A Noiva do Capitão é o terceiro volume da série Castles Ever After, um romance de época da autora Tessa Dare publicado em 2017 pela editora Gutenberg.

Sobre o livro

Se tem uma coisa que Madeline não suporta é os tão cobiçados bailes de Londres. Enquanto que para toda garota da sua idade é um sonho ser apresentada à sociedade, para Madeline é um pesadelo. Ela tem pavor de estar rodeada de pessoas. Dona de uma habilidade incrível em desenhar e escrever cartas, tudo o que ela quer é viver no castelo herdado pelo seu padrinho e ficar longe de todas as pessoas.

Com isso, ela acaba tendo a brilhante ideia de criar um noivo fictício. O lindo e misterioso Capitão Logan MacKenzie. Com a explicação de que seu amado capitão escocês está lutando na guerra, ela escreve milhares de cartas à ele para que sua família acredite que é real. Envia aos correios sem ter ideia de onde toda essa mentira vai parar. Até que passam-se anos e não dá mais para continuar com essa farsa, e é então que ela decide matar seu querido noivo.

“…Neste exato momento, eles pensam que estou escrevendo uma carta para meu noivo secreto que veste saiote escocês, mas estou enchendo uma página de bobagens, rezando para que ninguém espie por cima do meu ombro. O pior de tudo é que não tenho escolha, a não ser colocar esta coisa no correio quando terminar. Ela vai acabar em algum arquivo morto militar. Eu espero. Ou será passada de mão em mão pelos regimentos, sendo ridicularizada, mas é isso o que eu mereço.”

página 11.

O que ela não esperava era que depois de quase um ano usando preto num luto imaginário, seu adorável noivo apareceria na porta de seu castelo, no alto das terras escocesas, lhe cobrando tudo o que ela lhe prometera.


Minha Opinião

Assim como todo livro da Tessa Dare, a autora busca tratar de assuntos traumatizantes para os personagens de uma forma divertida e impossível de largar. Ao descobrir esse enredo bastante incomum, não podemos esquecer que talvez o que Madeline tinha era fobia social, e a melhor forma que ela encontrou de lidar com isso foi inventar uma vida imaginária para se ver livre de todos os bailes de Londres, e herdar um castelo no alto das terras escocesas, caiu como uma luva.

Ler as centenas de cartas que Madeline escreve para um homem que não existe é hilário. Afinal, ela conta toda sua vida, como se estivesse escrevendo em um diário. Sua farsa é tão desesperadora, que ela mesma é capaz de acreditar nesse romance. Mas acreditar que alguém leria suas cartas, e alguém com o mesmo nome de seu doce capitão fictício e ainda, que estava na guerra, jamais lhe passou pela cabeça. E quando ela encontra um homem de saiote parado na sua sala de visitas, toda fantasia passa a ser real.

Logan MacKenzie existe. E depois de anos lutando na guerra, ele que não tinha ninguém, passou a receber cartas de sua noiva. Uma noiva que ele teve que acreditar que era real, afinal, precisava dar essa esperança aos seus companheiros, de que eles tinham para onde ir quando a guerra acabasse, afinal, toda terra que tinham e conheciam, haviam sido tomadas deles. Então é claro que ele não perde tempo quando tudo tem fim e eles voltam para a Escócia.

A proposta é simples. Logan e Madeline devem fingir que estão sim apaixonados e que vão se casar. Logan quer as terras para seu homens reconstruírem suas vidas. Nas ameaça de que vai espalhar todas as cartas de Madeline nos jornais, ela não tem escolha a não ser aceitar a proposta, por enquanto. Ela vai encontrar um meio de reverter isso. Mas é claro que nossos queridos e ingênuos vão aprender muito um com o outro, e que seu romance de faz de conta pode ser bem mais real que isso.

“Ela se recusava a definir seu valor como pessoa com base em um pedido de casamento. Muito menos aquele, que não era um pedido, mas uma ameaça feita por um homem que não era um cavalheiro, não estava bem-intencionado e era atraente em uma escala muito mais do que razoável.”

página 28.

Gostei demais dos personagens. Madeline apesar de seu medo de estar em sociedade, lida muito bem com isso. Ela ama desenhar, e até ganha dinheiro com seus trabalhos bastante característicos. Ou seja, é uma mulher independente, e quando vejo isso nos romances de época, já é o suficiente para me apaixonar. Já Logan tem uma postura bastante assustadora e intimidante. Mas seu coração é gigante. E ver que tudo o que ele quer é o bem de seus homens em terras em que foram criados para poderem reconstruir suas vidas, é cativante demais.

O romance pode até ser clichê. Mas o trauma de Madeline e a determinação de Logan junto com todos os outros personagens, e principalmente o trauma pós guerra que alguns do amigos de Logan vão passar, são muito bem abordados e construtivos. É possível ver o desenvolvimento de cada um desses temas, e isso torna o livro muito mais intenso que um simples romance de época. E eu particularmente aprendi e vivi junto com cada uma dessas abordagens, e por isso, indico A Noiva do Capitão. Com certeza você também vai tirar bons conselhos desta história divertida, romântica e cheia de recomeços.

 

A NOIVA DO CAPITÃO

Autor: Tessa Dare

Tradução: A C Reis

Editora: Gutenberg

Ano de publicação: 2017

Madeline possui muitas habilidades preciosas: é uma excelente desenhista, escreve cartas como ninguém e tem uma criatividade fora do comum. Mas se tem algo em que ela nunca consegue obter sucesso, por mais que tente, é em se sentir confortável quando está cercada por muitas pessoas… Chega a lhe faltar o ar! Um baile para ser apresentada à Sociedade é o sonho de muitas garotas em idade para casar, mas é o pesadelo de Maddie.E, para escapar dessa obrigação, a jovem cria um suposto noivo: um capitão escocês. Ela coloca todo o seu amor em cartas destinadas ao querido – e imaginário – Capitão Logan MacKenzie e convence toda a sua família de que estão profunda e verdadeiramente apaixonados. Maddie só não imaginava que o Capitão “MacFajuto” iria aparecer à sua porta, mais lindo do que ela descrevia em suas cartas apaixonadas e pronto para cobrar tudo o que ela lhe prometeu.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros