#RESENHA: Neve na Primavera – Sarah Jio

Neve na Primavera é da autora Sarah Jio e foi publicado aqui no Brasil em 2015 pela editora Novo Conceito.

Sobre o livro

Neve na Primavera vai contar a história de duas mulheres separadas por 80 anos de diferença. Em 1933 vamos acompanhar Vera Ray, uma jovem que teve um tórrido caso com um abastado homem da sociedade e teve com ele um filho, o menino Daniel, de 3 anos. Na noite do dia 2 de maio, Sarah, que trabalha como camareira em um hotel para tentar sustentar ela e o filho, sai para o trabalho e deixa Daniel sozinho em casa como normalmente faz, já que não pode pagar ninguém para cuidar dele nem levá-lo consigo. Nessa noite, no fim da primavera, uma inesperada nevasca cai sobre Seattle e quando retorna ao pequeno quarto que aluga em cima de um bar, descobre que seu filho desapareceu em meio a tempestade de neve.

Em 2010, no mesmo dia 2 de maio, uma nevasca igual a que caiu 80 anos antes cai sobre a cidade e a pedido de seu editor, a jornalista Claire Aldridge é incumbida de escrever uma reportagem que una as duas tempestades. Na pesquisa em busca de qual ponto central usar como foco em sua matéria ela se depara com a história do desaparecimento nunca resolvido de Daniel Ray e começa a busca por descobrir que fim Vera Ray e seu filho tiveram.

“Todos nós nos comportamos de forma distinta diante do trauma e da agonia, costuma dizer minha terapeuta, Margaret. Algumas pessoas agem impulsivamente, outras se reprimem – contendo a dor e guardando-a bem no fundo, deixando-a se formar e inflamar, e era assim que eu agia desde o terror que eu vivera no último mês de maio.”

Enquanto os capítulos intercalam a história das duas personagens vamos descobrindo como Vera agiu após o desaparecimento do filho, quem é o pai de Daniel e qual foi o seu destino. E como Claire vai juntar os pedaços dessa história, descobrindo aos poucos, visitando os lugares em que Vera esteve e encontrando remanescentes da época, o que aconteceu com essas duas pessoas, sem saber que a história dos Ray pode estar mais conectada com a dela, do que se imagina, já que Claire também sofreu uma perda recentemente e aos poucos tenta reconstruir um casamento abalado.


Capa e diagramação

20150611_192806

Gostei bastante de como os capítulos intercalam a história das duas personagens e como a separação entre esses capítulos é clara e bem estruturada, fazendo com que a leitura flua bem. A capa também é muito bonita, com excessão do nome da autora em amarelo, que na minha opinião acaba destoando do restante da composição.


Minha opinião

Esse é um livro de suspense policial e um pouco de romance, portanto não é meu tipo de leitura habitual, o que faz com que eu não vá com muita sede ao pote. Com isso pude naturalmente me interessar pela história das duas protagonistas e a cada página torcer para que Claire descobrisse o que aconteceu com Vera e seu filho.

Gostei mais dos capítulos da Claire e de sua busca, apesar de achar a construção de sua personalidade, principalmente da relação com o marido um pouco superficial. Aos poucos vamos descobrindo detalhes de sua vida e qual a grande perda que fez com ela e o marido se afastassem e porque é tão difícil para Claire voltar a se aproximar dele.

Os capítulos da Vera são bacanas, mas não tem o mesmo frenesi da busca da outra protagonista pela verdade, o que até certo ponto também ajuda a fluir o livro, já que queremos acabar logo com ele para ter novamente o ponto de vista de Aldridge da história.

20150611_192712

De modo geral gostei bastante da história, o que me surpreendeu, pois como mencionei não estava esperando muita coisa. O que mais me incomodou foi que, como a busca da protagonista, passa a ser para que o menino Daniel tenha justiça, de que mesmo todo esse tempo depois teríamos alguém punido ou pelo menos sombra disso, porém quando derradeiro desfecho chega senti que faltou algo.

Mas talvez, olhando para o enredo, esse senso de justiça seja algo que o livro busque despertar em nós e que ao encontrá-lo ou em sua procura, possamos enxergar que a felicidade precisa ser conquistada e que ela demanda sim, algum esforço.

NEVE NA PRIMAVERA

Autor: Sarah Jio

Editora: Novo Conceito

Ano de publicação: 2015

Seattle, 1933. Vera Ray dá um beijo no pequeno Daniel e, mesmo contrariada, sai para trabalhar. Ela odeia o turno da noite, mas o emprego de camareira no hotel garante o sustento de seu filho. Na manhã seguinte, o dia 2 de maio, uma nevasca desaba sobre a cidade.
Vera se apressa para chegar em casa antes de Daniel acordar, mas encontra vazia a cama do menino. O ursinho de pelúcia está jogado na rua, esquecido sobre a neve. Na Seattle do nosso tempo, a repórter Claire Aldridge é despertada por uma tempestade de neve fora de época. O dia é 2 de maio. Designada para escrever sobre esse fenômeno, que acontece pela segunda vez em setenta anos,
Claire se interessa pelo caso do desaparecimento de Daniel Ray, que permanece sem solução, e promete a si mesma chegar à verdade. Ela descobrirá, também, que está mais próxima de Vera do que imaginava.

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos. Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo. Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.
  • paros28

    Amei o teu estilo de resenha!!!!! E muito obrigada pela resenha de Neve na Primavera, já que será minha próximo leitura estava receiosa em ler, mesmo tendo gostando e muito do primeiro livro da autora publicado no Brasil, mas estava em dúvida sobre esse novo livro, obrigada por esclarecer. Beijão!!!!

  • Achei a sinopse interessante, mas esse tipo de livro é bem longe do que costumo ler. Quer dizer, li bastante livro policial e de suspense, mas sem muito romance no meio. Acho que se tivesse de bobeira e o livro dando sopa, leria, mas não é algo em que investiria minhas suadas moedinhas, hehe. Um beijo!