Aurora nas sombras é uma Graphic Novel de autoria de Fabien Vehlmann & Kerascoët. Foi lançada pela editora Darkside Books em 2019 .

Sobre o livro

Aurora é uma menina que anseia pelo encontro com seu querido pretendente, Hector. Minutos após, todo o ambiente começa a parecer escorregadio e dar a sensação de estar em decomposição, obrigando todos a fugirem. Aurora, juntamente com outras criaturas que ali habitavam, se encontram em uma floresta, à beira do desespero, uma vez que entendemos que a casa desses pequenos seres era, nada mais nada menos, que o corpo de uma falecida garotinha.

A partir desse momento, Aurora se assume líder, buscando o máximo de conforto para todos que se encontram desabrigados. A construção da história gira em torno de como os personagens lidam com a situação.

Parece simples, entretanto é justamente nessa situação de desespero frente ao inesperado que as coisas mais sinistras acontecem. Para conseguir sobreviver, esse pequeno grupo precisa enfrentar obstáculos, reais e imaginários. Será que em situações adversas da vida, nós enquanto seres humanos, também conseguiríamos deixar de lado nossos orgulhos, vícios e preconceitos?


Minha opinião

Os traçados infantis em aquarela podem enganar à primeira vista, mas o conteúdo dessa Graphic Novel nos mostra o lado mais sombrio do ser humano. Aurora Nas Sombras apresenta uma verdadeira obra de arte, e também nos deixa perplexos no decorrer de suas páginas. Vale lembrar que Aurora nas Sombras não é uma Graphic Novel para o público infantil!

A obra utiliza um colorido com cores vivas no início de sua história, com o objetivo de demonstrar ao leitor que tudo correrá bem. Entretanto, perto do final da leitura, percebemos cores frias, tons neutros, assim como o desfecho das personalidades dos personagens centrais.

Durante minha primeira leitura, me deparei com tantos personagens, tanta arte e tanta informação que quando cheguei ao final fiquei com uma sensação de que não havia compreendido o que a história queria me passar. Então, dias depois, fiz a releitura da obra.

A partir dessas duas leituras entendi que toda a história utiliza muitas metáforas, o que dificulta um entendimento no seu primeiro momento. Mas, vale ressaltar como os autores desejam mostrar, através de seus desenhos em aquarela, um mundo real. Ali, cada individuo é movido por seus objetivos próprios, sem se importar com os objetivos do grupo.

Cada personagem do livro ilustra um tipo de sentimento ruim presente em todos os seres humanos, e às vezes até parecem bem caricatos, mas acredito que isso os torna tão assustadores e reais. Um exemplo disso é o personagem Plim, que no início é um grande amigo de Aurora e no decorrer da leitura vemos como ele consegue se sobressair diante das diversas situações que encontra no novo ambiente em que sobrevive. Além dele, conhecemos uma personagem que vive isolada, a Tiana, a qual não consegue viver com os outros elementos do grupo, e sua narrativa acaba fazendo um paralelo sobre como somos capazes (ou não) de lidar com as diferenças.

“- Plim, vou te deixar cuidar da distribuição, você quer?

– Com prazer!

– E cuida para deixar as porções bem iguais, para que não haja injustiça!”

Outro ponto surpreendente de perceber foi o desenvolvimento de Aurora. Sempre acho que em obras literárias o mais interessante é a forma como o escritor faz o “ponto de virada” de algum personagem, aquele momento derradeiro em que a mocinha toma a frente da situação e resolve agir. Em um primeiro momento, ela se mostra uma menina muito meiga e sonhadora, e pressupõe-se que seu amigo Plim a auxiliava em quase todas as tarefas, como se fosse uma verdadeiro conto de fadas onde há a princesa e seus serviçais. Entretanto, quando Aurora se depara com um ambiente hostil e muito diferente do que lhe era familiar, a mocinha não fica estagnada! Ela tenta trabalhar como uma líder e ajudar todos que necessitam de amparo.

Mesmo confiante, Aurora se depara com situações adversas, que vão além do ambiente em que se encontra. O foco aqui não é “somente” ter perdido seu lar, mas lidar com as ambições, preconceitos e traições de todos aqueles a rodeiam. A mocinha passa por uma intensa metamorfose, e o leitor consegue acompanhar de perto todas suas decisões. Perceber e compreender as atitudes de Aurora foram fundamentais para os detalhes finais do livro.

Algumas cenas acabam pegando o leitor um pouco despreparado, principalmente por apresentarem uma certa cruealdade. Em alguns momentos elas também causam um incômodo, fazendo o leitor esquecer que talvez seja uma história doce de finais felizes.

A leitura dessa Graphic Novel foi uma experiência única, e que acredito que deva ser feita com calma, apreciando cada detalhe. O desconforto que acompanha o leitor até o final da história é algo proposital, pensado para desacomodar e deixar com uma sensação de que nem o mundo de fantasia se salva dos vilões.

AURORA NAS SOMBRAS

Autor: Fabien Vehlmann & Kerascoët

Tradução: Maria Clara Carneiro

Editora: Darkside Books

Ano de publicação: 2019

Um grupo de pequenos seres é obrigado a sair do lugar aconchegante onde mora e iniciar uma luta pela sobrevivência em um mundo terrível. Tudo parece dentro dos conformes, certo? Bem, mais ou menos. A casa deles era o cadáver de uma garotinha estirado no meio da floresta, e o lugar para onde eles vão não é nada mais, nada menos que o mundo que conhecemos como nosso. Depois de provocar pesadelos com Floresta dos Medos, de Emily Carroll, e viver uma aventura fantástica com Francis, de Loputyn, a DarkSide® Books convida os leitores a embarcar em uma jornada um tanto quanto sinistra com Aurora nas Sombras. Indicado ao Prêmio Eisner em 2015, o quadrinho, escrito por Fabien Vehlmann e ilustrado pelo casal Marie Pommepuy e Sébastien Cosset (que assina como Kerascoët), conta a história da doce Aurora e seus amigos conforme eles viajam por um mundo estranho. Cercados por perigos e incertezas, eles se veem confrontados por situações extremas que despertam sentimentos como inveja, egoísmo, rancor e ganância. Formar alianças fica cada vez mais difícil, e quando o grupo começa a se desestruturar, Aurora se vê diante de um dilema: até onde ela está disposta a ir para sobreviver? Aurora nas Sombras é a verdadeira definição de um pesadelo açucarado. Não se deixe enganar pelo traço fofo e aquarelado desta graphic novel: ela pode ser atraente aos olhos, mas é perturbadora na mesma medida. Assim como o mundo em que vivemos. Ecoando a aura estranha e nonsense de Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll, aos olhos de David Lynch, e os dilemas morais de O Senhor das Moscas, de William Golding, Aurora nas Sombras mistura o meigo e o brutal para abordar temas como o desmoronamento da civilização e a morte da inocência. É impossível não admirar os tons pastéis das ilustrações, mesmo que, enquanto faz isso, você esteja refletindo sobre os horrores da vivência humana. Aurora nas Sombras chega para fazer parte do selo DarkSide® Graphic Novel, em uma edição de colecionador caprichada e feita para resistir a qualquer passeio na floresta.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros