Única Filha – Anna Snoekstra

Única Filha é o primeiro livro da autora Anna Snoekstra e é lançamento da editora Harper Collins no Brasil em 2017. Um suspense policial carregado de perigos e segredos capazes de arrepiar o leitor.

SOBRE O LIVRO

Rebecca Winter está desaparecida há onze anos. Apesar de ter se passado tanto tempo, notas sobre o desaparecimento ainda são lembradas pelos jornais, especialmente pelo fato de a polícia não ter encontrado nenhuma pista sobre o caso.

O ano é 2014, uma mulher assiste ao caso de Rebecca em um noticiário da tarde, e o curioso fato de elas serem fisicamente parecidas lhe chama a atenção, afinal, elas não possuem traços assim tão comuns. No entanto, o mesmo cabelo ruivo que lhe desce pelos ombros pertencia à garota desaparecida, as mesmas sardas que preenchiam o rosto também estavam no rosto dela, e talvez o mais curioso aspecto comum, o olhar.

“O passado sombrio de uma mulher torna-se o futuro ameaçador de outra”

Vivendo uma vida sem rumo após ter saído de casa já há algum tempo, a jovem se vê cercada pela polícia após tentar roubar um supermercado e então uma grande ideia lhe ocorre… Lembrando-se do noticiário ela resolve se passar pela garota desaparecida. É claro que ela não pretendia sustentar a situação por muito tempo e o plano era fugir assim que fosse deixada pelos olhares da polícia, mas tudo isso se desvia de seus planos quando a oportunidade de ter uma nova vida de conforto e cercada de “amor” e cheia de segurança longe das ruas a faz levar a farsa adiante.

Vivendo a vida de outro alguém, ela começa a se transformar na garota, ela é, então, de fato, Rebecca Winter. Intrigada com alguns fatos sobre o desaparecimento de Rebecca, ela percebe que ninguém ao seu redor parece ser quem diz que é. O responsável pelo sumiço da garota ainda pode estar à solta e não vai desistir até conseguir pegá-la mais uma vez.


MINHA OPINIÃO

Atualmente, a maioria dos livros de suspense policial trazem “mais do mesmo”: uma esposa considerada louca, um marido ausente que pode ser o culpado (e vai ser), vizinhos estranhos e, é claro, quase sempre podemos descobrir o final antes mesmo de chegarmos lá. O que não acontece em “Única filha”, onde a autora criou uma trama tão intrigante que faz com que jamais imaginemos o desfecho antes de realmente chegarmos lá.

O primeiro ponto a se considerar sobre o livro é o fato de que, como em toda boa história de suspense, a autora utiliza um artifício que consegue prender o leitor e o faz se manter cada vez mais ligado aos personagens. Principalmente, se assim como nessa história existem dois ou mais protagonistas, intercalando os capítulos, hora contando o passado (capítulos sobre Rebecca Winter), hora contanto o presente (capítulos sobre a substituta). Não só como uma forma de manter a curiosidade e atenção do leitor a cada detalhe, é importante para a ambientação e descrição dos próprios personagens e suas características, fazer esse paralelo entre o tempo passado e presente.

Uma teoria interessante que é desenvolvida no livro, mesmo que de forma sutil, é a ligação entre os irmãos de Rebecca, os gêmeos Paul e Andrew. É comum ouvirmos que irmãos gêmeos possuem ligações diferentes, e essa situação está presente em pequenos detalhes, como por exemplo, a culpa que a mãe carrega por não ser tão apegada à filha quanto aos gêmeos, mas mesmo assim sempre sendo submissa aos dois; a impotência do pai quanto à relação familiar como um todo e a própria personalidade da protagonista, que procura viver conformada com a vida na casa e ao mesmo tempo passar a maior parte do tempo livre fora dela.

“Meu nome é Rebecca Winter. Onze anos atrás, eu fui sequestrada.”

Por outro lado, quando estamos conhecendo o presente e a vida da “substituta” na casa da família Winter, existem alguns problemas. Apesar de sua vida antes da “troca” não ser importante para a história, senti falta de algumas explicações, um nome, o motivo de ela ter saído do conforto de sua casa para ser uma rebelde… enquanto nos são apresentadas somente informações esparsas e desconexas. No entanto, o ponto mais interessante de se acompanhar é em como ela acaba se transformando realmente na garota a quem “imita”.

O paralelo entre seus pensamentos e a forma como realmente age é tratado de forma sutil, mas que possibilita ao leitor acompanhar o quanto a nova realidade influencia na personalidade da personagem, já que ela vive a vida de uma garota extremamente oposta a ela, que nunca foi meiga ou comedida e é claro, o medo de ser descoberta ou de que ao não conseguir conquistar a família (especialmente os gêmeos) tudo pode estar perdido, de alguma forma.

