Tudo Junto e Misturado – Ann Brashares

Tudo Junto e Misturado é um livro da autora Ann Brashares. Seu lançamento é de 2017 pela editora Seguinte.

Sobre o Livro

Sasha e Ray têm muitas coisas em comum. São praticamente da mesma idade, compartilham três meias-irmãs mais velhas, construiram juntos uma cidade de lego quando eram crianças, dividem o creme dental, a cama, a casa, os problemas familiares. A grande questão é: embora se conheçam muito bem, eles nunca se viram pessoalmente.

Isso porque o pai de Sasha e a mãe de Ray foram casados, mas o casamento se desfez e agora eles compartilham as filhas, as discussões e a casa de praia onde ficam em semanas alternadas. A forma como tudo terminou influencia a vida de todos até hoje, muitos anos depois. Essa relação conturbada é motivo de dúvidas, ressentimentos e talvez o principal motivo para que Sasha e Ray nunca tenham tido coragem para se encontrar. E sem dúvidas é a principal razão para que essas duas famílias, mesmo dividindo tantas coisas, nunca tenham ficado juntas sob o mesmo teto.

” – Tem casais que se divorciam de maneira amigável. Continuam amigos. Jantam juntos. Viajam nos feriados, compartilham as férias. Conheço um monte de gente assim. Nossos pais não ficam a menos de trinta metros um do outro há mais de vinte anos. O que aconteceu com eles? E por que não podem nos contar?”

As coisas mudam quando Sasha e Ray sem querer se encontram. E a partir daí tudo vai se transformando, porque um acontecimento exige que, no verão,  as famílias deem um jeito de estarem juntas na casa de praia. Existem coisas que precisam ser celebradas, certo? Mas quando todo mundo se junta, embora cheios de boas intenções… O impensável pode acontecer.


Minha Opinião

Este livro começa de maneira muito confusa. Embora tenhamos uma espécie de ‘glossário’ explicando quem é quem e onde cada pessoa se encaixa, a compreensão vem lenta e é devagar que as coisas começam a fazer sentido. Sem dúvidas um recurso pensado pela autora para que o livro desperte no leitor justamente os sentimentos dos protagonistas. Eles estão confusos, perdidos. Não poderia ser diferente em uma família como essa.

Robert se casou com Lila e juntos tiveram três filhas, que não poderiam ser mais diferentes entre si. Quando o divórcio chegou e eles começaram a se relacionar com outras pessoas, Robert teve outra filha – Sasha, e Lila um filho – Ryan. Três irmãs fazendo uma ponte entre um ex- casal que vive brigando e entre dois jovens que chegaram depois e herdaram toda essa confusão.

O que acontece quando esses jovem não querem ter nada a ver com isso? Eles começam a conversar. A princípio de maneira sutil, afinal, não tinham sequer trocado números de telefone. Por conta disso a comunicação se estabelecia através da marcação deixada em um livro; que seria lido pelo outro depois. Ou através da cama desfeita; que ainda guardava o cheiro de quem dormiu ali na noite anterior. Ou até mesmo no emprego que passaram a dividir, indo em dias alternados para a mercearia chique e sendo apenas um funcionário, mesmo quando eram duas pessoas distintas. Curioso, não é?

“E apesar do desejo secreto de Ray, nunca se encontraram. Mantinham meia vida entre meia família em meia casa por meio ano. Se você juntasse os dois lados, ia ter um todo. Mas isso nunca acontecia.”

A história vai seguindo desta forma, mostrando os desdobramentos dessas vivências como se elas fossem um emaranhado de fios coloridos que de tão entrelaçados deixam a sensação de que nunca irão se separar, mesmo que não façam sentido daquela maneira. A autora vai aos poucos puxando um a um, e a narrativa, que acontece em terceira pessoa justamente para permitir um distanciamento saudável para o leitor, vai mostrando mais dos dois protagonistas conforme alterna os pontos de vista. A trama vai fazendo sentido a partir do momento que os personagens secundários se apresentam, mostram suas particularidades e começam a compreender a própria situação.

Três personagens ganham muita força no livro, sendo os dois protagonistas e uma das irmãs, Quinn. Ela tem um papel que vai ganhando destaque aos poucos, aparecendo sempre de maneira inusitada, com um jeito todo peculiar, como se ela fosse feita da junção de sensibilidade, misticismo e muita paciência. É aquele tipo de personagem que nos arrebata e consegue ganhar um lugar com visibilidade maior do que os próprios protagonistas, e esse foi um ponto quer amei no livro. A maneira como ela servia de ponte segura para as duas partes da família, como se fosse o único – frágil- elo que ainda os mantinha ligados.  Ela não toma partido, pois prefere ficar ao lado de todos; e é aquele tipo de pessoa que sempre consegue o que deseja.

“É uma coisa muito triste da natureza humana. Passamos muito mais tempo pensando no que não temos ou no que perdemos do que pensando no que temos.”

Eu achei genial que a autora tenha colocado alguém simples e singelo no meio de toda a confusão que a família representa, e aos poucos percebi que o objetivo dessa personagem talvez fosse exatamente esse: trazer uma espécie de paz, ou, pelo menos, um acordo tácito entre um ex casal que se odeia; além de acrescentar à narrativa um toque de ternura que acaba sendo muito necessário. Isso porque, embora a capa deixe a sensação de que a leitura será fofa e fácil, esse é um livro com uma carga dramática daquele tipo capaz de arrancar muitas lágrimas.

Confesso que, para mim, foi difícil aceitar o motivo que causa essa comoção no leitor. Particularmente não gostei, achei desnecessariamente trágico e fiquei com uma sensação de tristeza ao finalizar o livro. Claro, no final, tudo faz muito sentido e a gente entende que certas situações precisam de uma sacudida mais drástica para que se transformem; é isso que acontece em Tudo Junto e Misturado. Aqui a arte imita a vida, que segue uma direção e muda repentinamente. Depois, muda de novo, e de novo, e de novo. Cabe a nós decidir se a mudança é boa ou não. E cabe ao leitor, no final deste livro, dar nome aos sentimentos que ele é capaz de despertar em nós.

Se o que você busca é uma história que ao mesmo tempo consegue ser alegre e triste; confusa e cheia de sentido; bonita, mas salpicada com um toque da feiura que pode habitar um coração cheio de rancor e mágoa; esse livro é para você. Se o objetivo é mergulhar de cabeça em uma história que cativa, emociona e parte o coração – dando subsídios para que ele se cole depois; leia este livro.

TUDO JUNTO E MISTURADO

Autor: Ann Brashares

Editora: Seguinte

Ano de publicação: 2017

Sasha e Ray sempre passam o verão na velha casa de férias da família. Desde pequenos, os dois dividiram muitas coisas — leram os mesmos livros, correram pela mesma praia, comeram pêssegos colhidos na mesma fazenda, tomaram café da manhã sentados à mesma mesa. Até dormiram na mesma cama, mas nunca ao mesmo tempo. Afinal, eles jamais se encontraram. O pai de Sasha um dia foi casado com a mãe de Ray, e juntos tiveram três filhas: Emma, Quinn e Mattie. Mas o casamento acabou, deixando para trás apenas rancor e ressentimentos. Os dois casaram de novo e formaram novas famílias, mas nenhuma delas pretende desistir da casa de praia, muito menos compartilhá-la. Até este verão. As vidas de Sasha e Ray estão prestes a se cruzar — e, com tudo junto e misturado, as famílias vão mudar para sempre.

Uma leitora frenética e inquieta, apaixonada por histórias fantásticas e com uma tendência a se deliciar com romances água com açúcar. Viciada em fotografias e gatos, é uma apreciadora das pequenas coisas e costuma ver beleza até onde não há.
  • Lili Aragão

    Ainda não tinha ouvido falar do livro Krisna e se entendi bem ele dá um belo casos de família rsr, mas com uma história bem interessante e que desperta o leitor através da convivência dos irmãos e do drama que o livro contém. Eu curti a resenha, a dica, a capa e surgindo a oportunidade tentarei ler o livro futuramente ;)

  • Júlia Assis

    Eu tinha visto esse livro no booktube e ja tinha amado a capa, mas nunca tinha ido atrás de saber um pouco mais sobre a história e, olha, fiquei interessadíssima, em parte por causa da sua resenha e a outra parte por causa dessa capa maravilhosa, me lembrou um pouco aquelas novelas mexicanas, hahah. Amei a resenha!!

  • Daiane Araújo

    Oi, Krisna. Acho que a autora quis passar para os leitores que mesmo após separações, é possível manter laços, através da amizade. Ou, posso estar enganada… Não gostei da capa, prefiro mil vezes a original. Essa da versão brasileira parece capa de livro infantil.

  • Pamela Liu

    Oi Krisna.
    Até gosto de livros um pouco mais tristes e melancólicos, porque afinal a vida não é toda cor de rosa.
    Talvez eu leia quando quiser uma leitura um pouco mais “pesada”.
    A dinâmica dessa família deve ser bem caótica. Quinn deve ser aquela personagem que concilia os dois lados, trazendo um pouco de paz nos momentos mais difíceis.
    Bjs

  • anne

    Gente, que doideira! Eu nunca pensaria numa história dessas! Fiquei confusa só de ler a resenha, é muito informação, são muitos filhos! hahaha
    Mas acho que no final, essa bagunça deu certo, não é mesmo?
    Não conhecia o livro, mas agora vai entrar para minha lista de desejados, quero saber qual será o final dessa maluquice.

  • Tais Burigo

    Oi tudo bem?
    Jesus amado que confusão! Fiquei realmente perdida só de ler a resenha afinal é gente que não se acaba mais e acredito que se você se perdeu no começo do livro eu me perderia até o final – sou ruim para gravar nomes mas ao mesmo tempo me parece ser uma história incrível.

    Beijos

  • Carolina Santos

    Achei a premissa bem interessante mas não sei se esse seria um drama que me agradaria mas mesmo assim eu vou tentar dar uma chance essa leitura no começo de 2018

  • rudynalvacorreiasoares

    Krisna!
    Pelo jeito o título tem tudo haver com o enredo, cheio de dualidades e sentimentos contraditórios, uma protagosnista como contra ponto para o caos familiar que vivem, enfim, acredito que seja uma leitura de fácil identificação, talvez por isso os leitores se comovam profundamente.
    Uma semaninha abençoada na paz do Senhor e FELIZ NATAL!
    “Celebrar o Natal é crer na força do amor, é isto que transforma o homem e o mundo. Feliz Natal!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA dezembro 3 livros + 2 Kits papelaria, 4 ganhadores, participem!

  • verônica medeiros horn

    Meu deus que confusão!!!! Fiquei perdida lendo a resenha só imagino o livro mesmo possuindo um glossário par o leitor conseguir acompanhar, essa confusão não me agradou muito mas a história parece bem interessante.