Da mesma produtora da série Z Nation, Black Summer é uma série de apocalipse zumbi original Netflix dirigida por Karl Schaefer e John Hyams.

Nos subúrbios de uma cidade nos Estados Unidos, diversas pessoas buscam a sobrevivência após seis semanas do surto de um vírus misterioso causar caos mundial. Dividido em capítulos nomeados, cada parte é dedicada a acompanhar um grupo de sobreviventes e seus feitos para se manterem vivos.

Após sua filha ser levada para longe de sua mãe, Rose (Jaime King) ela está mais que disposta a reencontrá-la e no meio do caminho se deparará com obstáculos desde a fome até a luta pela sobrevivência. Do outro lado da cidade, vemos a insignificância de se manter a justiça em meio apocalipse, após o criminoso Julius (Justin Chu Cary) escapar da tentativa de se fazer justiça por parte dos militares que o detivera. E do outro lado da moeda, a coreana Sun (Christine Lee) precisa não só lutar com os zumbis, mas também entender o inglês.

Todos querem a mesma coisa: sobreviver. E para isto devem chegar ao estádio, um local assegurado pelas autoridade como ambiente seguro e sem possibilidades de contágio. Mas um longo caminho se estende pela frente, dominado por criaturas misteriosas. Ao mesmo tempo enquanto tarda a chegada de uma cura, mais os sobreviventes vão perdendo o pouco da humanidade que lhes restam.

Foi uma experiência diferente acompanhar os oito episódios dessa primeira temporada. Sendo direto ao ponto, achei muito interessante o como a trama se preocupou em criar momentos épicos de suspense clássico de qualquer série de apocalipse zumbi e ao mesmo tempo criar momentos únicos que ainda não pude ver em outra produção de mesmo tema.

Não adianta fugir dos clichês. Ainda haverão as mesmas cenas que deixarão qualquer um angustiado. E o que mais chama a atenção nesta série é a ausência de caprichados diálogos, deixando os episódios mais mudos e, ao mesmo tempo, mais agonizantes. De certa forma isso ajuda muito a manter o foco na história que se desenrola mas por outro lado não conhecemos muito bem a história de cada personagem, o que aposto que possa acontecer em uma futura segunda temporada.

Há uma semelhança entre os zumbis de Black Summer com os de Guerra Mundial Z. Eles correm como verdadeiros corredores de grandes maratonas o que deixa ainda mais apavorante os momentos de perseguição. Um outro ponto interessante é que em alguns momentos acompanhamos o comportamento de alguns zumbis. E por muitas vezes, os zumbis possuem um comportamento mais racional sendo mais espertos do que zumbis que só sabem se arrastar. E quando descobrimos como as pessoas se transformam em zumbis, é ainda mais surpreendente, o que me faz gostar ainda mais da série pela sua criatividade.

O que faltou nos episódios foi mais preenchimento dos zumbis nas cenas. Uma boa parte da temporada é ausente de zumbis pois, por algum motivo não tão bem explicado, você não vê um monte de mortos-vivos vagando pelas ruas. Ao contrário, você presencia uma alternativa de apocalipse. Os zumbis parecem estar escondidos e a qualquer momento podem lhe dar uma grande surpresa por trás.

Se a série buscou ser mais realista no comportamento das pessoas em uma situação de apocalipse generalizado, pode-se dizer que ela atingiu algumas expectativas. O ambiente construído é totalmente diferente do que já vi, apesar de não ser muito ligado a filmes sobre zumbis. As pessoas agem de forma mais crua além se serem mais frias umas com as outras. Mas perde por outro lado por haverem elementos não tão coerentes que qualquer um questionaria como várias burrices que alguns protagonistas sempre cometem.

Já com uma segunda temporada garantida, segundo a Netflix, espero ver mais respostas a como surgiu o vírus, como está o mundo à fora e conhecer um pouco mais sobre a história de cada um dos protagonistas durante o início do surto, ou pelo menos dar continuidade com a jornada pela sobrevivência. Sendo rápida de ver é uma série que nos rouba boas horas de distração. Em Black Summer os zumbis não dão medo, o que dá medo é saber que você não gostaria de estar morto.

BLACK SUMMER – 1°TEMPORADA

Diretor: Karl Schaefer e John Hyams.

Elenco: Jaime King, Christine Lee, Justin Chu Cary.

Ano de lançamento: 2019

Nos primeiros dias de um sombrio apocalipse zumbi, estranhos se unem para sobreviver e voltar para aqueles que amam.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros