasb

OBSIDIANA

Autor:  Jennifer L. Armentrout

Editora: Valentina

Ano de publicação: 2015

Começar de novo é uma porcaria. Quando nos mudamos para West Virginia antes do último ano de curso, eu tinha me resignado ao sotaque engraçado, ter conexão de internet ruim e me cansar da vida monótona como uma ostra… Até que eu vi meu vizinho sexy, tão alto e com esses impressionantes olhos verdes. As coisas pareciam estar melhorando. E então ele abriu a boca. Daemon é insuportável e arrogante. Nós não nos damos bem. Nada, nada bem mesmo. Mas quando um estranho me atacou e Daemon congelou o tempo, literalmente, com um movimento de sua mão… Bem, algo aconteceu… Inesperado. O sexy alienígena que vive do outro lado da rua. Sim, você ouviu direito. Alien. Acontece que Daemon e sua irmã têm uma galáxia cheia de inimigos que querem roubar suas habilidades, e o toque de Daemon fez com que eu parecesse um daqueles sinais luminosos em Las Vegas. A única maneira de sair dessa viva é ficar colada a Daemon até que minha “luz” extraterrestre se apague. Isso se eu não matar a Daemon antes, clar

É colaboradora do Resenhado sonhos
Carioca, escorpiana e futura contadora.
Amante de séries e livros, que nunca consegue ler ou assistir o suficiente.