Acho que todo mundo já passou por aquele momento chato em que você está com seu lanche quentinho do lado, esperando para ser degustado, e esfriando enquanto você procura algo interessante para assistir enquanto come, e no fim acaba escolhendo uma série leve, com episódios rápidos, que já assistiu diversas vezes. Foi numa dessas buscas por alguma coisa para assistir durante a refeição que eu descobri a existência de One Day at a Time, remake de uma série homônima de 1975.

A série é uma sitcom (“comédia de situação”, ex.: The Big Bang Theory, Friends, Os Simpsons, etc.) que acompanha o dia a dia de uma família hispano-americana nos Estados Unidos. Penélope é uma ex-militar, enfermeira, mãe solo de duas crianças que teve com seu ex-marido. Sua mãe, Lydia, é uma mulher tradicional, viúva, que mora com a filha e os netos após ter fugido de Cuba com seu falecido marido. Elena é a filha mais velha, militante, inteligente e estudiosa. Alex é o filho mais novo, carismático, vaidoso e mimado pela avó. Além dos quatro, uma figura constante no apartamento é Schneider, filho de um milionário, mimado, rico e dono do prédio onde a família de cubanos mora.

Cada episódio da série aborda um tema importante de uma forma bem humorada, não deixando o humor tomar conta de momentos sérios. Assuntos como posse de armar, xenofobia, machismo, homofobia, depressão, ansiedade, relacionamentos entre pais e filhos, religião, intolerância, feminismo, vícios, e tantos outros são tratados com muito respeito, cuidado e humor.

Os personagens e as relações entre si são extremamente bem trabalhadas, com conflitos simples que qualquer pessoa pode ter dentro de casa. Particularmente, me senti muito representada em diversos momentos.

As atuações de todos envolvidos na série são de encantar, trazendo personagens distintos e identificáveis. One Day at a Time é o tipo de série que te abraça e te acomoda. Te dá tapa na cara, mas faz carinho ao mesmo tempo. Faz muitas críticas sociais fortíssimas, com enredos bem trabalhados e muita empatia. Uma certeza que se pode ter quando for assistir é que vai chorar e rir, talvez simultaneamente.

As três primeiras temporadas estão disponíveis na Netflix, porém é provável que as temporadas seguintes não sejam adicionadas ao catálogo já que a Netflix cancelou a produção da série. Entretanto, a emissora americana CBS comprou os direitos e salvou essa série maravilhosa do cancelamento.

Cada episódio é de meia hora, e apesar de seguir os padrões de uma sitcom e não necessitar que se assista em ordem para entender a maioria das coisas, ainda assim a série conta com uma linearidade em diversos momentos, não só para a história dos personagens, mas também que levam a momentos de grande carga emocional e tensão que acabam precisando de um entendimento prévio. Então minha dica é: assistam tudo do comecinho.

Com classificação indicativa de 12 anos de idade, eu acho que é uma série perfeita para momentos em que se quer assistir algo interessante quando se tem pouco tempo e também quando se quer maratonar e ver vários episódios seguidos. Recomendo fortemente, ainda mais porque percebo que ainda são poucas as pessoas que conhecem a série e ela merece o mundo.

ONE DAY AT A TIME

Criadores: Gloria Calderon Kellett, Mike Royce.

Elenco: Justina Machado, Rita Moreno, Isabella Gomez, Marcel Ruiz, Todd Grinnell.

Ano de lançamento: 2017

Uma família americana com raízes próximas em Cuba, composta por uma mãe recém-divorciada e ex-militar que precisa criar sua filha adolescente e o filho mais jovem, com a ajuda de sua mãe, uma cubana conservadora, e seu amigo Schneider.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros