Spirit Animals: Laços de Sangue – Garth Nix & Sean Williams

Laços de Sangue é o terceiro livro da série Spirit Animals, lançada aqui no Brasil pela editora Fundamento. Os livros anteriores, Nascidos na Selva e A Caçada, já foram resenhados por aqui e, nessa série, cada um dos volumes é escrito por um autor, sendo esse terceiro de autoria de Garth Nix e Sean William.

Sobre o Livro

*Esta resenha contém spoiler dos livros anteriores.

Depois de passarem por maus bocados para conseguir o medalhão antes do aliados do Devorador, Conor o entregou ao inimigo para salvar sua família, causando uma quebra entre eles. Nem quando se juntaram pela primeira vez, quando sequer se conheciam, o clima foi tão de desconfiança como está agora. E, para piorar, Meilin também os abandonou, partindo em direção a sua terra para tentar encontrar o seu pai e ajudar seu povo.

Abeke, Conor e Rollan partem então na busca de uma terceira grande fera, porém a jornada vai se tornar bastante complicada quando eles percebem que para chegar até esse amuleto, terão que passar primeiro por um povo um pouco estranho que guarda a passagem. Desafios aparecerão em seus caminhos e, quando a confiança entre eles seria uma arma poderosa, ela simplesmente não existe.

“As pessoas que amamos são nossa força, mas também são nossa fraqueza.”

20160715_162258

Enquanto os três seguem sua jornada, Meilin também enfrentará seus próprios problemas para alcançar seu objetivo, encontrando em um lugar inesperado uma aliada. Num livro marcado por reencontros importantes e decisões influenciadas pelos laços de sangue, eles se encontrarão pela primeira vez realmente frente a frente com o inimigo.

Minha Opinião

Digo com certeza que esse é entre os três livros o mais maduro e conciso da série até agora. Nascidos na Selva e A Caçada foram livros satisfatórios, mas tinham uma linguagem mais simples e essa simplicidade acabava se estendendo também no desenvolvimento da história. Aqui, diferente dos outros livros onde o sentimento de união prevalece, é possível ver o quanto a dúvida está entre eles. O elo da profecia que os unia quebrou quando dois deles acabaram por escolher a família ao invés da missão.

Acho que também tivemos uma consolidação das personalidades aqui. A Meilin sempre foi aos meus olhos a mais arrogante entre eles, e claro que isso era um reflexo da forma como ela foi criada e da rigidez que vem de berço. Enquanto o Rollan, que é o meu personagem favorito, sempre esteve com um pé atrás com tudo, por ser um garoto de rua e conhecer todas as incertezas que isso traz. E é exatamente nesses dois personagens que vamos ter um foco maior aqui. Conor é quase como um líder, mas é no conflito de Rollan e Meilin que a história se sustenta de forma mais interessante.

“Uma vozinha em sua cabeça sussurrava  um constante pensamento de desânimo: ‘vou morrer, vou morrer, vou morrer’.”

20160715_162230

Principalmente porque começou a pairar sobre esse dois uma aura de interesse mútuo e, além do deslize grave de Conor, Meilin ter abandonado o grupo foi um grande golpe para Rollan. Por mais que mantivesse suas ressalvas, acredito que Rollan estava começando a ver nos Casacos Verdes e na presença constante daqueles “amigos” algo parecido com uma família, e ter isso tirado dele com toda a certeza surtiu como efeito fazê-lo recuar novamente. Já a Abeke, que teve destaque no último livro, foi uma das mais apagadas aqui, manifestando presença somente em alguns momentos bem específicos.

Em Laços de Sangue também vamos ter finalmente o primeiro confronto frente a frente com nosso vilão, o Devorador. Sendo só mencionado e nunca realmente entrando na linha de luta, dessa vez ele estará em batalha e enfrentará nossos pequenos heróis pela posse do medalhão. Por mais que ainda haja uma certa distância entre eles, já fica mais claro ver o domínio ou poder do inimigo e isso ajuda a dar mais dimensão para a história.

Como já é de costume, foi uma leitura muito rápida e prazerosa de se fazer. Sabe aqueles livros mais leves que são bons pra intercalar entre leituras mais pesadas ou que não foram tudo aquilo que esperávamos? Spirit Animals super cumpre esse papel, agradando tanto o leitor mais experiente ou aqueles que estão começando a se aventurar pelo mundo da leitura.

Infelizmente até o momento não temos mais livros da série publicados aqui no Brasil, mas espero que a Fundamento possa trazer em breve as continuações, para que possamos seguir acompanhando Conor, Abeke, Meilin e Rollan em sua jornada!

4estrelas

20160715_154018

A busca dos Casacos Verdes pelos quinze talismãs mágicos de Erdas continua, porém a harmonia não reina mais no grupo desde o retorno de Meilin a Zhong, sua terra natal. Mesmo assim, Conor, Abeke e Rollan a seguem, pois precisam encontrar o Elefante de Ardósia, talismã de Dinesh. Enquanto isso, os Conquistadores, servos do inimigo Devorador, estão ganhando poder e territórios e, aparentemente, nada consegue detê-los.

O cerco está se fechando e uma grande batalha está prestes a acontecer. Desafios ainda maiores esperam nossos heróis e suas grandes feras. A habilidade de cada um dos quatro amigos em se conectar com seu espírito animal será testada ao limite.

Mas será que os quatro guerreiros vão compreender, de uma vez por todas, que juntos eles são muito mais poderosos do que sozinhos? E essa união será suficiente para sobreviver à primeira grande batalha contra o inimigo?

 

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.
  • ADRIANA HOLANDA TAVARES

    Poxa flor eu estou fugindo um pouco de leituras juvenis, não me incomodei de maneira alguma por ser o terceiro e poder me dar algum spoiler não. Mas concordo com você que esse é um livor para ler quando você qyer dar uma válvula de escape de leituras mais densas!

  • Matheus Nunes

    Quero começar essa série ainda esse ano, parece super divertido e é sempre bom ler um livro mais leve pars variar.

  • Naiara Fidelis

    Não conhecia esses livros mais confesso que achei as capas uma graça.
    Gostei da resenha mesmo eu não estando muto no clima para ler livros infantos juvenis.

  • Daiele

    Tá, eu não li para não pegar spoilers, pq ainda nao li nem o primeiro livro, haha. Mas to cada vez com mais vontade de ler essa série, pq pelo que percebi vc esta gostando, e se vc gosta, tenho certeza que é uma boa indicação.
    Acho que é a primeira série que vejo que é um autor diferente que escreve cada livro, achei bem interessante isso.

    beijos

  • Mariana Ogawa

    eu já tinha visto essa série em algum canto, achei a capa uma fofura!!! e fiquei super curiosa para ler
    e acho q vou seguir sua dica: ler depois de uma leitura mais pesada

  • Fernanda Rodrigues Mendonça

    Eu vi essa série pra vender no amazon gringo, e quase comprei junto com o segundo ciclo de Gatos Guerreiros, mas o frete deu 120 golpes e eu desisti hahaha Não sabia que já tinha ele traduzido! E émuito bom saber que é de qualidade, também. Espero poder ler um dia. Adoro séries em que o autor sabe trabalhar o amadurecimento dos chars

  • Nicolas Braga

    Adoro livros juvenis com leitura rápidas e simples! Amei essas capas! Quero ler esses livros logo logo!

  • Thaina Nunes da Silva

    Nunca tinha visto esse livro antes , mas parece ser bom, gostei da edição dele .