Simplesmente o Paraíso – Julia Quinn

Simplesmente Paraíso é o primeiro livro da série Quarteto Smythe-Smith da autora Júlia Quinn, lançado aqui no Brasil em 2017 pela Editora Arqueiro.

resenha3

SOBRE O LIVRO

Neste primeiro livro do Quarteto conhecemos Honória Smythe-Smith. Na primeira série de Julia Quinn, os Bridgertons, temos pequenas aparições das moças do Quarteto em situações um tanto engraçadas. Ele é formado pelas jovens solteiras da família, que tem como tradição, uma vez por ano tocar em um evento organizado pela própria família, mas infelizmente nem todas elas nasceram com um dom musical. Além de Honória, que é a violinista, temos Íris que toca violoncelo, Anne no piano e Daisy, que também toca violino.

Honória é a caçula de seis irmãos com idades distantes à dela, o mais próximo é Daniel, o único homem herdeiro, mas ainda assim 5 anos mais velho que ela. Por sempre se sentir muito sozinha, ela não largava do pé de Daniel quando o mesmo estava passando uma temporada de férias escolares. Ele ficava de saco cheio de ter a irmã tão grudada nele, ainda mais quando seu melhor amigo Marcus Holroyd vinha passar um tempo com a família Smythe-Smith.

Marcus Holroyd sabia muito bem como era horrível sentir-se sozinho, por isso as vezes até dava uma certa atenção para a pequena Honória. Depois de alguns anos, após um grande escândalo envolvendo Daniel, ele teve que fugir para a Itália, porém, antes de partir, pediu para seu melhor amigo, Marcus, para proteger Honória de maus pretendentes e homens imbecis que poderiam tentar tirar proveito da doce garota. Marcus prontamente assume o papel de irmão chato mais velho, e não demora para ele espantar alguns desses pretendentes.

“Honória não estava procurando um marido apenas para admirar a aliança no dedo ou para se regozijar com seu status de jovem matrona elegante. Queria uma casa que fosse sua. Uma família – grande, barulhenta, que sem se preocupasse em ter modos.”

Um pouco desesperada atrás de pretendentes, Honória arma um plano para literalmente “fisgar” alguém, mais especificamente Gregory Bridgerton, jovem já conhecido pelos fãs da autora. Porém, o plano da errado e Marcus acaba se ferindo. E esse incidente acaba fazendo com que os dois percebam que o que ambos sentem não tem nada de amor entre irmãos.


MINHA OPINIÃO

Quando a editora Arqueiro anunciou a publicação da nova série de livros de Julia Quinn, os fãs da autora foram a loucura. Eu nunca tinha lido nada do gênero romance de época, até pegar Duque e Eu, o primeiro livro da série dos Bridgerton e logo amei ler pela primeira vez sobre aquele mundo com bailes, damas e cavalheiros. Assim, fiquei bastante ansiosa para ler os livros do Quarteto Smythe-Smith. A edição de Simplesmente Paraíso está praticamente impecável, a diagramação é muito boa, e todas as capas dessa série são lindas.

Logo de começo, achei Honória bem determinada em seus desejos. Ela não é nem um pouco parecida com uma das mocinhas anteriores da autora. Ela é calma, costuma guardar seus sentimentos para si, e vai vivendo “conforme a música”. Música que por sinal não é um dom dessa geração de moças do Quarteto. Honória e suas primas sabem o quanto são péssimas, mas a mocinha tenta sempre levar tudo isso com muito amor à tradição da sua família.

Às vezes, confesso, achei ela um pouco tediante, mas quem nunca foi esperançosa como a ela, que atire a primeira pedra. Por outro lado, Marcus se tornou um perfeito cavalheiro, bastante discreto. Mesmo tendo um passado familiar triste, ele foi praticamente adotado pelos Smythe-Smith e sempre foi rodeado pelo amor deles. Ele se mostra um homem bastante honrado, que não admite justificar seus erros por conta de seu passado.

“Eu estava pensando que este momento é simplesmente paraíso…”

resenha2

Apesar da história rodar em torno de um clichê gigante, onde eles se conhecem desde pequenos mas só percebem que estão apaixonados em certo ponto de juventude, por causa de um acidente, eu gostei do rumo que a trama levou. Mas achei que faltou alguma coisa. O livro é bem leve e fácil de ser lido, mas não tem grandes acontecimentos, não mostra grandes discussões e basicamente só os dois mocinhos que aparecem bastante no livro todo, senti falta de mais interação com os outros personagens, além claro, das primas do quarteto.

Espero que as próximas histórias da série Smythe-Smith consigam me prender melhor do que essa primeira. Pra mim, o ponto legal do livro foi a interação das meninas do Quarteto entre elas. Elas sabem o quanto são ruins, inclusive, Honória chega a admitir que é a pior delas, e isso gera muitas piadas entre elas.

Mesmo com seus altos e baixos, a história tem seus pontos positivos, e vale a pena ser lida. A ambientação da época escrita pela Julia é bem legal, retrata um pouco do machismo daquela época, mostra de como era importante para uma dama encontrar logo um pretendente, e como eram a educação dos filhos nos mais diferentes tipos de família.

Sem grandes emoções, terminei a história feliz com o desfecho, e curiosa para a próxima edição, pois no final temos uma pequena pitada do que vem por aí no próximo livro. Achei uma boa jogada da autora nos deixar curiosos para a próxima edição. Recomendo para os fãs de romances de época daqueles bem fofinhos, pois Honória e Marcus são típicos personagens que querem casar e ter uma família, mas precisam de um empurrãozinho do destino para perceberem eles podem construir uma família feliz juntos.

SIMPLESMENTE PARAÍSO

Autor: Julia Quinn

Editora: Arqueiro

Ano de publicação: 2017

Honoria Smythe-Smith é parte do famoso quarteto musical Smythe-Smith, embora não se engane e saiba que o dito quarteto carece sequer do menor sentido musical e tem esperanças postas que esta seja a última vez que se submeta a semelhante humilhação. Esta será sua temporada e com um pouco de sorte conseguirá um marido. Durante um jantar, põe seus olhos em Gregory Bridgerton, um dos mais jovens da família Bridgerton. Sabe que não está apaixonada, mas ele parece uma opção mais que válida. Marcus Holroyd é o melhor amigo do irmão de Honoria, Daniel, que vive exilado na Italia. Ele prometeu olhar por ela e leva suas responsabilidades muito seriamente. Odeia Londres e durante toda a temporada, permaneceu vigilante e intermediou quando acreditava que o pretendente não era o adequado. Honoria e Marcus compartilham uma amizade, pouco atípica, fruto dos anos que se conhecem e que o torna parte da família. Entretanto, um desafortunado acidente faz que ambos repensem sua relação e encontrem a maneira de confrontar o que surge entre eles, se tiverem coragem suficiente.

É resenhista do Resenhando Sonhos.
Nascida no interior Paulista, futura cientista da computação, se apaixonou por literatura quando conheceu o bruxo Harry Potter e o vampiro Edward Cullen. Adora ir no cinema e assistir séries em dias chuvosos.