fbpx

Quem pegou uma ponta do meu chapéu de três pontas que agora só tem duas? – Cesar Cardoso

Quem pegou uma ponta do meu chapéu de três pontas que agora só tem duas? é do autor nacional Cesar Cardoso, ilustrado por Janaina Tokitaka e foi lançado no Brasil pela editora Gaivota.

capa

SOBRE O LIVRO:

Tudo começa quando Jorge percebe que uma ponta do seu chapéu de três pontas não está aonde deveria estar, logo agora que ele tem de ficar pronto, prontíssimo para ir jantar na casa da tia às 19:00 e ninguém sabe aonde foi parar a ponta de seu chapéu.

O jeito então é sair em busca da ponta perdida de seu chapéu, mas não sozinho, seria impossível encontrá-la sozinho, então ele pede ajuda a Dona Chica-Cá, a melhor detetive de todas as detetives que anda detetivando por aí, para encontrar a ponta do chapéu a tempo, já que Sambalelê está doente e não pode ajudar.

Assim, Jorge e seus amigos passeiam pelas cantigas infantis e seu universo para encontrar a o objeto perdido. Resta saber quem afinal poderá ajudar sem complicar o trabalho de Dona Chica-Cá.

MINHA OPINIÃO:

Já começo dizendo projeto gráfico da editora Gaivota é encantador. Ele transporta o leitor através das imagens para as memórias que ficam guardadas no inconsciente de cada um, ao se lembrar das cantigas infantis e histórias contadas há tanto tempo, quando éramos crianças. A edição é quase uma obra de arte e conversa muito bem com o conteúdo apresentado.

cantiga

23

Trazendo um tema que é comum tanto aos adultos que um dia foram crianças e às crianças que um dia serão adultos, e continuarão cantando as cantigas aos filhos e netos, o enredo traz uma nostalgia sensível e mágica ao leitor, fazendo com que ele se perca junto com Jorge entre os personagens da cantiga e seu vasto vocabulário, incluindo a linguagem das flores, o cachorrês e os mugidos do boi da cara preta.

A cada página fui tomada pela saudade da infância e pelas sensações e sentimentos aos quais as cantigas me remetem. Transformar música em história é de longe o jeito mais criativo e sensacional de despertar o interesse das crianças, fazendo com que a leitura seja fluida e dinâmica. Afinal, nada melhor do que ler e cantar ao mesmo tempo!

A narrativa principal se mistura à narrativa das cantigas, trazendo personagens já conhecidos e também desconhecidos e explorando suas características de modo intenso, fazendo com que pareça que sempre temos mais a conhecer sobre cada ser e seu universo, seja ele “imaginário” ou “real”.

A mistura desses dois mundos é feita de forma sensível e sutil, colocando pessoas reais no mesmo universo que os personagens das cantigas, de uma forma que nos leva a acreditar que sim, isso é possível e esses mundos podem se encontrar.

5estrelas01

25

“Era uma vez um garoto chamado Jorge, um cachorro e um chapéu de três
pontas. Até aí, tudo bem.O problema é que um dia sumiu uma das pontas do tal chapéu. Então entrou em cena Dona Chica-cá, a melhor detetive de todas as detetives que existem detetivando por aí. Juntos, eles vão investigar o sumiço. E vão interrogar o Boida Cara Preta, Terezinha de Jesus, o Soldado da Cabeça de Papel, Pai Franciscoe até a encrenqueira da Dona Baratinha. Será que eles conseguem resolver o misterioso mistério?”

 

É resenhista do Resenhando Sonhos.
Estudante de Direito, 21 anos, mineira, mora em Belo Horizonte e ama o universo literário.