fbpx

Só os Animais Salvam – Ceridwen Dovey

Só os Animais Salvam é um livro de contos da autora Ceridwen Dovey, lançado no Brasil em 2017 pela Darkside Books.

Sobre o Livro

Imagine enxergar o mundo através dos olhos dos animais. Vários deles, de diferentes raças, idades e localizações. Imagine agora que todos eles estejam passando por um momento chave, com as guerras infringidas por nós humanos os cercando e moldando suas vidas.

“Ouvi-o dizer que gostava de colocar animais em suas histórias porque fazia os humanos parecerem piores.”

Uma gata, um chimpanzé, um golfinho, um elefante e outros também, animais diferentes que acham esperança e motivações em meio as complicações da vida e dos cenários que os cercam. A visão não tão simplista que queremos dar a eles e o que os nossos atos representam em sua realidade, quando obrigados e deixar de lado sua real natureza pra caminha em nosso mundo.


Minha Opinião

Toda vez que eu pego um livro de contos pra ler é um desafio, e é por isso que eu o faço. Nesse caso, o que me chamou a atenção foi o fato de eu poucas vezes na minha vida literária ter me deparado com pontos de vistas a partir de animais. Não muito tempo atrás até saiu uma resenha por aqui de FoxCraft, que não foi lido por mim, onde a protagonista era uma raposa e era ela quem nos contava sua história. Acho que deixamos essa perspectiva de lado quando abandonamos as leituras mais infantis, onde isso é mais tradicional.

Eu tenho dois gatos, já tive cachorro e adoro animais, salvo algumas exceções tradicionais (principalmente aranhas, longe de mim). Então, quando vi o livro o interesse foi imediato. Não sou uma leitora que vê sinopses então acabo sendo pega de surpresa com detalhes que para aqueles que lêem é algo óbvio. Por exemplo, eu não sabia que os contos iriam se passar todos em cenários de guerra e foi maravilhoso ir se dando por conta ao longo da narrativa, ao invés de esperar pelo momento onde a situação iria se manifestar.

“Eles – os humanos, quero dizer – parecem acreditar que o que os separa dos outros animais é sua habilidade de amar, sofrer, sentir culpa, pensar abstratamente et cetera. Estão enganados. O que os separa é seu talento para o masoquismo. É aí que reside seu poder. Ter prazer na dor, tirar forças da privação, isso é ser humano.”

A temática da guerra é outro fator de interesse pra mim. Eu leio muito sobre a 1ª e principalmente a 2ª, mas me vi criando uma nova perspectiva com esse livro. Vamos caminha juntos por esse pensamento. Nós ficamos apavorados e devastados com tudo o que aconteceu durante o Holocausto, a quantidade de pessoas que morreu, como todo mundo passava fome e vivia de forma precária. Mas e os animais? O que aconteceu com aqueles que viviam em zoológicos e que assim que a comida acabou do lado de fora, eles também pararam de ser alimentados? Foi devastador me confrontar com essa situação que jamais tinha passado pela minha cabeça. Ver em seus olhos o conflito, mas também as pessoas de fora se voltando pra eles como alimentos e tirando a beleza – mesmo que contraditória – desses locais.

“Aqueles que agem humanamente com animais não são necessariamente gentis com seres humanos.”

Mas nem todos os narradores aqui estão em cativeiro e temos histórias até divertidas em alguns pontos. Uma das minhas preferidas é a da gata, que sempre teve uma vida pomposa e se vê deixada pra trás em um front de guerra. O do chimpanzé também traz ótimas reflexões sobre as experiências com animais e a aproximação que queremos fazer deles com o ser humano. Um que me surpreendeu pela sua intensidade no final foi o do Urso. Eu realmente estava tão imersa na trama que não vi a situação chegando e ai me vi chocada pela lógica animal tão simples e real.

Os contos são relativamente curtos, já que o livro tem ao todo menos de 250 paginas. Há vozes bem distintas e algumas que se misturam também. Não é possível identificar que animal está falando sem o contexto e isso pode tanto ser positivo quanto negativo. Porém, certamente, cada um dos 10 contos traz uma mensagem diferente do que quer passar. Com foco em sobrevivência, amizade, companheirismo, aventura, realização de sonhos, família e por vezes apenas busca por propósito, esses animais nos passam mensagens e transmitem boas lições.

Outra coisa que vale a pena ressaltar é que esses animais e suas histórias são referenciadas e há no fim da edição uma lista de onde cada traço foi retirado. Além de alguns escritores ou personalidades que são citados durante alguns contos, principalmente no da tartaruga, que passa pela mão de alguns velhos conhecidos dos leitores, os próprios animais foram retirados de alguma outra criação. Tudo isso dá um tom mais vívido e mágico a trama, o saber que há um background e uma referência em cada um desses narradores que abriram seus olhos pra nós.

É claro que é tudo ficção e que provavelmente nunca saberemos ao certo com um animal pensa ou sente as coisas. Nos resta apenas imaginar, como fez Ceridwen em sua obra e usar esses elementos para transmitir algo bom.

A edição da Darkside está muito bonita e a capa é impecável. Há uma brincadeira com montar os animais em constelações que achei muito legal e que dá também um toque ao livro. Ter o gato na frente e apresentar a questão lúdica também fez todo o sentido, já que estamos lidando aqui com histórias com ares de fábula, apesar do seu teor já preparar o leitor para o que virá.

Todo conto começa com a data de morte do animal em questão, então já vamos preparados para o pior. Entretanto, essa é uma sobra que ronda cada um dos contos, mas que não fica verdadeiramente explícita em todos eles. Não veremos sempre eles se irem. Às vezes sim, mas em outras é só a referência de pra onde toda aquela narrativa vai caminhar. Ao fim, já sabemos como acaba, afinal é aquele velho ditado: a única coisa que temos 100% em comum é a morte.

Só os Animais Salvam é um livro muito bonito e sensível, que faz com que enxerguemos a partir dos olhos de animais coisas que somente nós, humanos, somos capazes de causar. A por vezes simplicidade em que aquilo se mostra existe para ressaltar o quanto somos nós que deixamos tudo mais complicado e voraz. E quando erramos, causamos a dor e o sofrimento não só aqueles da nossa raça, mas a tudo que nos certa, animais e natureza. É uma leitura recomendada e, se você assim como eu não se entende muito com contos, talvez seja uma boa obra para começar ou desenvolver o hábito, afinal são histórias pequenas e com ela de ligação que nos firma à trama.

SÓ OS ANIMAIS SALVAM

Autor: Ceridwen Dovey

Editora: Darkside

Ano de publicação: 2017

Nós, humanos, nos achamos o máximo. Mas o que temos feito com o nosso mundo? “Só os Animais Salvam” é um livro que tenta responder a essa pergunta de maneira inusitada. Cada um de seus contos é uma fábula moderna, narrada por um bicho diferente, vítima de uma de nossas incontáveis guerras. Em meio ao caos, os animais conseguem encontrar esperança e inspiração numa das atividades mais significativas que nossa espécie já criou: a literatura. Ceridwen Dovey reúne fragmentos e personagens da obra de escritores imortais e nos faz sonhar o sonho dos inocentes. Só os animais salvam.

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.