A culpa, a manipulação, a ingenuidade e a dúvida são os principais sentimentos envolvidos na trama, e é claro, acabam por envolver o leitor do início ao fim. Uma ótima pedida para quem quer dar uma chance ao gênero e para aqueles que buscam algo minimamente diferente do que estamos acostumados.

thumb_livro

4estrelasb

ÚNICA FILHA

Autor: Anna Snoekstra

Editora: Harper Collins

Ano de publicação: 2017

Em 2003, Uma Adolescente De 16 Anos desapareceu. Rebecca Winter estava curtindo suas férias de verão. Trabalhava em uma lanchonete, tinha uma queda por um rapaz mais velho e saía com sua melhor amiga. Mas coisas estranhas surgiam ao seu redor: ela encontrou sangue em sua cama, passou a ter surtos de amnésia, sentia-se vigiada. Ainda assim, nada disso preparou Rebecca Winter para o que estava prestes a acontecer. Onze anos depois, a garota desaparecida foi substituída. Para fugir da prisão, uma jovem mulher declara ser a adolescente desaparecida anos atrás. A impostora assume a vida de Rebecca Winter. Dorme em sua cama. Abraça seu pai e sua mãe. Aprende os nomes de suas melhores amigas. Brinca com seus irmãos. Mas a família e os amigos de Rebecca não são quem dizem ser. Enquanto se esquiva do detetive que investiga o desaparecimento de Rebecca, ela começa a se dar conta de que o criminoso ainda está à solta – e ela, correndo risco de vida.

É resenhista do Resenhando Sonhos.
Estudante de Direito, 19 anos, mineira, mora em Belo Horizonte e ama o universo literário.
  • Natália Costa

    Não leio muito suspenses policiais. Quero começar a ler este gênero.
    Acho interessante ser diferente do que se espera no final pq dá uma preguiça quando todos os livros de um mesmo gênero seguem uma mesma linha né!

  • Camila Rezende

    Nao gosto muito desse género de leitura, mas ouvi vários comentários positivos sobre esse livro que ate fiquei curiosa.
    Talvez eu comece a ler esse tipo de livro com esse. O fato de vc ter mencionado em sua resenha que esse não e tao cliche quantos os outro do mesmo género ajudou.

  • Samanta Samy

    Estou querendo ler esse livro, amo romances policiais. Essa resenha me fez lembrar da escrita do Harlan Coben (adoro), acho que vou gostar bastante.
    Aproveito para indicar “A Mulher Marcada”, é um romance policial maravilhoso!

  • Thais M. Costa

    Gosto muito de livros de suspense policial. esse já está na minha lista a um tempo, depois da sua resenha vou te que colocar ele na frente rs. Gosto de finais surpreendente .

  • Carolina Oliveira

    Gostei mto da resenha! Gosto do gênero, entao foi uma ótima sugestao, principalmente pelo final surpreendente, pois, como vc disse, os livros do gênero estao sempre repetindo o desfecho!

  • Carol Mendes

    Tô vendo esse livro por aí e como tô gostando do gênero, ele entrou na minha wishlist logo que vi, mas sua resenha me deixou bem curiosa, já que você disse que é um pouco diferente do que estamos acostumados. E fiquei curiosa também pra saber mais sobre essa ligação entre os irmãos de Rebecca…

    Virando Amor

  • Franciele Débora

    Amo livros de suspenses e investigação policial e gostei da premissa deste livro. Fiquei curiosa em algumas partes do livro principalmente pra saber mais desta tal ligações dos irmãos da Rebecaa.
    Já entrou pra minha lista, claro!
    Obrigada pela dica, beijos.

  • Leticia

    Ultimamente tenho lido muitos livros desse genero, e eu simplesmente amei essa historia! To louca pra saber mais, principalmente o fim haha

  • Gabriela Souza

    Oi! Confesso que não achei nada demais na proposta, mas gosto bastante de suspense policial, e fiquei curiosa para saber como a personagem desapareceu. Pretendo ler. Beijoss

  • Samuel

    Gosto muito do gênero e da temática que envolve o livro. Acho que representa bastante o gênero e é uma boa leitura. Ótima resenha.

  • Amanda Barreiro

    Oi! Realmente os romances policiais atuais têm trazido só esse mais do mesmo que você citou e por isso eu nem tenho prestado atenção nos lançamentos. Mas que ótimo que esse livro tem algo a mais, não segue pelos clichês óbvios. Fiquei interessada. Beijos!