Uma Sombra Ardente e Brilhante – Jessica Cluess

Uma Sombra Ardente e Brilhante, obra publicada em 2017 pela Galera Record, é o primeiro volume de uma trilogia da autora Jessica Cluess

SOBRE O LIVRO

Henrietta Howell é uma jovem negra, professora em uma escola feminina e que, além de nunca ter tido acesso a muita coisa, e pouco saber dos pais que perdeu ainda pequena, esconde um segredo: sua habilidade de entrar em combustão, gerando chamas por todo o corpo. O problema é que, neste contexto marcado pelo machismo da Inglaterra vitoriana na qual a história se passa, apenas feiticeiros tem o direito de usar magia, e os feiticeiros são sempre homens.

“Nunca vou me casar. Nenhum homem me deixaria participar de batalhas, e eu não iria querer ninguém que pudesse me impedir de cumprir o meu dever.”

Um momento em que seu melhor amigo está em grave perigo, no entanto, fará com que ela acabe revelando seus poderes. A partir daí, a trama do livro irá girar em torno do treinamento de Henrietta e da sua adaptação ao mundo dos feiticeiros. Ela é supostamente a escolhida, aquela prometida por uma antiga profecia, mas quanto mais ela treina e desenvolve seus poderes, menos ela se sente merecedora deste nome.


MINHA OPINIÃO

Uma das coisas mais intrigantes da narrativa que Cluess constrói é o modo como ela consegue fazer uma fantasia que trabalha diretamente em cima de elementos históricos, dando grande destaque ao papel da mulher em uma sociedade ainda extremamente machista e conservadora. Pois o mundo dos feiticeiros com o qual Henrietta irá se deparar é completamente dominado por homens, entre os quais ela tem uma grande dificuldade de ser aceita e respeitada como um deles. A autora, desse modo, consegue trabalhar de forma bem interessante o tema do machismo e de como uma mulher tem que fazer o dobro do esforço para receber o mesmo nível de respeito.

“Blackwood assentiu para mim, o retrato da boa educação, mas entendi. Ele não me aceitaria como igual. Ele não me considerava uma feiticeira”.

E, como se ser uma mulher negra em um mundo de homens brancos já não fosse suficiente, ela ainda terá pouco tempo para aprender o que seus colegas vem estudando e praticando a vida inteira. Dúvidas sobre se ela é mesmo ou não a feiticeira prometida por uma antiga profecia começam a surgir e, diante de um série de reviravoltas, escolhas passam a se apresentar diante de Henrietta. Ela é a feiticeira prometida? Ou seus poderes escondem ainda mais segredos?

Enquanto os sete Ancestrais, inimigos de toda a comunidade mágica e de origem misteriosa, se aproximam, trazendo consigo perigo, destruição e incerteza, Henrietta se vê frustrada por não obter o respeito dos outros feiticeiros e por não estar fazendo jus a tudo que se espera dela. Ao mesmo tempo, ela começa a ter acesso a informações que podem demonstrar que as coisas não são tão simples assim e, sendo àquela de quem a profecia fala, ou não, escolhas difíceis a aguardam e ela precisará aprender bem rapidamente quem ela é, de onde ela vem e, principalmente, quem ela quer se tornar.

“Nenhuma vida inocente é mais valiosa do que outra. Nunca”.

Com uma capa linda, que remete aos antigos livros de feitiçaria sobre os quais Henrietta irá se debruçar nos seus estudos (e é bem mais bonita que a original), diagramação confortável de ler e um estilo de escrita fluido e envolvente, esta foi uma leitura bastante agradável de fazer.

Por ter tanto elementos típicos do gênero, quanto elementos inspirados por outros gêneros, acredito que esta seja daquelas obras que vão agradar tanto os aficionados por fantasia quanto aqueles que costumam procurar livros mais realistas. É um primeiro volume muito promissor e que me deixou bastante curiosa pelo desenvolvimento da trilogia.

UMA SOMBRA ARDENTE E BRILHANTE

Autor: Jessica Cluess

Editora: Galera Record

Ano de publicação: 2017

O primeiro livro da série de Jéssica Cluess, perfeito para surpreender fãs de fantasias já bem habituados com magia, profecias e triângulos amorosos. Henrietta Howel tem o poder de explodir em chamas. Quando é obrigada a expor suas habilidades ela tem certeza de que será executada. Apenas os feiticeiros podem usar magia, e nenhum deles é mulher. Ela se surpreende quando não só é poupada da guilhotina, mas também nomeada a primeira feiticeira em séculos. Ela é a garota profetizada, aquela que derrotará os Ancestrais – seres sanguinários que aterrorizam a humanidade. Henrietta então passa a treinar dia e noite com um grupo de feiticeiros ansiosos para testar as habilidades – e o coração – da garota da profecia. Mas será que Henrietta é mesmo a garota da profecia?

Escritora, mestre em Filosofia, mas, acima de tudo, apaixonada por livros. Carioca com preguiça de praia, gosta mesmo de uma tarde aconchegante na companhia de um livro e uma caneca de chá gigantesca.