Projeto Expresso Hogwarts – Lendo Harry Potter #1

01_IMG_20170318_155919

Olá leitores(as), venho contar para vocês hoje como está sendo minha experiência de leitura de Harry Potter. Ano passado, após muitas leituras, decidi que estava na hora de conhecer a célebre obra escrita por J. K. Rowling, atualmente um dos nomes mais conhecidos do mundo da literatura. Eu já vi todos os filmes da série diversas vezes, mas nunca li os livros, nem mesmos os contos adicionais. Por fim, em novembro surgiu uma boa promoção e consegui comprar o box completo.

Eu gostei bastante das adaptações e sempre que estou entediado ou sem ideia do que assistir, não hesito em escolher algum filme do bruxinho. Acho super bacana o mundo criado pela autora, a forma como ela explorou a magia e também as virtudes e ensinamos que podemos obter com a saga. Diante disso, acreditei que teria uma experiência muito boa também lendo os livros, pois como possuem mais detalhes, iriam enriquecer ainda mais o meu carinho pela obra. A Tami já contou por aqui e pelo canal como foi a experiência dela (link do post) e agora chegou a minha vez de compartilhar a experiência, já que ambas são bem distintas.

“Não vale apena mergulhar nos sonhos e esquecer de viver.”

Como a história já é bem conhecida, vou me limitar a dar considerações gerais sobre os três primeiros livros que li. Em Harry Potter e a Pedra Filosofal, a história é bem infantil, no bom sentido, e então foi super tranquila a leitura, no sentido de trama e complexidade. Gostei bastante da apresentação dos personagens e a inclusão, pouco a pouco, do mundo mágico e de como ele funciona. Não demora muito para também criarmos empatia com Harry, já que sofrera por 12 anos e agora finalmente, ao descobrir que é bruxo, poderá ter um pouco de paz em sua vida. Por outro lado, de começo não gostei muito da Hermione, pois me pareceu muito mais antipática e exibicionista do que a retratação feita no filme. Apesar de ser um livro bem curto, acontece muita coisa, e fiquei admirado com a criatividade da autora em fazer de poucas páginas uma história tão grande em detalhes e contextos.

No segundo livro, a trama foi um pouco mais monótona, então gostei um pouco menos do que o anterior. Ao meu ver, demora muito para começar a se desenrolar a história e até pegar o gosto pela aventura, já havia passado da metade do livro. Mas a história não decepciona, e é concluída de uma forma muito agradável.  Por fim, o terceiro livro, que terminei agora no final de fevereiro, apresentou um leve amadurecimento, não só do enredo, mas também dos próprios personagens, suas atitudes e formas de pensar. Claro, é natural que isso tenha ocorrido, já que cada livro narra um ano dos personagens em Hogwarts. Mas também me refiro em relação ao tom da história. No primeiro parece uma história simples, da luta entre bem e o mal. Mas já neste terceiro, começa a desenvolver toda uma história maior que como sabemos vai ter seu ápice no sétimo e último livro. A narrativa deixa o seu lado “colorido” e começa a entrar em seu lado mais “preto e branco”, obscuro e sombrio.

“São as nossas escolhas, mais do que as nossas capacidades, que mostram quem realmente somos.”

02_IMG_20170318_155710

Mas, mesmo a história sendo bacana e evoluindo passo a passo, enfrentei alguns empecilhos durante a leitura que podem ter roubado um pouco do merecimento da escrita de J. K. Rowling. O primeiro fato é que, por já ter visto os filmes várias vezes, tem sido bem difícil não comparar as cenas do filme com o que acontece no livro, e às vezes, ficar um pouco frustrado pela demora da história do livro se desenrolar. Segundo, que tem sido uma leitura bem cansativa na maior parte das vezes. Atribuo isso devido ao tamanho da fonte, que está bem menor do que o normal, o que dá a impressão que leio bastante, mas sem sair do lugar. Outro pequeno fator é que em alguns momentos tenho a sensação de que autora se prende em descrições ou em detalhes que não são importantes e que atrasam o andamento da história. É como se algumas vezes a JK precisasse nos lembrar partes da trama para que o restante fizesse sentido, quando na verdade já entendemos o que ela quis dizer em determinado ponto.

Ainda que eu esteja com estes pequenos problemas, tenho seguido adiante na leitura da série. A cada livro a trama tem evoluído e se tornado mais complexa, e mesmo já conhecendo o final, quero saber de que forma a história toda aconteceu nos livros. E para quem não leu ainda, só digo que está perdendo tempo. Garanto que, seja você criança, jovem ou adulto, também irá gostar das aventuras do bruxinho mais famoso do mundo e torcer por ele em sua luta contra as forças das trevas.

Conta pra mim aqui em baixo nos comentários qual é a sua experiência com essa leitura, se já leu ou não, ou como foi a sua jornada com HP!

É colaborador do Resenhando Sonhos.
Catarinense, Publicitário formado pela UNOESC, apaixonado por sci-fi, distopias e suspense policial. Fã de Arquivo X e Supernatural, sonha um dia encontrar os aliens.
  • Lili Aragão

    Oi Reinaldo, essa é aquela história que realmente agrada todas as idades e apesar de não ter lido os livros, só visto os filmes, gosto muito dela e curti ler sobre essa tua opinião dos três primeiros livros. Pelo que li as adaptações são fiéis e até mais ágeis, como tem que ser né?. Já pensei em ler a série, mas acho que as histórias dos filmes estão muito frescas em minha mente e acho que isso seria um empecilho muito grande, pois a falta da surpresa iria me entediar ao invés de empolgar, a questão da letra que vc citou também não iria ajudar rs. Acho que no futuro talvez eu embarque num projeto assim de ler os livros como você, mas por enquanto vou ficar só acompanhando as resenhas ;)

    • Reinaldo José Nunes

      Oi Lili *-*
      Então, de fato não senti muita diferença entre os filmes e os livros, alguns detalhes foram cortados, mas não fizeram falta. Já do quarto livro, a leitura é bem mais extensa e tem muito mais informações do que há no filme, então só a partir do livro quatro que vi uma grande distância entre o filme e o livro (mas no fim das contas ambas histórias são boas hehe)

      Isso, quando puder e se sentir confortável, leia, é uma história bem gostosa (apesar dos empecilhos haha) *-*

