Sangue inocente – James Rollins e Rebecca Cantrell

Sangue inocente é o segundo volume da série dos Sanguinistas, escrito por James Rollins e  Rebecca Cantrell. O livro foi trazido ao Brasil pela editora Rocco em janeiro de 2017.

54

SOBRE O LIVRO

Em O Evangelho de Sangue um terremoto em Massada, Israel, levou a morte de centenas de pessoas e revelou um túmulo oculto na montanha. Com isso, uma equipe de exploradores: o sargento Jordan Stone, o padre Rhun Korza, sacerdote do Vaticano e a Dra. Erin Granger, uma arqueóloga brilhante foi enviado para explorar o túmulo. No entanto, estava longe de ser uma simples e comum descoberta.

Nesse segundo livro, a arqueóloga Erin Granger nunca mais foi a mesma depois de sua aventura alguns anos antes. Ela vive desconfiada de que pode estar sendo perseguida e além disso, ela tem lapsos de lembranças que ela não se lembra de ter vivido e não tem certeza de seu significado.

“Pequei, pois traí sangue inocente. E eles disseram: Que nos importa? – Mateus 27:4”

É em meio a esse turbilhão de memórias e sentimentos que ela se verá novamente envolvida com um grupo particularmente obscuro: Os Sanguinistas. Uma ordem imortal fundada sobre o sangue de Cristo e que tem desde seu pacto a missão de proteger o mundo dos monstros que procuram libertar-se das sombras para o mundo dos humanos seguindo a profecia encontrada no Evangelho de Sangue (livro escrito por Jesus e que esteve perdido durante séculos antes de ter sido descoberto por Erin e os companheiros em Israel).

Agora que seus medos podem estar muito próximos de ser tornarem reais, Erin terá que se unir ao sargento do exército Jordan Stone e ao sombrio padre Rhun Korza para encontrar e proteger um garotinho que pode ser um anjo. No entanto, um inimigo enigmático procura a mesma criança com o objetivo de antecipar a destruição do mundo. Só será possível vencê-lo se Erin conseguir descobrir a verdade por trás dos primeiros anos de Jesus no mundo dos humanos e compreender o seu primeiro milagre, cheio de pecado e destruição.

A busca pela verdade levará Erin e os seus companheiros a viajar pelos séculos e através das planícies da Terra Santa, às águas geladas do oceano Ártico, das catacumbas de Roma a uma fortaleza de ferro no mar Mediterrâneo e, por fim, aos portões do Inferno, onde o seu destino e o da humanidade os aguarda.


MINHA OPINIÃO

A série dos Sanguinistas combina de forma intrigante os elementos da ciência e da religião, aos quais sempre soubemos serem, em sua maioria, incompatíveis. Ela nos apresenta um mundo onde os milagres têm um novo significado e a luta entre o bem e o mal é mais difícil do que em qualquer pensamento humano ou até mesmo em algumas histórias ficcionais.

O uso das expressões e trechos da Bíblia ao início de cada passagem (parte) da história nos remete a algo tão sagrado quanto sombrio, já que cada um trilha um caminho junto ao desenrolar do enredo. Pode parecer a alguns uma história um tanto quanto “ousada” ou até mesmo incômoda àqueles mais religiosos que se recusem a ver as figuras retratadas de novas formas: anjos, demônio e até mesmo a figura de Jesus Cristo. No entanto, acredito que é plausível uma concessão afim de separar a realidade de uma boa história.

“…Eis que o anjo do Senhor apareceu a José, em sonhos, dizendo: “Levanta-te e toma o menino e sua mãe, e foge para o Egito, e demora-te lá até que eu te diga; porque Herodes há de procurar o menino para mata-lo.” E levantando-se ele tomou o menino e sua mãe, de noite, e foi para o Egito. E esteve lá até que a morte de Herodes para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta: “Do Egito chamei o meu filho.” – Mateus 2:13-15”

60

Cada personagem do livro nos remete a uma personalidade inconfundivelmente sagrada e humana ao mesmo tempo, se é que seja possível criar essa ideia e concepção. No entanto é o que o leitor é levado a crer, uma vez que somos colocados sempre de frente à suas almas mais até do que suas características mundanas. É fácil ser enganado pela “boa fé” de alguns dos personagens mais sombrios e sermos irritados pela inocência (ou a falta dela) por parte de nossos heróis.

O padre Korza é um exemplo de personagem com o qual podemos ser confundidos, a figura de um padre pode ser considerada indício de boa fé, caráter e personalidade não duvidáveis, no entanto isso não é o que realmente acontece. Quando descobrimos ao longo da trama o que realmente ocorreu na caverna em que ele e a dra. Erin ficaram presos nos surpreendemos com o fato de que nem tudo que possa parecer é necessariamente real. Uma personalidade egocêntrica, disposta aos maiores sacrifícios, sendo estes corretos perante seus ensinamentos ou puramente de interesse pessoal para conseguir poder.

57

Além disso podemos dizer que apesar de alguns errinhos de revisão, a edição do livro foi muito bem colocada, vez que este foi poupado de imagens, remetendo a um tom mais sério e até sombrio pelo excesso de passagens e significados. A capa da edição faz alusão ao contexto dessa nova parte da história, o que é sempre bacana. O livro possui ainda páginas amareladas e letras de tamanho confortável para encararmos essa jornada por esse thriller.

Vale ressaltar a importância de acompanhar a série desde o início, a “comunidade” dos sanguinistas possui características e motivações próprias que só podem ser esclarecidas ao longo dos livros, para que não sejamos lançados em meio a um excesso de informações. Além de ser de extrema importância o desenvolvimento dos personagens não só integrantes da “ordem”, mas cada um envolvido.

É uma jornada pela qual vale a pena ser transportado e conhecer novos continentes, mundos e sociedades. Estamos aguardando pelo próximo livro da série!

thumb_livro

3estrelasb

SANGUE INOCENTE

Autor:JAMES ROLLINS E REBECCA CANTRELL

Editora:ROCCO

Ano de publicação:2017

Um ataque a um rancho na Califórnia lança uma vez mais a arqueóloga Erin Granger para as teias dos Sanguinistas, uma ordem imortal fundada sobre o sangue de Cristo e que tem como missão proteger o mundo dos monstros que atormentam as suas sombras e que aguardam libertar-se para a luz do dia. Seguindo as palavras proféticas encontradas no Evangelho de Sangue – um livro escrito por Jesus e que esteve perdido durante séculos. Erin tem de unir os seus esforços ao sargento do exército Jordan Stone e ao sombrio padre Rhun Korza para encontrar e proteger um rapaz que se crê ser um anjo encarnado. Mas um inimigo enigmático com um poder imenso e uma ambição terrível procura a mesma criança – não para salvar o mundo mas para precipitar a sua destruição. Para poder vencê-lo, Erin tem de descobrir a verdade que está por trás dos primeiros anos de Jesus e compreender o Seu primeiro milagre, um acontecimento envolto em pecado e destruição, um ato que permanece por concretizar plenamente e no qual reside a única esperança para o mundo. A busca da verdade levará Erin e os seus companheiros a atravessar os séculos e os continentes, das planícies poeirentas da Terra Santa às águas geladas do oceano Ártico, das catacumbas de Roma a uma fortaleza de ferro no mar Mediterrâneo e, por fim, aos portões do Inferno, onde o seu destino e o da humanidade os aguarda. A série dos Sanguinistas combina de forma extraordinária elementos da ciência, do mito e da religião e apresenta um mundo onde os milagres ganham novo significado e a luta entre o bem e o mal é mais complexa do que alguma vez se imaginou.

É resenhista do Resenhando Sonhos.
Estudante de Direito, 19 anos, mineira e cheia de “uai’s”, mora em Belo Horizonte e ama o universo literário.
  • Thaynara Ribeiro

    Isso de misturar ciência e religião eu gostei bastante e lembrou só nisso O código da Vinci e as sequencias.
    Gostei bastante da resenha já que nunca li nada do gênero

    • Ana Luiza Oliveira

      Oi Thaynara!
      Fico feliz que tenha gostado da resenha ><.
      Eu nunca li esse, acredita?
      Espero que curta a leitura :)
      Beeeijo

  • Marta Izabel

    Oi, Ana!!
    Fiquei bastante curiosa para ler esse livro!! A premissa é maravilhosa, e essas citações que o livro têm sobre trechos da Bíblia?!! Fantásticas!! Amei a indicação!!
    Beijoss

    • Ana Luiza Oliveira

      Oi Marta!
      Que bom que tu se interessou, fico feliz por ter feito a história “chegar” até você. Tem sim! Hahahha. Espero que você tenha uma ótima leitura caso resolva se aventurar.
      Volta pra me contar!
      Beeeijo

  • Lili Aragão

    Oi Ana, confesso que não sou muito chegada a livros com a temática que envolvem ciência e religião e por isso não fiquei tão interessada na história. Mas pelo que li na resenha e apesar de ter fica do um pouco confusa por esse ser o segundo livro, percebi que esse é um livro que deve ser lido com bastante atenção e os detalhes devem ser importantes. Acho que pra quem curte o gênero a trilogia é uma dica bem interessante :)

    • Ana Luiza Oliveira

      Oi Lili!
      Deu uma olhada na sinopse do primeiro livro? As vezes te esclarece mais haha, tentei não falar muito pra não dar spoiler, mas entendo seu ponto de vista, também não tenho costume de ler muitos livros que tragam esses assuntos/discussões. Mesmo assim, concordo que pra quem curte é uma ótima pedida.

  • Lara Caroline

    Oi Ana tudo bem?
    Eu adorei a proposta deste livro. Gosto muito de livros que trazem essa temática mais religiosa, mas de uma maneira diferente como a apresentada na obra. Mesmo sendo cristã, acredito que não me incomodaria nem um pouco com as passagens citadas ao longo das páginas e até posso afirmar que ficaria mais intrigada ainda.
    Beijos

    • Ana Luiza Oliveira

      Oi Lara!
      Sem dúvida esse foi colocado por todo mundo por aqui como um aspecto de interesse comum. Espero que você se aventure logo :)
      Beeeijo

  • Gislaine Lopes

    Oi Ana,
    Eu já havia me interessado pela sinopse do primeiro livro, mas este segundo me deixou com ainda mais vontade de ler esta série. O autor “brincar” com a personalidade dos personagens tem tudo a ver com a ideia que ele propõe no livro, como trazer a ciência e a religião lado a lado em uma mesma história, pois sabemos nem tudo é preto no branco não é mesmo?!!

    • Ana Luiza Oliveira

      Oi Gislaine!
      Mais do que na hora de se aventurar então, não?! Haha
      Sem dúvida esse foi colocado por todo mundo por aqui como um aspecto de interesse comum. Espero que você se aventure logo :)
      Beeeijo

  • rudynalvacorreiasoares

    Ana!
    Achei o livro meio estilo Dan Brown o que já me atraiu bastante, já que misturar ciência e religião aparentemente sempre foi incompatível.
    Inteligente poder usar os humanos para mostrar as personalidades diferenciadas e que nem tudo que é aparentemente bom o é e vice versa…
    Fiquei com muita vontade de conhecer o livro e a série.
    Bom carnaval e moderação, hein?
    “Não basta saber, é preferível saber aplicar. Não é o bastante querer, é preciso saber querer.” (Johann Goethe)
    cheirinhos
    Rudy

    • Ana Luiza Oliveira

      Olá!
      Desculpa te desapontar, mas acho que não concordo viu kkk (em se parecer com o estilo do Dan Brown), mas espero que tu tire suas próprias conclusões.
      Tô atrasada pra responder, mas curti sim, no entanto, descobri que to um pouco velha pra muita muvuca hahahaha.
      Volta pra me contar o que achou, e boa leitura.
      Beeeijo

  • Bruna Prata

    Não sei ao certo se essa mistura entre a ciência e a religião são meu tipo de leitura, já que nem lembro se li algo assim antes. Apesar de achar tudo muito interessante e bem bolado, não seria algo que funcionasse comigo.

    • Ana Luiza Oliveira

      Oi Bruna!
      Entendo seu ponto de vista, algumas vezes também não me senti confortável com isso, mas acredito que a trama em si seja interessante.
      Se for se arriscar volta pra me contar o que achou :)
      Beeeijo