Solteira Até Sábado – Catherine Bybee

Solteira até sábado é o quarto livro da série Noivas da Semana, escrita pela autora Catherine Bybee. A publicação é de 2017 pela Verus.

Sobre o Livro

Quando ainda dividia a casa com Gwen e alternava seu tempo livre entre cuidar de crianças em situação de vulnerabilidade e conseguir fechar acordos matrimoniais lucrativos para ambos os envolvidos, Karen teve a oportunidade de conseguir para si um casamento de fachada. Ela se mostrou a candidata ideal para posar ao lado de um ator famoso, que queria acalmar os ânimos e especulações indesejadas por parte da imprensa antes de se dedicar à novos projetos cinematográficos.

A agência de relacionamentos Alliance mais uma vez juntou um casal com objetivos em comum, e Karen está quase terminando seu contrato, que até então vem acometendo de maneira muito tranquila. Ao casar com Michael ela sabia que teria naquele homem apenas um amigo. A amizade entre eles se fortaleceu de modo que se tornaram muito importantes um para o outro, então muito do que aparentam para as câmeras não é como um todo mentira. Eles se amam, isso é fato…. mas sente um tipo de amor extremamente fraternal, um sentimento totalmente diferente do que Karen se pega sentindo pelo próprio cunhado.

Há muito tempo Zach não vê o irmão famoso, e não entende como há mais de um ano a cunhada ainda permanece uma completa desconhecida para sua família, mas isso está prestes a mudar. Ele chega de surpresa na festa em que o casal comemora um ano de casados, mas o que encontra ali muda tudo completamente. Isso porque seus olhos são atraídos para loira incrível que carrega no dedo o diamante dado pelo irmão. Atração, paixão, sabe-se lá o quê surge quando eles se encontram, e esse sentimento confuso promete transformar a vida dos dois em uma confusão incrível e completamente sensual.


Minha Opinião

Quem acompanha esta série sabe que no livro anterior, Noiva até Sexta, o acordo entre Karen e Michael foi estabelecido, e os motivos que levaram o astro de Hollywood a encenar este casamento ficaram claros. A situação dos dois quebra uma parte do padrão que as histórias vinham mantendo e convidam o leitor a fazer uma contagem regressiva às avessas: se até agora contávamos o tempo até o casamento, em Solteira até sábado a gente torce para o que o divórcio chegue o quanto antes.

Isso porque este é o primeiro livro da série no qual o acordo de casamento é de fato apenas um acordo. Claro, nas outras histórias começou assim e evoluiu para algo mais, mas não é isso que acontece agora. O casamento tem data marcada para acabar e o divórcio já conta com uma festa programada. A desculpa que darão à família do noivo, aos colegas e à imprensa já está combinada, os acertos financeiros estão em vigor, e a amizade que nasceu entre os dois será levada para a vida toda. Acontece que antes de encerrarem o acordo, Karen e Michael precisam encenar um último ato: viajar até a cidade natal do ator, passar uns dias na casa da família e bancar o casal apaixonado. Para quem viveu mais de um ano desempenhando este papel,  parece ser fichinha entrar no personagem um pouco mais, certo?

Acontece que eles não imaginavam que Karen se apaixonaria pelo cunhado. Do mesmo modo que não esperavam que Zach, mesmo contra sua vontade, passasse a cobiçar a esposa do irmão. A atração entre os dois esbarra no muro de vergonha que o protagonista ergue ao perceber que tem sentimentos pela própria cunhada. Um pseudo triângulo amoroso é desenhado e o leitor é levado a torcer para que Karen ou abra o jogo de uma vez e se renda a atração que sente por Zach ou continue fingindo ser casada e se jogue nos braços dele mesmo assim.

Concomitante a isso uma outra situação de desenrola, na qual um casal de adolescentes (do tipo que Karen costuma cuidar) está em perigo e precisa de ajuda. Ela, acolhedora e protetora como é, se coloca em risco para ajudar os jovens e o que vemos a partir daí é uma história que às vezes força um pouco a barra, e que não convence totalmente como deveria. Este casal foi o que menos gostei até agora, o insta love entre eles não me conquistou e as situações nas quais se envolveram deixaram a sensação de eram gratuitas, desnecessárias. Não senti a força da química que a autora tentou passar, e embora a protagonista tenha se destacado no livro anterior, aqui ela perde um pouco a graça e não é capaz de entregar o que a gente espera.

Felizmente contamos com a participação de personagens antigos, que em momentos cruciais dão o ar da graça e melhoram o clima do livro; mostrando que vale a pena matar a saudade do Duque, sua esposa e todos os outros integrantes desse grupo tão peculiar. Além disso, conhecemos mais a fundo o casal que irá compor a história que vem a seguir; me parece que são altas as chances de que a narrativa seja mais atrativa do que esta. E vocês, estão acompanhando esta série? O que acharam deste casal e da forma como sua história foi apresentada?

SOLTEIRA ATÉ SÁBADO

Autor: Catherine Bybee

Editora: Verus

Ano de publicação: 2017

Karen Jones: a loira estonteante se casou com um astro de Hollywood, porém é ela quem desempenha diariamente um papel — o de esposa feliz. Um ano atrás, ela concordou em se casar com um ator famoso para dissipar rumores sobre a vida pessoal dele. Agora seu divórcio se aproxima, assim como um pagamento de cinco milhões de dólares. No entanto, conforme Karen se prepara para abandonar com elegância seu casamento arranjado, ela conhece o cunhado, um homem lindo de morrer. Zach Gardner: o pedaço de mau caminho de cabelos escuros e olhos azuis aparece sem ser convidado na festa de um ano de casamento de Michael e Karen, determinado a conhecer a esposa que seu irmão escondeu da família inteira. Mas faíscas voam no instante em que ele e Karen se encontram. Quando o casal famoso decide visitar a família Gardner, Karen precisa esconder o segredo do marido e de seus parentes bisbilhoteiros… incluindo Zach, o homem que talvez seja o verdadeiro amor da vida dela.

Uma leitora frenética e inquieta, apaixonada por histórias fantásticas e com uma tendência a se deliciar com romances água com açúcar. Viciada em fotografias e gatos, é uma apreciadora das pequenas coisas e costuma ver beleza até onde não há.