Eu sou uma pessoa que não tem medo de abandonar um livro. Cada uma dessas desistências tem um motivo e todos acabam sendo diferentes. Alguns livros eu insisti até não conseguir mais, outros eu simplesmente me poupei a fadiga. Mas o fato é que alguns desses livros são não só muito famosos, mas também são favoritos de muita gente. Então eu decidi me justificar mesmo ninguém tendo pedido porque acredito na liberdade de se desprender de uma leitura. Então vamos lá.

A Guerra não tem rosto de mulher – Svetlana Aleksiévitch

Eu abandonei esse livro pouco depois de passar da página 100. Eu estava amando a leitura, amando ler essas histórias incríveis e difíceis. Conhecer uma realidade que não desejo para ninguém. É um livro que deveria ser lido nas escolas, por todo mundo. A importância desse livro é enorme e é um dos livros que pretendo retomar a leitura.

O motivo de ter abandonado é pura e simplesmente o gatilho. Sendo alguém com depressão e ansiedade, algumas coisas acabam mexendo muito comigo. Eu sou o tipo de pessoa que sente dor pelo outro, pelo sofrimento do outro, que pego aquilo pra mim e isso acaba me afetando muito. É lógico que teriam coisas difíceis de serem lidas nessas páginas, afinal é a segunda guerra mundial. Mas existem coisas que nem mesmo um aviso de gatilho poderia ter me preparado para ler. É uma realidade de um ponto de vista pouco discutido, pouco comentado. É a parte mais obscura da guerra, o que acontece fora dos livros de história. Contada por pessoas que não contam a história, mulheres, vítimas, pessoas sem voz. Eu não consigo expressar o quão importante esse livro é.

Me chame pelo seu nome – André Aciman

Minha desistência mais recente. Essa leitura foi do céu ao inferno em apenas uma página.

Eu li quinze páginas desse livro e fiquei de queixo caído com a escrita do autor. Foi algo que me pegou e me incentivou a ler esse livro em um momento em que eu não estava muito na vibe dele, mas precisava ler porque estava na TBR da maratona literária. E então, na página quinze, uma cena fez tudo mudar.

Eu nem sei o nome do protagonista, mas ele é adolescente e vou me referir a ele assim. Ele estava no seu quarto, dormindo, numa noite como qualquer outra. Oliver, um homem mais velho, autor, que estava alugando um quarto na casa dos pais do adolescente, entra no quarto do menino e faz o famoso ato lascivo com ele. O adolescente narra essa cena com saudades, mostrando ter gostado muito do momento e esperando que aconteça de novo, mas menciona que, durante todo o acontecimento, ele fingiu estar dormindo.

Na hora que li isso, perguntei para mais pessoas se eu estava doida ou tinha lido errado. Mas depois dessa conversa fiquei sabendo que esse tipo de comportamento é algo recorrente no livro e tem muitas questões problemáticas. Eu, sendo mulher e hétero, não posso discursar muito sobre o tema, mas gostaria de aproveitar esse momento para incentivar todos a lerem e verem vídeos de pessoas do meio LGBTQIA+ sobre essa cultura de assédio que existe entre os membros da letra G da sigla. Indico, inclusive o canal da Lorelay Fox, que já fez um vídeo expondo seus pensamentos sobre exatamente esse assunto.

Enfim, após esse momento muito problemático e uma conversa que confirmava que eu não tinha lido errado, decidi que o livro não é para mim. Pode até ser que no futuro eu venha a ler algo mais do autor, pois realmente gostei da escrita, ou até mesmo crie coragem para ler esse mesmo livro, mas até lá, melhor deixa, melhor cancela.

A Fúria dos Reis – George R. R. Martin

Não está sendo fácil ler essa série. Eu sou uma pessoa que gosta de ler os livros antes de assistir as adaptações, mas nesse caso, acabei assistindo a série muito antes de sequer saber da existência dos livros. Não só isso como também assisti as duas primeiras temporadas pelo menos umas três vezes com amigos e familiares que queriam minha companhia depois de eu ter indicado tanto.

Li o primeiro livro com muito custo, pois a escrita do Martin não é das mais rápidas e eu já sabia de tudo que ia acontecer. A série é muito fiel aos primeiros livros, então acabou que eu fiquei lendo ainda mais devagar.

Quando finalmente peguei para tentar ler Fúria dos Reis pela terceira vez, consegui ir bem. Inclusive, li ele durante o projeto Revisitando Westeros. Mas então cheguei no primeiro capítulo do Theon e olha, sinceramente, não tenho saco pra esse homem.

Se você nunca leu os livros, fique sabendo que o autor separa os capítulos por personagem. Esse é um dos aspectos que mais me encanta em Game of Thrones, o fato de que temos a perspectiva de tantos personagens, gostemos deles ou não. Nós vemos personagens complexos, com seus defeitos e qualidades. Podemos não gostar de um personagem, mas concordar com ele em determinado ponto, ou amar alguém e achar que está cometendo o maior erro da vida. Mas o Theon não me desce, gente. Eu odeio esse garoto, ainda mais logo no começo quando ele era ainda mais chato.

Esse é outro livro que ainda quero ler, só estou criando coragem para lidar com o ranço.

Drácula – Bram Stoker

Toda santa vez que menciono que desisti dessa leitura, alguém me chama de doida. E nem foi porque não estava interessada na história ou que não estava gostando da leitura. Foi simplesmente a falta de paciência que deu as caras novamente.

Eu ainda estava no início do livro e Drácula estava começando suas gracinhas pela cidade. A personagem vítima dele quase morre três vezes seguidas, ela precisa de uma transfusão de sangue três vezes seguidas, fazem de tudo um pouco pra proteger ela e todo dia a menina acorda com pressão baixa… no caso quase morta. Fiquei sem paciência para a enrolação tão característica de livros clássicos e deixei para outro momento. Não que eu vá estar com muito mais paciência no futuro, porque isso só tende a diminuir, mas eu pretendo retomar essa leitura também. Só não sei quando.

Ladrões de Sonhos – Maggie Stiefvater

Eu queria dizer que eu gostei do livro. Eu entendi? Não. Mas estava gostando. Estava investida nos personagens e na busca deles. Apesar de nada fazer sentido pra mim. Eu acabei abandonando porque minha assinatura do Kindle Unlimited expirou.

Como eu disse, eu estava gostando do livro, e apesar de a escrita da autora fluir de forma maravilhosa e ser rápido de ler, a história em si demora para se encaminhar. São momentos de informação e depois mais desenvolvimento de personagem, coisa que eu estava amando. Mas minha leitura estava parada justamente em um ponto sem muitos acontecimentos, então aproveitei e deixei em hiato até eu conseguir assinar novamente o Unlimited ou conseguir coagir alguém para conseguir os outros livros. Mas esse também eu pretendo voltar a ler!


Agora que terminei a lista percebi que apenas um deles eu de fato não tenho planos de dar mais uma chance. Mas o que eu quero saber é qual livro você abandonou, ou mesmo uma série que muita gente gosta e você não teve a famosa paciência?

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros