Quando Tudo Faz Sentido – Amy Zhang

Quando Tudo Faz Sentido é um livro da autora chinesa Amy Zhang, lançado aqui no Brasil em 2017 pela editora Rocco.

SOBRE O LIVRO

Elizabeth Emerson é a garota mais popular da escola, e também é a mais odiada. Mas isso é de se esperar, pois Liz não é uma garota muito agradável. Um dos seus passatempos favoritos é fazer com que todos se sintam mal. Não só os ‘não populares’ mas ela também age de forma ruim com suas “amigas”. Mesmo sendo o centro das atenções de todos que a conhecem ela é uma garota sozinha, e incrivelmente vazia.

“Liz não destruía só as pessoas de quem não gostava. Não eram apenas os nerds, os gays, as piranhas, os geeks da banda, as líderes de torcida ridículas, os membros da equipe de xadrez, os membros do Clube Budista, os quietinhos ou os barulhento. Ela destruía todo mundo. Até as pessoas mais próximas a ela. Sobretudo as pessoas mais próximas a ela.”

Ela tem um namorado chamado Jack, um dos mais populares do colégio. Porém, ambos não se amam, só estão um com o outro por sexo e popularidade. Liz também sofre demais com a ausência de sua mãe, uma mulher que só pensa em trabalho e viagens, mal tendo tempo pra um simples “bom dia”. Desde que seu pai faleceu, tudo tem piorado e Liz se vê sozinha em sua família. Por traz de todo xingamento, toda humilhação, havia alguém solitária pedindo socorro.

A maneira de que ela encontrou para preencher essa solidão e o vazio gigante que ela sentia dentro do seu coração era bebendo exageradamente e vivendo em festas, principalmente para estar com garotos diferentes, para se sentir desejada. Liz então decide que aquilo era seu fim, ela decide então parar de ser aquele tipo de pessoa, que no fundo, ela sabia o quão errado era. Então pega seu carro e decide dirigir, até encontrar uma curva perfeita para selar o último segundo de sua vida.


MINHA OPINIÃO

Livros que tratam de assuntos psicológicos pra mim sempre são bem vindos, ainda mais quando bem retratado como nesse. Quando o peguei em mãos, achei a capa dele super delicada, um azul meio cintilante, tudo muito lindo e caprichado pela editora. A diagramação está bem boa, não encontrei erro nenhum que me atrapalhasse durante a leitura.

No começo da história, pensei que o narrador fosse o clássico “observador”,  por ser narrado em terceira pessoa. Mas, após algumas páginas, mesmo eu ficando sem entender quem estava narrando ao certo, percebi que era o ponto de vista de um personagem do livro. Esse personagem contava sobre o passado de Liz, antes mesmo dela ser essa garota cruel do momento atual. Achei isso uma excelente sacada da autora e me fez ler o livro bem rápido, para que finalmente eu conseguisse descobrir quem era esse narrador misterioso.

Confesso pra vocês que detestei como Liz se comportava. Imaginem uma garota tão fútil a ponto de humilhar pessoas que querem o bem dela. E ela tinha plena consciência que seus atos prejudicavam demais a vida das pessoas que eram seus alvos. Mas também consigo entendê-la, mesmo não concordando, que essa era forma que ela encontrou de “chamar a atenção”. Porém, essa não é nem de perto o jeito correto de agir por conta de seus problemas pessoais.

“Algumas noites, Liz lembrava do passado e contava todos os corpos, todas aquelas vidas que ela arruinou simplesmente por existir. Então ela escolheu parar de existir.”

Somos apresentados também à outros personagens que fazem parte da vida de Liz. Sua mãe, uma mulher que ao dar de cara com sua filha entre à vida e a morte percebe como tudo tinha desmoronado naquela família. Também é mostrado um pouco da vida de suas melhores amigas, dos problemas internos sofridos por elas, como por exemplo, aborto na adolescência e drogas. Assuntos que infelizmente estão cada vez mais presentes na vida de jovens. E como às vezes Liz usava desse conhecimento sobre os fatos para ser cruel com suas amigas.

Há também, um personagem bastante especial que aos olhos da protagonista era só mais um “Loser” no colégio, um dos tantos que ela causou mal. Entretanto, pelos olhos de Liam ele conseguia enxergar um verdadeiro pedido de socorro vindo de Liz, e ele não estava errado.

O que mais gostei dessa história foi como a autora nos levou a entender os motivos da protagonista para decidir que sua vida deveria terminar. Mesmo isso não sendo algo certo de se fazer, é possível tentar se relacionar, e é muito importante diferenciar esses dois pontos. Ao mostrar como ela era durante sua infância, como ela era inocente e tinha sonhos normais para pessoas da idade dela. E como ela se tornou essa jovem de 16 anos que todos têm medo hoje em dia.  A caracterização do mundo adolescente em um colégio onde a maioria são ricos também é um ponto forte na história.

No geral, o livro foi uma agradável surpresa. Por mais que a protagonista não sofresse com bullying, aliás, muito pelo contrário, fosse uma “buller”, ela também tinha seus próprios fantasmas. Certas coisas na vida de Liz poderiam ter sido evitadas com uma simples conversa ou um apoio emocional. A autora usa de sua escrita para nos mostra que pessoas más podem ter sim sua redenção. Aconselho para todos que gostam de ver o outro lado da história do bullying, o lado das pessoas que praticam esse ato.

QUANDO TUDO FAZ SENTIDO

Autor: Amy Zhang

Editora: Rocco

Ano de publicação: 2017

Liz Emerson é uma garota popular no colégio e tem uma vida aparentemente invejável. Por que ela tentaria tirar a própria vida, simulando um acidente de carro depois de assistir a uma aula sobre as Leis de Newton? Neste surpreendente romance de estreia, Amy Zhang, que nasceu na China e mora no estado de Nova York, aborda temas como abandono, bullying, depressão e suicídio com uma narrativa crua e pungente que vai arrebatar os fãs de obras como As vantagens de ser invisível, Nuvens de Ketchup e Meu coração e outros buracos negros, entre outros. Na trama, Liz é resgatada por Liam, um garoto que ela sempre desprezou, mas talvez uma das poucas pessoas ao seu redor capaz de enxergá-la além das aparências. Envolvente e emocionante, o livro – que prende também pelo mistério se a protagonista vai ou não sobreviver (e que só é revelado no final) – mostra a fragilidade, a solidão e os dilemas dos jovens de forma sensível e sincera.

É resenhista do Resenhando Sonhos.
Nascida no interior Paulista, futura cientista da computação, se apaixonou por literatura quando conheceu o bruxo Harry Potter e o vampiro Edward Cullen. Adora ir no cinema e assistir séries em dias chuvosos.