A Garota que Você Deixou Para Trás é um romance da autora Jojo Moyes, publicado em 2012 pela editora Intrínseca.

Sobre o Livro

St. Péronne, Outubro de 1916. A França é uma ocupação alemã. Não há mais na cidade homens que não sejam crianças ou idosos. Todos eles estão lutando na Guerra. Não há mais alimentos em abundância, tudo é muito escasso e de difícil acesso. Fortuna ou bens materiais que valham alguma coisa também foram tirado pelos alemães. Mas não há nada que Sophie possa fazer, a não ser aceitar essa dura realidade e ainda ter que fazer de seu hotel, abrigo para os alemães, e de sua culinária, fartas refeições para eles.

Há muito tempo Sophie não recebe notícias de seu marido, o pintor Éudoard Lefèvre, os rumores são de que ele já está morto. E tudo o que ela tem de seu amado é uma pintura que ele fez dela, a coisa que ela mais ama. Mas até mesmo isso é objeto de admiração alemã, e quando não resta mais nada em quê acreditar, uma atitude impensada de Sophie provoca uma reação no comandante alemão que fará sua vida, mais uma vez, virar de cabeça para baixo.

“Fiquei ali olhando para a garota e, por alguns segundos, me lembrei de como era ser ela, sem sentir fome nem medo, interessada apenas nos momentos que eu poderia ficar a sós com Éudoard. Ela me fazia lembrar de que o mundo era capaz de beleza e que já havia existido coisas – arte, alegria, amor – que enchiam o meu mundo, em vez de medo, sopa de urtiga e toque de recolher. Vi Éudoard na minha expressão. E então percebi o que eu acabara de fazer. Ele me lembrara da minha própria força, que ainda restara dentro de mim.”

página 17.

Londres, 2006. Depois de perder seu amado marido, tudo o que Liv Halston guarda dele é a pintura de Sophie, que ela ganhou de presente de casamento. Uma obra que depois de um encontro conturbado revelou-se valer milhões. A família está querendo o quadro de volta. Alega-se que ele foi roubado na época da Guerra, o que dá o direito à família. Mas Liv está disposta a brigar na justiça por algo que para ela, o valor sentimental é muito maior.


Minha Opinião

Sempre gostei muito de ler sobre a Guerra e todas as consequências que uma ocupação alemã causou para uma região. É fato que A Garota que Você Deixou Para Trás é ficção, mas os alemães terem se ocupado de terras que não eram suas, abusado de trabalho escravo, roubado objetos, e deixado uma população inteira com comida em escassez é, infelizmente, verdade. O tema apesar de triste, agoniante e revoltante, nos ensina e não há coisa melhor que aprender com os livros, e é por isso que gosto tanto do tema.

“Não é você , Mademoiselle – insistia ele. – Às vezes… a gente demora um pouco a captar a verdadeira essência de uma pessoa.”

página 48.

Não há como definir a narrativa desse livro. Ele vai se passar em duas partes. Uma em 1916, outra em 2006. Em alguns momentos a narrativa é em primeira pessoa, e em outros em terceira. Após o início da segunda parte, há também lembranças do passado. Mas nada que seja complexo demais ou confuso demais para entender. Muito pelo contrário, é muito fácil entender o que está acontecendo, e simples de se envolver com a história e seus diversos personagens. Antes mesmo de você perceber, a conexão já está feita e a ansiedade de entender as ligações da história da Liv e da Sophie já estão a flor da pele.

Entretanto, me apaixonar pela Sophie foi muito mais rápido do que pela Liv. Sophie, apesar de tudo o que está vivendo, tem um talento natural de ajudar as pessoas. Tudo o que ela faz é pensando no bem de terceiros, e por último em si mesma. E não precisa muito mais que um bom coração para me ganhar. Já Liv é um pouco orgulhosa e apesar de também ajudar algumas pessoas, ela é um tanto fria. Mas, aos poucos seus personagem vai ganhando maiores características e desenvolvimento, demora, mas a gente também se apaixona por ela.

