Os Quatro Cavaleiros – Veronica Rossi

Os Quatro Cavaleiros é o primeiro livro da série Riders, da autora Veronica Rossi. O lançamento é de 2017 pela Galera Record.

Sobre o livro

Gideon Blake resolveu sublimar toda a raiva e tensão que sentia após uma tragédia familiar ao se juntar ao exército. Um líder nato, o rapaz forte, audacioso e estratégico rapidamente se torna um Ranger promissor até que, durante um salto, seu paraquedas falha. Duas vezes. A queda é brutal e após acordar em um hospital, se recuperando mais rápido do que é humanamente possível de todas as fraturas e lesões, ele descobre que morreu de verdade. Mas voltou à vida para desempenhar um papel de extrema importância para toda a humanidade: ele agora é Guerra, um dos quatro cavaleiros do apocalipse.

“- Você quer saber o motivo disso tudo? Eu digo para você. O mal em pessoa está à solta. Corremos perigo… e não estou falando dos cidadãos norte-americanos. Estou falando da humanidade. Estou falando de todo mundo.”

Acontece que não basta descobrir, no meio de uma festa e através de uma garota muito bonita chamada Daryn, que você faz parte de uma equipe responsável por salvar o mundo das mãos maquiavélicas da Ordem – um exercito de demônios piores que Lúcifer e que querem dominar a coisa toda. Gideon precisa lidar com essa nova realidade enquanto busca maneiras de conhecer e reunir os outros cavaleiros: Fome, Morte e Peste; para juntos protegerem um objeto capaz de dar aos demônios o poder que eles buscam.

Claro que além disso eles precisam aprender a trabalhar em equipe, a reconhecer suas virtudes e fraquezas, a compreender o uso de suas habilidades enquanto cavaleiros e como se faz para montar um cavalo com poderes mágicos.


Minha Opinião

De acordo com o apóstolo João, no livro do Apocalipse, quatro cavaleiros surgiriam para representar o fim dos tempos. Esses cavaleiros podem ser vistos também em diversas obras literárias ou até mesmo na TV – Supernatural e Sleep Hollow que o digam. Entretanto é a primeira vez que eu, particularmente, vejo essas figuras míticas representadas por jovens rapazes que se descobriram Guerra, Fome, Morte e Peste após morrerem por alguns minutos. Por conta disso a premissa chamou minha atenção, e confesso que comecei a leitura cheia de expectativas.

A narrativa inicia com Gideon, vulgo Guerra, preso em cativeiro. Isso deixa claro para o leitor que algo deu muito errado, e é a partir dessa perspectiva que a história é contada: o jovem narra para uma mulher (policial? agente secreta? o inimigo? uma aliada?) todos os acontecimentos que o levaram até ali, naquela sala desconhecida e quente, com pessoas estranhas, algemado e com o rosto coberto por um capuz que cheira a vômito. Ele fala, mesmo sem querer, sobre o que o motivou a tornar-se um ranger, como se descobriu um Cavaleiro, todas as desventuras até que seu grupo estivesse todo reunido.

“Nossa única chance era agir em conjunto. Mas aquele time (um ator, um bêbado e um sociopata) não inspirava muita confiança. Ainda assim. Eu tinha que achar um jeito de trabalhar com eles”

As desventuras foram muitas, aliás. Isso porque nenhum dos garotos sabia exatamente o que estava acontecendo, pois a única pessoa com informações acerca de tudo era Daryn, a ‘chefa’, e ela tinha seus motivos para revelar sempre o mínimo possível. Por conta disso, nada nessa história é facilitado para Guerra: ele precisa aceitar que a Fome é um garoto que não gosta de lutar, que a Morte é um cara meio maluco e com tendências homicidas, e que a Peste é um riquinho aparentemente sem muito o que oferecer. E no meio de tudo isso tem Daryn, a observadora, a figura que enxerga o próximo passo com antecedência, a cola necessária para manter a equipe unida, a paixonite do Cavaleiro do cavalo de fogo.

É, confesso que minhas expectativas começaram a decair quando percebi a importância que o romance passou a ter na história. Claro que a relação fraterna entre os rapazes, a descoberta dos poderes, a necessidade de se fortalecer enquanto homens e cavaleiros ao mesmo tempo em que estreitavam o laço com seus cavalos foi interessante de acompanhar, e teve sim seu impacto positivo na trama. Mas se aliarmos o romance forçado à previsibilidade da história, temos aqui uma trama fraca, mas que cumpre seu papel de introduzir satisfatoriamente o leitor nesta série.

A narrativa em primeira pessoa nos permite observar apenas o ponto de vista de Guerra, seus desejos, dores e anseios; de modo que o leitor perde a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre os outros personagens de maneira mais imparcial. Claro que é interessante ver como o protagonista a priori encara os outros rapazes, a garota e a si mesmo, e como essas percepções vão se modificando com o passar das páginas; é também atraente ir descobrindo mais sobre a Ordem, suas motivações, o que cada membro representa e o que podemos esperar de cada integrante, tudo isso levando em consideração somente as vivências do próprio Gideon – as boas e as ruins.

Este livro utiliza praticamente todas as características que encontramos na história dos cavaleiros, as particularidades de cada um – tipo de arma que usam, suas habilidades, a cor dos cavalos e por aí vai – e acerta ao transformar uma história pesada e cheia de misticismo em uma narrativa mais leve, irônica e divertida, capaz de prender o leitor e fazê-lo rir ao mesmo tempo em que o ensina sobre o poder da união e da amizade.  S

e você busca uma série para começar, que tenha elementos fantásticos e sobrenaturais, com um plot twist capaz de apertar o coração, esta pode ser uma boa pedida. E digo isso porque, no fim das contas e embora minhas expectativas não tenham sido completamente atendidas, a leitura foi agradável e me vi presa às páginas. O que me deixou ainda mais satisfeita foi saber que o segundo livro da série, ainda sem data de publicação por aqui, será narrado por um personagem diferente: Seeker vai mostrar o ponto de vista de Daryn, e talvez desta forma algumas lacunas venham a ser finalmente preenchidas.

OS QUATRO CAVALEIROS

Autor: Veronica Rossi

Editora: Galera Record

Ano de publicação: 2017

O que você faria se descobrisse que se tornou um dos Cavaleiros do Apocalipse? Da mesma autora da Trilogia Never Sky. Nada além da morte pode impedir Gideon Blake de conquistar seu objetivo de se tornar um soldado americano. Bem, o problema é que ele morreu. Por algum tempo. Enquanto se recupera do acidente que deveria ter sido fatal, Gideon nota que seus ferimentos estão cicatrizando muito rapidamente. É um milagre. Se você considerar um milagre o fato de se tornar um dos quatro cavaleiros do Apocalipse. Gideon é Guerra. E ele precisa se unir aos outros cavaleiros, Fome, Morte e Peste, para, juntos, proteger uma chave que a Ordem quer ter em mãos para abrir as portas de um reino infernal na Terra, ameaçando escravizar todos os humanos.

Uma leitora frenética e inquieta, apaixonada por histórias fantásticas e com uma tendência a se deliciar com romances água com açúcar. Viciada em fotografias e gatos, é uma apreciadora das pequenas coisas e costuma ver beleza até onde não há.