Sway – Kat Spears

Sway é um livro de autora americana Kat Spears, lançado aqui no Brasil em 2016 pela editora Globo Alt.

SOBRE O LIVRO

Tudo começa quando o capitão do time de futebol americano tem um certo interesse pela garota que ninguém nunca notou, aquela que é invisível aos olhos dos populares da escola. Ele está na turma de populares e gosta muito de chamar a atenção por onde passa, já ela, nunca se importou muito com isso, apenas gosta de cuidar da família e de ser bondosa com todos. Vendo assim, parece uma história de amor comum nos livros, um romance que tem tudo para superar barreiras em prol para ficarem juntos. Porém, Ken Foster não sabe como chamar a atenção da doce Bridget Smalley, afinal, ela já não aceitou sair com ele uma vez. E é ai que Ken resolve consultar Sway, ou melhor, Jesse Alderman.

Jesse tem fama de conseguir qualquer coisa pra você em troca de dinheiro. Ele não é “apenas” um traficante de drogas no colégio, ele também consegue trabalhos escolares prontos e outras coisas lícitas e ilícitas. Ele é quem você deve procurar caso esteja com algum problema, e o de Ben é que ele quer ter um encontro com Bridget. Jesse quer ser necessário e respeitado naquele universo escolar e é por isso que ele aceita o a proposta de Ben, afinal, é muito fácil armar um encontro para um caso, certo? E seria ótimo ter um popular em sua mão, pois nem sempre o dinheiro o interessava, e sim alguém também dever um favor pra ele.

“O verdadeiro poder, na prisão e no colégio, não vem de dizer às pessoas quando fazer o quê. O verdadeiro poder está na habilidade de conseguir para os internos o que eles desejam – coisas que eles não devem ter – , o que por acaso é um talento particular meu.”

Porém, nem em seus melhores (ou piores) sonhos Jesse imaginou se apaixonar justamente por Bridget. Ao tentar colher maiores informações sobre a mocinha, para então passar para Ben ele acaba se aproximando mais do que deveria. Será que Sway irá amar pela primeira vez?


MINHA OPINIÃO

Esse livro me torceu o nariz antes de começá-lo por causa das críticas negativas que eu havia lido sobre, mas gosto de ler histórias que não agradam muita gente, pois se eu não gostar, vai ser uma surpresa. Geralmente me decepciono com livros que estavam com um buzz alto, e isso me deixa chateada. Porém, Sway foi uma leitura diferente eainda não sei se gostei ou não. Mas, com certeza é uma história com muitas qualidades. A escrita da autora é bastante fluida e sendo narrado em primeira pessoa temos bem a perspectiva dos personagens.

Os personagens dessa história são o ponto forte de tudo. Começando pelo Jesse, que aprendemos a amar e odiar. Ele é aquele típico personagem com um humor bem ácido, cheio de tiradas e sarcasmo. Jesse não é de gênio fácil com seu ego de superioridade, o que me incomodou bastante no começo. Ben também não é flor que se cheire. Quem afinal contrata alguém pra descobrir o gostos de uma pessoa que você gosta? Que você tem interesse? No mínimo, Ben pensava que por ele ser popular, não podia tomar um “toco” de uma garota normal, aquela que ninguém havia notado.

Já Bridget é uma das únicas ali com um coração bom. Ela é esforçada em tudo o que faz, e sempre faz por amor. Ela cuida do seu irmão Pete, que possui paralisia cerebral e nem por isso ela se vê afetada pelos problemas da vida. Além de tudo isso também faz trabalho voluntário.

“No mundo real, a Bela não se apaixona pela Fera e vive feliz para sempre. No mundo real, a Fera transa com a Bela. A Fera quebra o coração da Bela. A Bela entra num comportamento autodestrutivo como dormir demais nas aulas da faculdade, aumentando assim o impacto emocional negativo provocado pela Fera. Era uma história triste.”

Apesar de saber que o foco do livro é no Sway e todo seu jeito louco de ser, esse foi meu maior incomodo durante a leitura. Haviam tantos outros problemas a serem explorados melhores pela autora. Gostaria muito que coisas como padrões de beleza, preconceito contra deficientes fossem mais exposto pela Kat. E também ver ela explorando mais sobre os personagens secundários, como por exemplo a família de Jesse, que obviamente tem uma influência muito grande em sua maneira de ser.

Confesso que o Jesse tinha tudo pra ser um personagem adorado, afinal ele tentou se redimir dos seus erros, mas eu não conseguia gostar dele em todos os momentos. Esse é um daqueles livros onde o romance não deveria ser o foco da história, pois há outras coisas importantes cercando a trama principal.

Por isso esse ainda permanece sendo um livro que eu não sei se gostei ou não. Talvez a autora tenha a intenção de cair de cabeça só no romance, por isso deixou algumas outras potenciais histórias de lado? Apesar de que na minha opinião, elas tinham só coisas boas para agregar. Recomendo esse livro apesar de tudo, pois como disse no começo da resenha, gosto de leituras que nos tiram da zona de conforto e nos colocam para pensar no livro em si, pensar em pontos que mudaríamos na história, ou tentar ver pelo ponto de vista da autora e o porque daquelas escolhas.

SWAY

Autor: Kat Spears

Editora: Globo Alt

Ano de publicação: 2016

Sway é o apelido de Jesse Alderman, por causa de seu talento para conseguir qualquer coisa para qualquer pessoa, como providenciar trabalhos escolares, fazer com que pessoas sejam expulsas da escola, arrumar cerveja para as festas, entre outras coisas, legais ou ilegais… É sabendo dessa fama que Ken Foster, o capitão do time de futebol da escola, pede a ele um trabalho controverso: Ken quer que Bridget Smalley saia com ele. Com seu humor ácido e seu jeito politicamente incorreto de ver a vida, Sway terá que encarar o trabalho mais difícil que já teve: sufocar todos os sentimentos que Bridget desperta nele, a única menina verdadeiramente boa que ele conheceu em toda a sua vida.

É resenhista do Resenhando Sonhos.
Nascida no interior Paulista, futura cientista da computação, se apaixonou por literatura quando conheceu o bruxo Harry Potter e o vampiro Edward Cullen. Adora ir no cinema e assistir séries em dias chuvosos.

  • Nayane Evylle

    Oi Erika. Não tinha visto esse livro ainda e nem comentários sobre ele. Gosto de romances, mas quando são bem localizados e não mal inseridos. Gosto de personagens como o Jesse, mas sarcasmo demais me irrita na leitura, além de grau de superioridade.
    Não me agradou muito a narrativa, mas valeu pela indicação ;)

  • Natalí Marques

    Olá!
    Não conhecia esse livro. A premissa pareceu ser bem clichê, mas gosto de livros que se passam em ambiente escolar. Gostei dos seus comentários, mas não sei se é algo que eu leria.
    Beijos

  • Lili Aragão

    Pra falar a verdade não consigo decidir se quero ou não ler esse livro e tô como você que não sabe se gostou ou não, as vezes me pego interessada e outras não rsr, mas curti sua resenha. O protagonista parece ser bem complexo e os outros personagens duvidosos a exceção de Bridget e fiquei um pouco curiosa sobre os problemas que foram pouco explorados.

  • Gislaine Lopes

    Oi Erika,
    Já havia visto a capa deste livro por aí, mas não estava esperando este tipo de história. Ao começar a ler sua resenha achei que se tratava de mais um romance cheio de clichês (o que vou ressaltar não acho ruim), mas a autora conseguiu chamar minha atenção. Jesse é o tipo de personagem para odiar em um capítulo e amar no seguinte e este tipo de inconstância me irrita as vezes. Gostei de Bridget, uma protagonista simples, com problemas reais e de bem com a vida. Uma pena a autora não ter explorado de uma forma diferente o enredo e ter feito desta história algo mais notável e de grandes lições.

  • Manu Cardoso

    “Tudo começa quando o capitão do time de futebol americano tem um certo interesse pela garota que ninguém nunca notou […] Porém, nem em seus melhores (ou piores) sonhos Jesse imaginou se apaixonar justamente por Bridget.”
    Parece o tipo de livro que pode ser um clichê super gostosinho e fluído, mas não fiquei convencida. Como desses já tem muito por aí, vou focar nos altamente recomendados! =)
    Bjs

  • Rafaela Saturnino

    Eu não conhecia esse livro, nunca vi nada sobre ele… Mas não fiquei com muita vontade de ler ele não. Achei a história até um pouco interessante, mas acho que os personagens vão me incomodar um pouco. Já não gostei muito do Jesse, acho que esse jeito dele vai me irritar um pouco. O Ken (é ken ou ben o nome dele? hahaha) nem merece comentário, a única que salva é a Kat, acho que eu iria gostar dela. É uma pena que a autora não explorou tanto esse livro, pelo jeito ele poderia ter sido muito melhor…

    Beijos!

  • Gabriela Souza

    Oi! Já li outras resenhas sobre esse livro e foram negativas também. Tenho quase o mesmo pensamento que tu, gosto de ler livros e tirar minhas próprias conclusões. Já li livros que toda alma viva falava super bem mas que eu odiei. Que pena que a autora não explorou outros pontos durante o livro que podiam ter sido explorados. Se eu estiver em uma ressaca literátia talvez eu resolva dar uma chance ao livro. Beijoss

  • Camila Rezende

    Nunca ouvi falar desse livro, mas parece aquelas estórias bem cliche.
    Sei bem como e ler um livro e não ter uma opinião formada sobre ele, um dia gosta e no outro não.

  • Vitória Silva

    Nunca tinha ouvido falar desse livro e parecerca ser um cliche, mas quem sabe pode ser legal

  • Micheli Pegoraro

    Oi Erika,
    Não conhecia esse livro, e confesso que fiquei bem indecisa sobre ele, não sei se vou chegar a ler algum dia. Pelo que li, essa história teria tudo para ser clichê e previsível, onde o cara contradado para descobrir mais dos gostos da garota acaba se apaixonando por ela. Se a história fosse assim eu até daria uma chance, pois seria uma leitura gostosinha e leve de ler. Mas o que mais me desanimou é saber que tantos assuntos que tinham potencial para agregar melhor a história não foram bem explorados pela autora. Outro ponto que me deixa com uma pulga atrás da orelha são os personagens em si. O Ben é difícil de aturar, mas o Jesse pelo que li, não é diferente, ai fica difícil ser conquistada pelo romance.
    Beijos