Apocalipse Z: A Ira dos Justos é o terceiro livro da trilogia de horror pós-apocalíptico escrita por Manel Loureiro, publicado em 2011 pela editora Planeta.

Sobre o Livro:

Ao fim do segundo livro, o advogado e seu grupo roubaram um barco de Tenerife para sair do caos daquela Ilha, que já não apresentava mais nenhuma vantagem, apenas riscos. Uma tempestade em alto mar quase lhes custou a vida, mas como sempre, os anjos da guarda desse grupo trabalham sem folga, e em seu caminho cruzou o navio petroleiro Ithaca, que estava em uma missão de restabelecimento e carregava mais de meio milhão de toneladas de petróleo.

Tudo parecia perfeito. Foram resgatados, estavam seguros, tinham comida, roupa e cama. Eram tratados com todo respeito e cordialidade, mas justamente por tudo estar tão perfeito o alarme do desconfiômetro começou a apitar. Descobriram, da forma mais assustadora possível, que foram resgatados por um grupo de fundamentalistas religiosos chamado Army of Christ, que acreditava cegamente que o apocalipse era um castigo divino para exterminar todos os impuros.

Os impuros não eram apenas os não mortos, eram também todos aqueles que não eram homens brancos religiosos. As mulheres brancas, se quisessem ter uma oportunidade digna de vida, deviam se manter na linha, apenas existindo e servindo, sem dar opiniões. Os demais, negros, mexicanos, ou simplesmente pessoas que não toleravam o regime, deveriam andar “na linha”, caso contrário…

“Quem precisava dos não mortos? Eu sozinho me bastava para arrastar para a morte não só a mim, mas a todos os que me cercavam.”

Essa quantidade absurda de petróleo significa recursos, ter recurso significa poder, poder significa que há algum tipo de sistema, ter um sistema significa que muitas pessoas estão o aderindo por não ter outra opção, e partindo dessa premissa, também se conclui que onde há um sistema injusto, forma-se a oposição, dos justos.


Minha Opinião

Histórias apocalípticas sempre chamaram minha atenção, por isso que quando bati os olhos no primeiro livro dessa trilogia (sem saber que era uma, rs) nem pesquisei e nem pensei duas vezes antes de comprar. Lembro que a frase da contracapa bastou para que eu ansiasse por aquela leitura.

Comecei a trilogia desejando seu final, e quanto mais eu lia, quanto mais eu mergulhava naquele mundo maravilhoso – e tenebroso – criado por Manel, mais eu desejava saber como ele terminaria sua história. Teve um momento, perto do fim da leitura, que eu larguei o livro e entrei em crise existencial, pensando: meu Deus, tá incrível até aqui, e se desandar? Meu medo era de que o final fosse completamente tosco e sem sentido a ponto de invalidar tudo o que fora lido.

Pra acalmar esse pensamento de uma cabecinha claramente ansiosa, eu cheguei a conclusão de que a história foi tão bem construída e tão bem narrada que um final broxante não seria o fim do mundo… E bom, a preocupação foi em vão, porque essa foi a melhor história de apocalipse zumbi que eu já li/vi até o momento, sem sombra de dúvidas!!!

“Para tomar uma decisão drástica, uma pessoa tem que ter chegado a um ponto no qual não vê alternativa, por mais duras que sejam as consequências de sua decisão.”

Eu só acho que Apocalipse Z não precisava ser uma trilogia. Sinto que se algumas partes fossem mais enxugadas, ele seria um calhamaço maravilhoso! O primeiro e segundo livro estão sensacionais, não tem o que tirar, nem pôr, mas o terceiro tem algumas situações bem desnecessárias, que se fossem excluídas não fariam diferença alguma e, por conta dessas situações, em alguns momentos a leitura pode se tornar algo maçante. Teve partes que eu li até um pouco rápido para chegar logo onde realmente tava acontecendo as coisas importantes…

A construção da personalidade dos personagens, a evolução que foram tendo ao longo do tempo, o desenvolvimento de cenários e situações complexas e perturbadoras foram tão , que a gente fica de boa aberta com o final, que consegue ser melhor do que tudo que já vimos antes.

É surpreendente a forma como o autor conseguiu criar uma situação, desenvolver mil camadas em cima dela e dar um desfecho único para tudo que estava acontecendo. Do início ao fim nós temos explicações bem construídas e explicadas, não deixando pontas soltas ou lacunas que te façam pensar em saídas melhores para determinadas situações…

É muito perigoso eu me estender sobre mais informações além das que eu já coloquei na sinopse, pois tudo seria um grande e desanimador spoiler! O que eu ainda posso lhes dizer é: confiem em mim e deem uma chance a essa história, caso gostem da temática, pois será uma das melhores coisas que vocês lerão na vida sobre o assunto!!!

APOCALIPSE Z: A IRA DOS JUSTOS

Autor: Manel Loureiro

Tradução: Sandra Martha Dolinsky

Editora: Planeta

Ano de publicação: 2011

O mundo está devastado pela epidemia de não mortos que assolou a humanidade. Não existem mais instituições, nem estados, os alimentos são escassos e não há nada que lembre as pessoas de que elas são seres humanos. Quando o mundo que conhecemos desaparece… Não existe mais sociedade… Como sobreviver?

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros