Os Três – Sarah Lotz

Os Três é da autora Sarah Lotz e foi lançado em 2014 pela editora Arqueiro.

IMG_20160815_134834992_HDR

Sobre o livro

Os Três é uma trama cheia de mistérios. Contrariando o acaso, 4 aviões caem em diferentes continentes fazendo centenas de vítimas, mas com uma peculiaridade: três crianças sobrevivem em diferentes locais. Um menino que passa a ser criado pelos seus avós, uma menina que tinha uma irmã gêmea que não sobreviveu e é acolhida pelo tio, e outro menino que vai morar com o seu pai depois que a mãe morre no terrível acidente. Este último estava no mesmo avião que Pâmela May Donald, uma americana que resistiu algumas horas após a queda e que deixou uma mensagem no celular antes de morrer, ela era destinada ao seu amigo pastor e falava para tomarem cuidado com o menino e que tinham muitos mortos andando por lá.

Toda essa história é narrada através de relatos, seja em conversas no Skype, entrevistas ou até fragmentos de um site na internet. Todos eles são direcionados a uma repórter que está reunindo todas essas evidências para escrever o seu livro. Após as crianças voltarem para a rotina, os parentes começam a notar que eventos estranhos passaram a acontecer. Seja a repentina melhora de um senhor em estágio avançado de esquizofrenia, seja uma menina inabalável pela perda de toda a família e que passa a proferir frases perturbadoras ou de um garotinho que só se comunica através de um robô.

“Eles estão aqui. Eu… Não deixe a Snookie comer chocolate, é veneno para os cachorros, ela vai implorar a você… O menino. O menino, vigiem o menino, vigiem as pessoas mortas, ah, meu Deus, elas são tantas… Estão vindo me pegar agora. Vamos todos embora logo. Todos nós. Tchau, Joanie , adorei a bolsa, tchau, Joanie, pastor Len, avise a eles que o menino, não é para ele…”

A partir daí, as especulações passam a girar em torno dessas crianças. O que seriam elas? Será que alguém tomou os seus corpos? Uma entidade? Alienígenas? É aí que entra o pastor que recebeu a mensagem de Pâmela, ele está convencido de que as crianças são Os Cavaleiros do Apocalipse e que o mundo está prestes a presenciar o seu fim. Nisso os seguidores desse pastor partem em busca da quarta criança, que eles acreditam existir, mas que as autoridades não confirmam.  A cada novo fragmento que é unificado ao texto, as dúvidas aumentam e quando achamos que estamos desvendando aquele mistério, percebemos que ainda existem muitos outros aguardando respostas.


Minha opinião

Esse é um livro com uma grande dose de terror e mistério, confesso que dormi com as luzes acesas nos primeiros capítulos, mas o final me decepcionou muito. Nunca li algo parecido, tanto pela história que é bem peculiar, quanto pela forma que o texto é apresentando, com esses relatos como se fossem as anotações da repórter, pois não conhecemos o teor do que realmente existe no livro que ela escreveu.

A autora usou diversos argumentos para elaborar a sua história, achei genial a forma com que ele apresentou as evidências que apontavam para o fato das crianças serem os próprios cavaleiros, usando as cores dos aviões para identificar as cores que estão presentes na Bíblia e que correspondem a cada cavaleiro, além de toda a jogada feita com a religião. Observei até uma leve crítica a esses religiosos fanáticos, tudo muito sutil, mas que mesmo assim pode ser percebido pela forma que ela os apresenta.

Um ponto que achei atormentador foram as gravações do tio da menina. Nesse momento comecei a questionar a sanidade dele e dela,  pois o emaranhado de dúvidas apenas aumentava e eu não conseguia achar uma explicação para tudo que estava acontecendo. Nesse momento eu já tinha formulado diversas teorias sobre o que poderiam ser essas crianças, se ainda eram elas ou se tudo não passava de um surto dos seus responsáveis, algo ligado ao trauma de perder seus parentes e todo o caos gerado com esse evento, mas essas teorias foram por terra.

“Acordei de repente e senti que havia alguém sentado na beira da cama – o colchão estava um pouco afundado, como se houve um peso em cima. Sentei-me e senti um pavor gigantesco. Acho que soube instintivamente que, quem quer que fosse, era pesado demais para ser a Jess.”

IMG_20160815_134929075

A capa nos traz “spoilers” obre a história, quatro listras sendo que apenas uma não está em vermelho. Seria uma referência a quarta criança que está desaparecida. A diagramação varia, tanto nas fonte, quanto na formatação e uso de itálico e negrito. Todo esse contraste é atrativo aos olhos e nos faz querer ler mais, por isso o livro é de uma leitura muito rápida e fluída. A lateral das folhas é toda em preto e deu um toque todo especial aos eventos sombrios que existem no livro.

Infelizmente o final é decepcionante e nos deixa sem respostas. Na metade do livro toda a história muda e começa a declinar até beirar uma insanidade total. Não sei se eu não entendi o final, mas todas as pessoas que leram e conversaram comigo, afirmaram que também não entenderam o que a autora quis passar. Se o final é realmente o que ela apresenta ou se é pra tudo realmente ficar no ar. Enfim, esse era um livro que tinha tudo para ser maravilhoso, inclusive um dos melhores da atualidade, mas o final é muito ruim, pois não apresentou uma conclusão e nem deu pistas para deixar no ar alguma explicação, além de durante a narrativa deixar muitas lacunas.

Se você gosta de mistérios e narrativas com propostas incomuns, Os Três pode ser uma opção, mas vá sabendo que não haverá muita coerência nas poucas explicações que vem com o final. Da mesma autora também foi publicado O Quarto Dia, que tem a proposta bem parecida e inclusive usa elementos desse livro, mas ambos podem ser lidos de forma individual.

thumb_livro

4estrelasb

OS TRÊS

Autor: Sara Lotz

Editora: Arqueiro

Ano de publicação: 2014

Quinta-Feira Negra. O dia que nunca será esquecido. O dia em que quatro aviões caem, quase no mesmo instante, em quatro pontos diferentes do mundo. Há apenas quatro sobreviventes. Três são crianças. Elas emergem dos destroços aparentemente ilesas, mas sofreram uma transformação. A quarta pessoa é Pamela May Donald, que só vive tempo suficiente para deixar um alerta em seu celular: Eles estão aqui. O menino. O menino, vigiem o menino, vigiem as pessoas mortas, ah, meu Deus, elas são tantas… Estão vindo me pegar agora. Vamos todos embora logo. Todos nós. Pastor Len, avise a eles que o menino, não é para ele… Essa mensagem irá mudar completamente o mundo.

É colaboradora do Resenhando Sonhos.
Natural de São Sepé, atualmente morando em Santa Maria.
Formada em Gestão da TI pela URCAMP e cursando Produção Editorial na UFSM.
Apaixonada por livros, Johnny Cash e cachorros.