Jojo Moyes sabe escrever uma ótima história, principalmente se tiver guerra no meio, ela sabe nos fazer emocionar e ficar extremamente curioso com os plots nos finais dos capítulos. Porém, apesar deste livro se desenvolver muito bem, senti que o final foi um pouco corrido, e algumas coisas faltaram explicação. Isso me impediu de favoritar essa história, mas não de apreciar e terminar com aquele desejo de: “quero ler tudo dessa autora.”

Uma das coisas que mais gostei nesse livro é o ensinamento de que devemos amar as pessoas, e não as coisas. A pintura que é nosso foco de enredo é o exemplo disso. Ela foi muito importante para Sophie por ter sido pintada por seu marido, um marido que teve que ir para guerra. Mas a pintura não foi mais importante que o amor que ela tinha por Éudoard. Da mesma forma isso acontece com Liv. Este quadro foi um presente de seu amado marido, e quando ele morreu ficou como a lembrança mais forte que ela tem dele, contudo não consegue ser maior que seu amor por ele. E a maneira como a autora vai nos mostrando e nos ensinando isso, é impagável.

“Às vezes – disse ele, baixinho -, parece que restou muito pouca beleza neste mundo. Muito pouca alegria. Você acha que a vida é difícil na sua cidadezinha. ,as se visse o que há em volta… Ninguém sai ganhando. Ninguém sai vencedor numa guerra assim.”

página 110.

Apesar do final um pouco corrido, ele é muito satisfatório e reconfortante. Depois de estar junto com Sophie e Liv em suas jornadas, descobrir o final da história de cada uma era o que eu mais queria, e confesso, fui bastante surpreendida. Os personagens secundários das duas histórias ganham vida em todo o enredo, mas principalmente na construção do final, e isso eu achei sensacional. Afinal é muito bom quando “não é o herói que salva a história” não é mesmo? Bom, eu particularmente amo.

Então se você gosta de um tema pesado, mas que vai te ensinar muitas coisas. Se você gosta de um bom drama para te deixar derramando lágrimas em vários momentos. Mas se acima de tudo você gosta de um livro pra ficar guardado para sempre na memória, te indico muito este aqui. Talvez não seja uma leitura muito fácil por conta da primeira parte, onde a guerra é bem presente, mas é uma leitura que vale muito apena.

A GAROTA QUE VOCÊ DEIXOU PARA TRÁS

Autor:Jojo Moyes

Tradução: Adalgisa Campos da Silva

Editora: Intrínseca

Ano de publicação: 2015

Durante a Primeira Guerra Mundial, o jovem pintor francês Édouard Lefèvre é obrigado a se separar de sua esposa, Sophie, para lutar no front. Vivendo com os irmãos e os sobrinhos em sua pequena cidade natal, agora ocupada pelos soldados alemães, Sophie apega-se às lembranças do marido admirando um retrato seu pintado por Édouard . Quando o quadro chama a atenção do novo comandante alemão, Sophie arrisca tudo — a família, a reputação e a vida — na esperança de rever Édouard , agora prisioneiro de guerra. Quase um século depois, na Londres dos anos 2000, a jovem viúva Liv Halston mora sozinha numa moderna casa com paredes de vidro. Ocupando lugar de destaque, um retrato de uma bela jovem, presente do seu marido pouco antes de sua morte prematura, a mantém ligada ao passado. Quando Liv finalmente parece disposta a voltar à vida, um encontro inesperado vai revelar o verdadeiro valor daquela pintura e sua tumultuada trajetória. Ao mergulhar na história da garota do quadro, Liv vê, mais uma vez, sua própria vida virar de cabeça para baixo. Tecido com habilidade, A garota que você deixou para trás alterna momentos tristes e alegres, sem descuidar dos meandros das grandes histórias de amor e da delicadeza dos finais felizes.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros