Temporada dos Ossos – Samantha Shannon

Temporada dos Ossos é o primeiro livro da série Bone Season, da autora Samantha Shannon. A publicação é de 2016 pela Fantástica Rocco.

Sobre o Livro

Paige Mahoney é uma hacker, mas não do tipo comum. Seu dom era invadir a mente das pessoas. Em uma Londres futurista dos anos 2059, agora Scion Londres, ela é o que todos chamam de clarividente, os desnaturais. Porém, há mais de 100 anos, todos que nascem com o dom são considerados inimigos e caçados, desaparecendo de vista.

Paige mantém um disfarce dizendo trabalhar em um bar de oxigênio, porém na verdade está trabalhando no submundo para um mime-lorde. Ele testa os poderes dela e também seus limites. A garota ainda não sabe bem o que pode fazer ou até onde pode ir. Existem dezenas de tipos de clarividentes e Paige é um entre deles.

“Gosto de imaginar que haviam mais de nós no início. Não muitos, suponho. Apenas mais do que existem hoje.”

Picture_20170116_214653874

Porém um dia algo dá errado e a garota é capturada. Quando acorda ela está em Oxford, um lugar que havia sido varrido do mapa há muito tempo, mas que aparentemente esconde mais coisas do que o governo conta. Lá vivem os Rephaim, uma raça antiga e ameaçadora que diz estar ali para proteger os humanos de um mal maior. Mas não é isso que Paige vê. Os clarividentes são postos em treinamento, mas tratados como escravos, com crueldade; e aqueles que não possuem dom algum ou foram parar ali por engano, tem um destino ainda pior.

Ela vai parar nas mãos de Arcturus, um poderoso e respeitado Rephaite e logo descobre que algo é esperado dela além do treinamento comum. É então que Paige terá de buscar formas para sobreviver a todos os testes, além de encontrar respostas e uma forma de escapar, pois sua vida e liberdade dependem disso.


Minha Opinião

Se você quer uma palavra para definir esse livro, a que eu lhe dou é confusão. Não há como começar a descrever de outra forma. Mas isso não é algo ruim, pelo menos pra mim. Esse é o primeiro livro do que espera-se ser uma série. Lá fora já saíram três livros e esperamos a publicação da continuação ainda em 2017 pela Rocco.

O que Samantha Shannon fez aqui foi um extenso e brilhante trabalho de world building. Há um rico e amplo mundo a ser explorado, mas é preciso bem mais que um livro pra se sentir confortável vivendo nele. Nas primeira páginas me senti inundada de informações que eu mal conseguia absorver e, tenho certeza, muita coisa passou batida. Apesar de um diagrama inicial com a classificação das classes de clarividência, não há como compreender tudo de uma vez. São só nomes, dezenas deles, sem definição.

“A esperança é a única coisa que ainda pode salvar a todos nós.”

Picture_20170116_215307185

Conforme caminhamos ao lado de Paige mais e mais coisas nos são apresentadas. Algumas a protagonista sabe o que são e é tudo muito breve e outras ela também desconhece e é ai que recebemos algumas respostas. Porém nada é claro e há muito o que explicar. Seria impossível esclarecer todas as dúvidas e ainda assim conduzir a história nessa quantidade de páginas, e é por isso que eu entendo e não recrimino a confusão. Mas ela está lá e eu sei que não vai ser todo mundo que vai se dar bem com ela.

Paige é uma garota esperta. Ela descobriu que era uma clarividente há um tempo e desde então tem se mantido viva da melhor forma possível. Sua junção com o submundo nos será contada em um momento oportuno na história, quase como uma “história de origem” da personagem, e é bem importante compreender todo o contexto pra medir o peso de algumas relações aqui.

A única família de sangue de Paige é o pai e ele trabalha para o governo, não sabendo o que ela é. Ele quer bem mais pra ela do que ela está disposta no momento e isso faz com que a relação dos dois seja distante. Sua maior conexão são com os outros sobre a proteção do seu mime-lorde, e que agem nesse submundo.

“- O que é o éter?
– O infinito. Nós viemos de lá, vivemos dentro dele e, quando morremos, voltamos pra lá.”

Picture_20170116_215402484

Oxford e o Rephaim pra mim ainda deixaram muitas dúvidas. Há mais de 100 anos uma fenda no éter se abriu. Nesse limbo viviam duas raças, os Rephaim – ditos bons -, e os Emim – os maus -. Quando essa abertura surgiu os Rephaim vieram para o nosso mundo afim de vigiar a fenda do nosso lado e proteger o mundo da invasão desses outros seres. Porém, para tal, eles cobraram um preço. De 10 em 10 anos acontece a Temporada dos Ossos, que nada mais é do que uma colheita. A Scion entrega a eles todos os clarividentes capturados, para que eles sejam usado pelos Raphaim com arma e como escravos nessa proteção.

Exatamente o que são, como isso funciona, se eles são realmente bons ou ruim, sua real aparência e a estrutura da coisa, é bem complicado explicar. Quando os clarividentes chegam lá há uma cerimônia de escolha e cada um deles vira um número a ser escolhido por um treinador. Ao passar pelos testes seu nível avança, assim como a cor de sua hierarquia, até que eles virem soldados. Mas como há tipos diferentes de clarividentes, também há tipos diferentes de funções e é ai que Paige se sobressalta, pois o seu tipo é algo raro.

Mas isso é barbada perto de entender o que significa essa clarividência, o éter, sentir os planos oníricos, alcançar outras pessoas, usar poltergeists, espíritos ardilosos, possessão e tudo mais. Vá com calma, é necessário aqui. Tem muita coisa e isso é algo muito bom, pois significa que há o que ser explorado. O problema é que o leitor fica ainda muito distante da trama, mesmo que intrigado.

Mas, não foi a confusão que tirou o brilho da história pra mim, foi a linearidade da trama principal. O mundo é enorme e fantástico e é necessário que a história sobreposta mantenha o mesmo nível, o que eu não achei que aconteceu. A jornada é muito comum e até clichê. Menina com poderes é capturada > descobre um novo mundo > descobre que é especial > cai nas mãos de um homem misterioso > não é maltratada como os outros > sabe que esse homem tem segredos > quer fugir > logo…? Se você já leu um livro que tenha um rumo semelhante, sabe como esse livro acaba, na obviedade do objetivo inicial. E, foi isso que prejudicou a trama.

Picture_20170116_215145800

Eu adoro mundos bem feitos, mas a história precisa ser surpreendente e com reviravoltas também. Não há plot twist ou surpresas, tudo é entregue com pistas e Paige é completamente inconsequente e reclamona. Ela está na posição mais privilegiada e se acha muito ofendida, quando se estivesse no lugar de qualquer outro já teria sido espancada e maltratada umas 20 vezes por suas reclamações. Não estou dizendo que é errado reclamar, mas fazer isso na sua cabeça e não gritando para o Rephaim poderoso e imortal que pode arrancar o ossos de seu corpo a qualquer momento. Mas, como bom clichê, há poucas consequências aqui para os seus atos, devido aos privilégios. Pra ela, porque tem muita gente se ferrando ao seu redor que não tem nem 10% da mesma sorte.

E, no final do livro há um romance que também é bem óbvio e que vemos acontecendo ao longo da narrativa, pois não poderia ser diferente segundo os rumos da história. Eu até não me incomodei com o fato em si, apenas com a forma clichê que acontece. Também esperei por algo surpreendente no final e apenas tivemos o fim da jornada estabelecida como objetivo. E isso me decepcionou um pouco, porque por mais que tenha ficado encantada com o mundo, precisava que algo viesse pra dar um gás na trama principal.

Temporada dos Ossos é um livro pra quem tem paciência de mergulhar em uma história pra realmente aprender sobre um novo mundo. O background é muito mais interessante do que a trama de Paige e os rumos da sua história deixam um pouco a desejar. Fiquei curiosa pelo que virá, mas muito mais por me aprofundar um pouco mais no universo de Samantha Shannon e descobrir tudo o que eu puder sobre ele. Pretendo continuar a série, pois fiquei intrigada e acho que o excesso de informações que precisava ser passada pode ter prejudicado na hora de contar a história por cima disso e que em um segundo livro, isso pode ser resolvido.

Se você gosta de fantasia contemporânea e está em busca de algo bem diferente pra ler, esse é um livro pra isso. Realmente sair do conforto da história entregue em uma bandeia de prata para ter que ir desbravar a trama em busca de respostas. Sei que tem muita gente que não gosta disso ou tem dificuldade com livros assim e acaba abandonando, então tenha isso em mente na hora de dar o start nessa série.

TEMPORADA DOS OSSOS

Autor: Samantha Shannon

Editora: Fantástica Rocco

Ano de publicação: 2017

Distopia com uma pegada sobrenatural são os ingredientes da série Bone Season, de Samantha Shannon, que chega ao Brasil pelo selo Fantástica Rocco. Ambientada em 2059, a trama acompanha a protagonista Paige Mahoney, uma andarilha onírica, alguém capaz de entrar na mente das pessoas e captar pensamentos e fragmentos de sonhos. Considerada traidora pelo governo, Paige paga por seu dom com a sua liberdade e é enviada para uma prisão secreta em Oxford. Lá, ela conhece os Rephaim, criaturas de uma raça antiga que desejam controlar a clarividência de Paige e de outros como ela, e precisará aprender a confiar em aliados improváveis não só para reconquistar a liberdade, mas garantir a própria sobrevivência. Considerada um dos principais nomes da literatura de fantasia dos últimos tempos, Samantha Shannon entrega aos leitores um romance surpreendente e arrebatador.

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.
  • Lucas Ribeiro

    Esse livro foi muito falado no booktube gringo e até estava me interessando, mas aí… Primeira Pessoa, e acabei perdendo o interesse. Não sei, mas me pareceu um livro de uma complexidade muito grande pra ser preso à narrativa em primeira pessoa. Tirando isso, depois que vi alguns vídeos sobre ele, decidi dar uma chance, tentar fazer as pazes com os livros os o narrador é o personagem. Inclusive um dos fatores que me levou a querer ler a obra é a mitologia dos clarividentes e dos reinos paralelos, me parece muito interessante…llll

  • Gislaine Lopes

    Oi Tamirez,
    Como a história se passa no futuro eu estava imaginando algo bem mais no estilo ficção científica, mas o livro trás muitos elementos de fantasia, mas com uma ambientação bem rica e construída. Eu já tinha lido resenhas desse livro, mas nunca entendi muito bem qual era a proposta da autora, pois toda a trama me parece ser bem complexa e composta de muitos elementos diferentes. Mesmo com sua resenha (bem explicativa por sinal) sinto que só vou extrair a essência do livro quando eu ler. Fiquei, sim, muito intrigada com a construção deste universos e os personagens mesmo sabendo que não será uma leitura de fácil compreensão.

  • Lara Caroline

    Oi Tamirez, tudo bem?
    Este livro tinh tudo para ser muito bom, é uma pena que a autora não criou grandes reviravoltas para surpreender os leitores. O livro é realmente bem confuso mesmo rsrsrs mas o mundo criado é muito bom.
    Beijos

  • Rissia Ribeiro

    Oi mana, bem deu pra ver que nas primeiras paginas tem uma porrada de informações e entendo porque você deu a palavra confuso por livro, até porque quando pegamos um livro a gente espera entender bem o enredo. Eu confesso que na sua resenha eu esperava bem mais em relação ao enredo porque são livros altamente bem comentados em outros países. Mesmo não sendo O livro ainda quero lê-lo e já fico na esperança de o segundo ser melhor.

  • rudynalvacorreiasoares

    Tamirez!
    Uma realidade futurista, já me interessou…
    Realmente é um tanto complicado a questão dos clarividentes.
    Muitas comunidades, muitos lugares, muitos povos, vixe!
    Sociedade opressora e que se utiliza dos clarividentes, isso deu para entender.
    É
    verdade, muita informação e muita confusão, ainda bem que leio com um
    caderno do lado, porque caso contrário, quando for ler, vou me perder…
    Pelo menos tem um diagrama no livro.
    Pelo jeito ela é uma clarividente bem especial.
    Apesar de toda essa confusão, é bem curioso a forma como tudo que é demonstrado e gostaria de ler.
    cheirinhos
    Rudy

  • Marta Izabel

    Oi, Tamirez!!
    Adorei a resenha e fiquei bem interessada em saber mais dessa história que tem clarividência na história !! Adoro livros de fantasia e esse que se passa em um realidade futurista parece ser bem legal!!
    Beijoss

  • Bruna Prata

    Até eu fiquei confusa ao ler a resenha, mas uma curiosidade enrolada em forma de interesse. Creio que nunca li uma fantasia contemporânea nesse estilo, então só consigo conter interesse direcionado a essa obra.