  • Lucas Ribeiro

    Comecei a reler no começo do ano em inglês. A escrita da J.K é o que mais me cativa. A questão do filme vs livros, não é nem questão de detalhes, o filme destrói – amos os filmes de qualquer jeito – a dinâmica e expansividade do universo, tem muita coisa nos livros que não são meros detalhes. Em a pedra filosofal, penso eu que o Harry não tinha 12 anos não, Rei – intimidade à mil… Já sei, vou te apelidar de King, fechou? Reinaldo é muito grande – Enfim, a Hermione é daquele jeito mesmo, no primeiro livro, e foi o jeito chato dela que me aproximou da personagem. Sabe a parte do Trasgo, então, na mesmo hora, um pouco antes dos meninos se recordarem dela eu pensei – Cadê Hermione pra dar um sermão sobre como “Escolas seguras e bem preparadas não permitem que trasgos montanheses vaguem por seus corredores, onde, alunos potencialmente despreparados para enfrentar um Trasgo Montanhês vagando pelos corredores repletos de alunos despreparados para enfrentá-lo, estejam vagando” Daí os meninos pensaram nela e eu me senti o quarto membro do trio.
    O segundo livro é um dos meus favoritos e é o que vou reler, gosto justamente pelo modo mais arrastado, algo me diz que aprecio melhor a ESCRITA quando a narrativa não é inundada de velocidade e ação. E um dos motivos por gostar tanto da autora é a ESCRITA – não lembro, sinceramente de descrições desnecessárias, na maior parte do tempo acho que ela descreve é muito pouco – Do terceiro não tenho muitos comentários a traçar, quero reler antes de falar mais, no entanto lembro que Harry estava um bacaca, o mesmo tipo de babaca que todo mundo já foi um dia enquanto passava pelas variações e transições químicas e emocionais da vida, mas que no entanto todos relutamos em acreditar. O livro é muito bom, gosto muito do mistério do Lupin e do Sirius. Inveja branca da capacidade da JK de ter criado essa trama, podia ter sido eu, podia, mas não foi… Enfim…
    Eu assisti todos os filmes antes também, King, e talvez, talvez, seja uma das razões por eu ter gostado tanto dos livros e da ESCRITA- que é o que mais presto atenção quando leio, não me pergunte a razão, é apenas um fato da vida – As edições brasileiras são, perdoe jargão popular, mas são realmente uma merda, cagaram nelas mesmo, e me deixa triste ver o pessoal pagando um absurdo nessas edições 1/4 de boca da Rocco, quando, por equivalência, as edições estrangeiras são absurdamente melhores em qualidade e mais baratas em preço… E, nessa leitura que fiz do pedra filosofal na língua original, percebi que a língua e a tradução também são um fator muito importantes… Mas continua lendo, e vai contanto, o Cálice de Fogo é um dos melhores – falo isso pra todos, mas realmente, é o que eu mais gosto – e uma dica, não vai com ânsia de acabar o livro em uma sentada, pois assim ele realmente decepciona, pensa nele como uma obra temporária e em que cada parte do livro leva um tempo – tanto dentro do universo quanto fora dele. O pessoal das antigas diz que cresceu com Harry Potter e em geral, isso não é mentira, eles liam e de certa forma se conectavam temporalmente ao universo… Ahhhh, King, talvez por você ser mais velho também seja influenciado por isso a não se apegar tanto em na história, ou não, vai saber. Enfim… Curuis, falei muito. Desculpa King, fica na paz, inté o próximo post colega… Meu modo automático normalmente diz um monte de coisas sem nexo, então, retenha o que é bom e tudo o mais, despreza-o sem dó. Fui.

  • rudynalvacorreiasoares

    Reinaldo!
    Tive a sorte de ler os livros antes de assistir os filmes, o que achei melhor, caso contrário, passaria pelos mesmos problemas que você ao fazer a leitura.
    Não que os filmes sejam melhores, mas eles dão uma visualização mais aprimorada, colocamos rostos nas personagens do livro e isso o torna fantástico.
    Ao ler, ficava imaginando os trechos como seriam e acredito que por isso não achei enfadonho
    “ Eu creio que um dos princípios
    essenciais da sabedoria é o de se abster das ameaças verbais ou insultos.”
    (Maquiavel)

    cheirinhos

    Rudy

    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão
    6 ganhadores, não fique de fora!

    • Reinaldo José Nunes

      Oi Rudy, ah que legal, você deu mais sorte do que eu então hehe
      O ruim de ler o livro depois de ver o filme é a comparação mental. Eu tentava não comparar, mas era impossível ;x

      Mas a partir do livro quatro tem muita coisa diferente, então creio que a experiência vai melhorar hehe

  • Lucas Ribeiro

    Comecei a reler no começo do ano em inglês. A escrita da J.K é o que mais me cativa. A questão do filme vs livros, não é nem questão de detalhes, o filme destrói – amos os filmes de qualquer jeito – a dinâmica e expansividade do universo, tem muita coisa nos livros que não são meros detalhes. Em a pedra filosofal, penso eu que o Harry não tinha 12 anos não, Rei – intimidade à mil… Já sei, vou te apelidar de King, fechou? Reinaldo é muito grande – Enfim, a Hermione é daquele jeito mesmo, no primeiro livro, e foi o jeito chato dela que me aproximou da personagem. Sabe a parte do Trasgo, então, na mesmo hora, um pouco antes dos meninos se recordarem dela eu pensei – Cadê Hermione pra dar um sermão sobre como “Escolas seguras e bem preparadas não permitem que trasgos montanheses vaguem por seus corredores, onde, alunos potencialmente despreparados para enfrentar um Trasgo Montanhês vagando pelos corredores repletos de alunos despreparados para enfrentá-lo, estejam vagando” Daí os meninos pensaram nela e eu me senti o quarto membro do trio.
    O segundo livro é um dos meus favoritos e é o que vou reler, gosto justamente pelo modo mais arrastado, algo me diz que aprecio melhor a ESCRITA quando a narrativa não é inundada de velocidade e ação. E um dos motivos por gostar tanto da autora é a ESCRITA – não lembro, sinceramente de descrições desnecessárias, na maior parte do tempo acho que ela descreve é muito pouco – Do terceiro não tenho muitos comentários a traçar, quero reler antes de falar mais, no entanto lembro que Harry estava um bacaca, o mesmo tipo de babaca que todo mundo já foi um dia enquanto passava pelas variações e transições químicas e emocionais da vida, mas que no entanto todos relutamos em acreditar. O livro é muito bom, gosto muito do mistério do Lupin e do Sirius. Inveja branca da capacidade da JK de ter criado essa trama, podia ter sido eu, podia, mas não foi… Enfim…
    Eu assisti todos os filmes antes também, King, e talvez, talvez, seja uma das razões por eu ter gostado tanto dos livros e da ESCRITA- que é o que mais presto atenção quando leio, não me pergunte a razão, é apenas um fato da vida – As edições brasileiras são, perdoe jargão popular, mas são realmente uma merda, cagaram nelas mesmo, e me deixa triste ver o pessoal pagando um absurdo nessas edições 1/4 de boca da Rocco, quando, por equivalência, as edições estrangeiras são absurdamente melhores em qualidade e mais baratas em preço… E, nessa leitura que fiz do pedra filosofal na língua original, percebi que a língua e a tradução também são um fator muito importantes… Mas continua lendo, e vai contanto, o Cálice de Fogo é um dos melhores – falo isso pra todos, mas realmente, é o que eu mais gosto – e uma dica, não vai com ânsia de acabar o livro em uma sentada, pois assim ele realmente decepciona, pensa nele como uma obra temporária e em que cada parte do livro leva um tempo – tanto dentro do universo quanto fora dele. O pessoal das antigas diz que cresceu com Harry Potter e em geral, isso não é mentira, eles liam e de certa forma se conectavam temporalmente ao universo… Ahhhh, King, talvez por você ser mais velho também seja influenciado por isso a não se apegar tanto em na história, ou não, vai saber. Enfim… Curuis, falei muito. Desculpa King, fica na paz, inté o próximo post colega… Meu modo automático normalmente diz um monte de coisas sem nexo, então, retenha o que é bom e tudo o mais, despreza-o sem dó. Fui.

  • Lucas Ribeiro

    Comentei ontem e foi excluído como Spam… Que estranho.

    • Reinaldo José Nunes

      Oi Lucas, de fato, estranho. Vi seu comentário mas não sei o porque ele sumiu daqui ;xx

  • Lucas Ribeiro

    ( Terceira vez que tento) Comecei a reler no começo do ano em inglês. A escrita da J.K é o que mais me cativa. A questão do filme vs livros, não é nem questão de detalhes, os filmes destroem – amos os filmes de qualquer jeito – a dinâmica e expansividade do universo, tem muita coisa nos livros que não são meros detalhes (principalmente em O Cálice de Fogo). Em a pedra filosofal, penso eu que o Harry não tinha 12 anos não, Rei – intimidade à mil… Já sei, vou te apelidar de King, fechou? Reinaldo é muito grande – Enfim, a Hermione é daquele jeito mesmo, no primeiro livro, e foi o jeito chato dela que me aproximou da personagem. Sabe a parte do Trasgo, então, na mesmo hora, um pouco antes dos meninos se recordarem dela eu pensei – Cadê Hermione pra dar um sermão sobre como “Escolas seguras e bem preparadas não permitem que trasgos montanheses vaguem por seus corredores, onde, alunos potencialmente despreparados para enfrentar um Trasgo Montanhês vagando pelos corredores repletos de alunos despreparados para enfrentá-lo, estejam vagando” Daí os meninos pensaram nela e eu me senti o quarto membro do trio. O segundo livro é um dos meus favoritos e é o que vou reler, gosto justamente pelo modo mais arrastado, algo me diz que aprecio melhor a ESCRITA quando a narrativa não é inundada de velocidade e ação. E um dos motivos por gostar tanto da autora é a ESCRITA – não lembro, sinceramente de descrições desnecessárias, na maior parte do tempo acho que ela descreve é muito pouco – Do terceiro não tenho muitos comentários a traçar, quero reler antes de falar mais, no entanto lembro que Harry estava um bacaca, o mesmo tipo de babaca que todo mundo já foi um dia enquanto passava pelas variações e transições químicas e emocionais da vida, mas que no entanto todos relutamos em acreditar. O livro é muito bom, gosto muito do mistério do Lupin e do Sirius. Inveja branca da capacidade da JK de ter criado essa trama, podia ter sido eu, podia, mas não foi… Enfim… Eu assisti todos os filmes antes também, King, e talvez, talvez, seja uma das razões por eu ter gostado tanto dos livros e da ESCRITA- que é o que mais presto atenção quando leio, não me pergunte a razão, é apenas um fato da vida – As edições brasileiras são, perdoe jargão popular, mas são realmente uma merda, cagaram nelas mesmo, e me deixa triste ver o pessoal pagando um absurdo nessas edições 1/4 de boca da Rocco, quando, por equivalência, as edições estrangeiras são absurdamente melhores em qualidade e mais baratas em preço… E, nessa leitura que fiz do pedra filosofal na língua original, percebi que a língua e a tradução também são um fator muito importantes… Mas continua lendo, e vai contanto, o Cálice de Fogo é um dos melhores – falo isso pra todos, mas realmente, é o que eu mais gosto – e uma dica, não vai com ânsia de acabar o livro em uma sentada, pois assim ele realmente decepciona, pensa nele como uma obra temporária e em que cada parte do livro leva um tempo – tanto dentro do universo quanto fora dele. O pessoal das antigas diz que cresceu com Harry Potter e em geral, isso não é mentira, eles liam e de certa forma se conectavam temporalmente ao universo… Ahhhh, King, talvez por você ser mais velho também seja influenciado por isso a não se apegar tanto em na história, ou não, vai saber. Enfim… Curuis, falei muito. Desculpa King, fica na paz, até o próximo post colega… Meu modo automático normalmente diz um monte de coisas sem nexo, então, retenha o que é bom e tudo o mais, despreza-o sem dó. Fui.

  • Bruna Prata

    Eu tenho uma história engraçada com os livros da J.K., li até o sexto volume, no quais eu os li emprestados. Entretanto, eu só tenho o último volume, justamente esse que eu ainda não realizei a leitura. Na verdade estou com um projeto para o futuro (bem futuro mesmo) de fazer a releitura, para finalmente me agraciar com As Relíquias da Morte.

    • Reinaldo José Nunes

      Ooi Bruna *-*
      Bacana, creio que será uma experiência bem legal quando retomar a leitura dos livros. Eu estou indo para o quinto, mas ainda não comecei (na verdade não estou com pressa para terminar haha)

      Daqui algum tempo posto no blog a minha experiência final *-*

  • Lucas Ribeiro

    ( Terceira vez que tento) Comecei a reler no começo do ano em inglês. A escrita da J.K é o que mais me cativa. A questão do filme vs livros, não é nem questão de detalhes, os filmes destroem – amos os filmes de qualquer jeito – a dinâmica e expansividade do universo, tem muita coisa nos livros que não são meros detalhes (principalmente em O Cálice de Fogo). Em a pedra filosofal, penso eu que o Harry não tinha 12 anos não, Rei – intimidade à mil… Já sei, vou te apelidar de King, fechou? Reinaldo é muito grande – Enfim, a Hermione é daquele jeito mesmo, no primeiro livro, e foi o jeito chato dela que me aproximou da personagem. Sabe a parte do Trasgo, então, na mesmo hora, um pouco antes dos meninos se recordarem dela eu pensei – Cadê Hermione pra dar um sermão sobre como “Escolas seguras e bem preparadas não permitem que trasgos montanheses vaguem por seus corredores, onde, alunos potencialmente despreparados para enfrentar um Trasgo Montanhês vagando pelos corredores repletos de alunos despreparados para enfrentá-lo, estejam vagando” Daí os meninos pensaram nela e eu me senti o quarto membro do trio. O segundo livro é um dos meus favoritos e é o que vou reler, gosto justamente pelo modo mais arrastado, algo me diz que aprecio melhor a ESCRITA quando a narrativa não é inundada de velocidade e ação. E um dos motivos por gostar tanto da autora é a ESCRITA – não lembro, sinceramente de descrições desnecessárias, na maior parte do tempo acho que ela descreve é muito pouco – Do terceiro não tenho muitos comentários a traçar, quero reler antes de falar mais, no entanto lembro que Harry estava um bacaca, o mesmo tipo de babaca que todo mundo já foi um dia enquanto passava pelas variações e transições químicas e emocionais da vida, mas que no entanto todos relutamos em acreditar.

  • Lucas Ribeiro

    (Parte dois) O livro é muito bom, gosto muito do mistério do Lupin e do Sirius. Inveja branca da capacidade da JK de ter criado essa trama, podia ter sido eu, podia, mas não foi… Enfim… Eu assisti todos os filmes antes também, King, e talvez, talvez, seja uma das razões por eu ter gostado tanto dos livros e da ESCRITA- que é o que mais presto atenção quando leio, não me pergunte a razão, é apenas um fato da vida – As edições brasileiras são, perdoe jargão popular, mas são realmente uma merda, cagaram nelas mesmo, e me deixa triste ver o pessoal pagando um absurdo nessas edições 1/4 de boca da Rocco, quando, por equivalência, as edições estrangeiras são absurdamente melhores em qualidade e mais baratas em preço… E, nessa leitura que fiz do pedra filosofal na língua original, percebi que a língua e a tradução também são um fator muito importantes… Mas continua lendo, e vai contanto, o Cálice de Fogo é um dos melhores – falo isso pra todos, mas realmente, é o que eu mais gosto – e uma dica, não vai com ânsia de acabar o livro em uma sentada, pois assim ele realmente decepciona, pensa nele como uma obra temporária e em que cada parte do livro leva um tempo – tanto dentro do universo quanto fora dele. O pessoal das antigas diz que cresceu com Harry Potter e em geral, isso não é mentira, eles liam e de certa forma se conectavam temporalmente ao universo… Ahhhh, King, talvez por você ser mais velho também seja influenciado por isso a não se apegar tanto em na história, ou não, vai saber. Enfim… Curuis, falei muito. Desculpa King, fica na paz, até o próximo post colega… Meu modo automático normalmente diz um monte de coisas sem nexo, então, retenha o que é bom e tudo o mais, despreza-o sem dó. Fui.

  • Nathallia dos santos

    Olá Reinaldo, sou leitora assídua da JK, e fiquei impressionada como você a criticou, pois li os livros primeiro, antes de assistir o filme, e foi a melhor experiência com livros que já tive. A JK escreve maravilhosamente bem, e quanto aos detalhes que você se referiu, é isso que difere o livro dos filmes. De qualquer forma espero que você termine de ler a série, e consiga sentir como a maioria dos fãs, que são encantados com a autora. Até a próxima.

    • Reinaldo José Nunes

      Oi Nathallia, como vai?
      Que bom que para ti a série tenha gerado uma experiência muito boa, talvez o fato de tu ter conhecido a série antes dos filmes seja o principal fator hehe

      Vamos ver como se seguirão os próximos livros (vou começar o quinto :D )

  • Caroline Furlan

    Eu amo Harry Potter,simplesmente amo!No meu caso eu li os primeiros quatro livros depois de ver aos filmes,e eu gostei mais dos livros,por ser mais detalhado e coisa e tal.Os outros por eu ter lido antes de ver os filmes eu de certa forma critico alguns pontos dos filmes por mudarem algumas partes que eu gostaria de ter visto.O que acho legal em Harry Potter é que ele vai ficando mais sombrio,por assim dizer,gradativamente,aos poucos as coisas vão ficando mais sérias e perigosas,acompanhando também o crescimento e amadurecimento dos personagens.
    Acho a JK simplesmente genial,por conseguir criar todo um mundo,uma história de certa forma complexa,e ir transmitindo isso aos poucos para o leitor.

    • Reinaldo José Nunes

      Oi Caroline, é percebi uma grande diferença entre o livro quatro e o filme, o que nos três primeiros ali não afeta muito. Mas a história tem se tornado mais sombria, o que também gosto muito. Creio que agora a leitura vai fluir melhor porque como está seguindo bem diferente entre filme e livro, a história querendo ou não se torna “única”. Hehe
      Em breve volto aqui para contar a experiência final :D

  • Marta Izabel

    Oi, Reinaldo!!
    Gosto muito de HP mais só li até agora um dos livros dessa série, e assistir todos os filmes, acho que estou precisando fazer um projeto de leitura para ver se consigo finalmente ler os livros HP.
    Beijoss

    • Reinaldo José Nunes

      Oi Marta
      Também gosto muito da série, apenas os livros não estão me prendendo como eu pensei que iriam :/
      Mas fazer esse projeto está sendo muito legal, indico pra ti fazer *-*
      Beijos

  • Gislaine Lopes

    Oi Reinaldo,
    Eu tive a satisfação de ler os livros e foi, sem sombra de dúvidas, a melhor experiência no gênero fantasia que tive na minha vida. Eu digo o tempo todo que J.K. foi abençoada com o dom da escrita, pois o mundo que ela criou é muito bem desenvolvido e com tantos elementos a serem explorados que ela poderia lançar muitos outros livros neste universo que eu não iria enjoar nunca. O que mais surpreende é a evolução dos livros que deixam de ser voltados mais para o publico infantil e abordam temas mais sérios e pesados. Te desejo boa sorte na continuação da leitura da série e vou esperar que venha nos contar como foi conclui-la.

    • Reinaldo José Nunes

      Oi Gislaine
      Show *-* De fato o universo de HP é gigantesco *-*
      Obrigado, prometo que volto em breve contando o final dessa jornada hehe

  • suzana cariri

    Oi!
    Adoro HP, mas quando li os livros tinha já tinha visto os filmes e por os filmes serem bem fieis aos livros, também enfrentei essa dificuldade na leitura principalmente no segundo livro, porém quando li o sétimo ainda não tinha sido lançado o filmes e tive uma experiencia totalmente diferente, o que fez ele virar um dos meus favoritos, me fazendo gostar muito mais do livro que do filmes, principalmente pela cena final da batalha, que na minha opinião achei muito melhor desenvolvida no livro que no filme !!

    • Reinaldo José Nunes

      Oi Suzana :D
      Ufa, alguém que compartilha do meu problema também heaueha brincadeira.
      Mas é mais ou menos isso, até dei uma parada agora no quinto livro.. esperar um pouco antes de iniciar. De fato não lembro muito do filme do quinto livro, então creio que a experiência vai ser melhor*-*

      Mas mesmo que os livros não me agradem tanto, HP continuará sendo uma das minhas séries preferidas ♥