Sombra do Paraíso – David S. Goyer e Michael Cassut

Sombra do Paraíso é o primeiro livro da trilogia Heaven’s Shadow, escrito à quatro mãos por David S. Goyer e Michael Cassut. Foi publicado no Brasil pela Aleph em 2016.

SOBRE O LIVRO

Em 1969, o homem marcou um grande momento na história: o primeiro pouso na Lua. Cinquenta anos depois, novamente a humanidade faria história, mas desta vez, mais sombria e misteriosa do que qualquer coisa já imaginada antes. Em 2019, NASA e a Coalisão Rússia-Índia-Brasil disputam o espaço em uma corrida tecnológica e política para ver quem será o primeiro a chegar no misterioro objeto chamado de Keanu. Descoberto desde 2016 em rota com a Terra, causou grande alvoroço na comunidade científica ao não ter sua verdadeira natureza descoberta. Não poderia ser um cometa, não poderia ser um asteroide. Não era nada conhecido.

“Um ano após sua descoberta, a natureza de Keanu ainda é objeto de grandes discussões na comunidade astronômica… Ele seria um cometa? Um planetesimal? Um visitante da Nuvem de Oort ou do Cinturão de Kuiper? A maioria dos astrônomos concorda que Keanu tenha sido originado muito além do nosso sistema solar…”

Liderando a equipe da nave Destiny-7 da NASA, o comandante Zack Stewart lida com problemas emocionais não resolvidos com sua filha e com a dor da perda da esposa. Mas os seus problemas aumentam quando ele e sua equipe começam a notar eventos estranhos em Keanu, conforme vão se aproximando do objeto. O que presenciam em Keanu vai além da compreensão lógica, e muitos começam a acreditar estarem sofrendo problemas psicológicos devido à exposição intensa do espaço.

Diante de grandes problemas e risco de a missão falhar, tanto os astronautas da Destiny-7 e da Brahma (equipe da Coalisão) terão de deixar sua rivalidade de lado e se unir, para sobreviverem às revelações que estarão prestes a descobrir. Keanu é muito mais do que parecia ser, e tentar entender sua natureza vai por em contestação muitas leis da ciência, fé, origem da vida e, principalmente, nossa compreensão de importância no Cosmos.


MINHA OPINIÃO

Imagine a seguinte situação: um belo dia, tudo aquilo que você sabe sobre ciência, fé, religião e, principalmente, vida, se mostra incorreto, incompleto, ou até mesmo, sombrio. É por esse caminho que trilha a narrativa de Sombra do Paraíso.  O paraíso sempre existiu, mas esteve o tempo todo ocultado pelas sombras da nossa própria ignorância.

Há algum tempo eu tenho voltado minha atenção mais para livros de ficção científica do que outros gêneros, e tenho notado que muitas das histórias que leio se parecem mais do mesmo. Entretanto, os autores David e Michael conseguiram apresentar uma história plausível, com um bom suspense e muitas, muitas críticas, filosofias e perguntas que ficam na cabeça mesmo dias depois de completar a leitura. Tem pequenos clichês, claro, mas em grande parte, tudo é novidade e misterioso.

“Era por isso que ele tinha estudado estrelas e planetas… por isso ele tinha se tornado um astronauta. Para aprender os segredos do universo… para ver novas maravilhas.”

Aqui vamos conhecer o personagem Zack Stewart, comandante da nave Destiny-7, da Nasa, e sua equipe. O objetivo da missão é pousar em Keanu e pesquisar sua origem, geologia e composição química. Será um grande marco histórico na história da cultura americana desde o pouso na Lua. Porém, a cabeça do personagem ainda estava presa na Terra. Como é apresentado através de flash-backs logo no início da trama, três anos antes, no dia em que foi convocado a comandar a missão, sua esposa Megan e filha Rachel sofreram um acidente de carro. Megan não resistiu e morreu. O relacionamento de Rachel com o pai não era muito bom, e após a tragédia ficou um pouco pior. Agora, diante da missão, Stewart se pergunta se um bom pai não teria recusado a missão e ficado com a filha na Terra.

Já não o bastante, Stewart também precisa lidar com o conflito político que a missão gera. A Coalisão é um rival em potencial e que também enviou uma nave tripulada para pousar em Keanu. Ambos estão em uma corrida para ver quem chega primeiro. Está nas mãos do comandante honrar sua pátria e colocar os EUA mais uma vez no pedestal da conquista espacial. Caso não consiga, não só a Coalisão chegará primeiro, como fará os países membros serem vistos com mais respeito e candidatos a investimentos futuros. Mas nem tudo são flores e logo o que parecia ser uma missão científica tranquila se tornará um grande pesadelo.

Keanu esconde um segredo milenar e que pode balançar os pilares da ciência moderna. O que as missões da Nasa e da Coalisão descobrem lá vão intensificar os debates científicos em todo o planeta Terra, e muitos dos conceitos aceitos como leis universais precisarão ser revistas. O conflito político aumenta, e o caos social pode se instalar a qualquer momento. Orações religiosas se intensificam. O que era para ser uma nova corrida espacial se torna uma corrida pela vida. Interessante notar que quando o livro entra nesse ponto dos conflitos, ele assume o seu lado mais “filosófico” e a todo momento fui bombardeado com perguntas que me levaram a muitos becos sem saída. O drama vivido pelos personagens começou a transcender a história e aos poucos eu estava me sentido aflito com eles. O suspense paira fortemente e cada passo pode ser de vida ou morte.

“Não sei qual dos dois é pior, Houston ou Bangalore. É como se um cone gigante de silêncio tivesse descido sobre ambos os centros. Alguma coisa de muito errado aconteceu com as missões a Keanu e NINGUÉM FALA!”

Os capítulos vão alterando, sem uma ordem necessária, mostrando o que acontece em Keanu e na Terra, nas agências da Nasa e da Coalisão. No início de cada capítulo, também, há epígrafes narrando de forma curta eventos que acontece além das agências, como por exemplo, o comentário de algum internauta que acusa o governo de conspiração, uma matéria de jornal que afirma a chegada do apocalipse, entre outros. Em meio aos conflitos, alguns dos personagens em Keanu se aproximam dos “rivais”, enquanto outros preferem manter a disputa em pé. Ao mesmo tempo, aqui na Terra vemos a transformação da personagem Rachel, que antes não via o pai com bons olhos, mas diante dos novos eventos, passa a entendê-lo e a respeitá-lo mais.

O livro tem um ritmo bom, mas chegou em um momento em que começou a declinar e se tornar cansativo. Para quem já viu o filme Prometheus, vai notar uma grande similaridade em alguns detalhes, como nomenclaturas, desenhos, objetos, ambientação, entre outros. Pode ser apenas coincidência, mas a imagem do filme fica bem vívida na mente. Outra questão que torna o livro um pouco tedioso para perto do final é que de uma hora para outra, os personagens param de descobrir as coisas em Keanu. Acontece uma pequena reviravolta na trama e a partir desse ponto, as surpresas são entregues aos personagens. Todas as perguntas que o enredo poderia ir respondendo aos poucos, são resolvidas em duas linhas de forma direta. Não tem descoberta, apenas a resposta já pronta sendo oferecida.

“O esforço sobre-humano não vale nada, a não ser que atinja resultados.”

É um pouco complicado tentar falar muito desse livro sem correr risco de spoilers, pois a premissa é bem curta, e o resto da trama faz parte de todo o “grande show”. Mas como eu disse no começo, as descobertas em Keanu vão contestar religião, ciência, política e a própria existência do ser humano. É uma longa jornada de conhecimento, então não espere ler este livro em busca de uma aventura espacial ou guerra estelar. A ficção científica se faz bastante presente, e há muitos termos astronômicos, físicos e políticos ao longo das páginas. Assim, é necessário ler cada linha com o grande atenção para não deixar nenhum detalhe importante passar.

A edição está bem adequada trazendo no começo imagens das naves usadas pela Nasa e pela Coalisão, um Dramatis Personae, que é uma seção que lista quais são os personagens atuantes e suas respectivas funções dentro da história e também no final do livro há um glossário contendo todos os termos técnicos, siglas e abreviaturas utilizadas. A capa está muito bonita e o papel é agradável de ler. Sem dúvida, um belo exemplar de ficção científica para se ter na estante.

Se você gosta de sci-fi com temas mais profundos do que apenas aventura, vai gostar de ler Sombra do Paraíso. É uma grande viagem espacial e que é capaz de misturar de forma crível elementos da imaginação com a nossa realidade. É um convite a descobrir novos horizontes e a expandir a mente para uma conscientização global de que, por mais avançados tecnologicamente sejamos, ainda temos muito a aprender sobre nossa própria existência dentro do universo.

4estrelasb

SOMBRA DO PARAÍSO

Autor: David S. Goyer e Michael Cassut

Editora: Aleph

Ano de publicação: 2016

No ano de 2016, cientistas descobrem um astro de natureza desconhecida se aproximando da Terra. Batizado de Keanu, ele logo se torna o destino de uma corrida espacial em pleno século 21. A NASA e a coalizão Rússia-Índia-Brasil passam a concorrer entre si, em uma missão de descobrimento científico temperada com intrigas políticas. Em meio a conflitos pessoais e familiares, o comandante norte-americano Zack Stewart e sua tripulação enfrentam uma perturbação na já complicada rotina no espaço. Keanu é muito mais do que aparenta, e logo os cosmonautas da Destiny-7 e da Brahma veem sua importante missão se transformar em uma aventura perigosa, sem precedentes na história da humanidade. Com um enredo misterioso, envolvente e inquietante, Sombra do paraíso é o primeiro volume da saga de Keanu, escrita a quatro mãos por dois grandes nomes do cinema e da televisão. Uma obra surpreendente, rica em detalhes sobre viagens espaciais e indispensável para todos os amantes das ciências e de aventuras no espaço.

É colaborador do Resenhando Sonhos.
Catarinense, Publicitário formado pela UNOESC, apaixonado por sci-fi, distopias e suspense policial. Fã de Arquivo X e Supernatural, sonha um dia encontrar os aliens.