Já fazem alguns anos desde que comecei a ler livros em inglês, e muitas pessoas costumam me perguntar qual é a melhor forma de se começar esse hábito. Por isso, decidi escrever um compilado com a minha experiência no assunto, além de várias dicas para aproveitar ao máximo.

Eu devia ter quinze, dezesseis anos quando li um livro em inglês pela primeira vez. Eu já tinha um certo nível na língua, e decidi que estava na hora de me desafiar um pouco. O livro que escolhi foi Crepúsculo, da autora Stephenie Meyer. E essa é a primeira dica: comece por um livro que você já leu.

Eu já tinha lido Crepúsculo aos treze anos. Meu raciocínio foi que eu já conhecia a história, portanto isso me ajudaria a entender a língua, e não o contrário. Lembro de ter conhecido muitas palavras novas com essa leitura. Duas delas foram “cheek = bochecha” e “sigh = suspiro”.

Outra dica, que também foi aplicada na escolha da primeira leitura em inglês, foi a de escolher uma leitura fácil. Não é uma boa ideia pegar para ler logo de cara um clássico. Livros mais atuais e mais leves (Crepúsculo; Para todos os garotos que já amei; Com amor, Simon; Harry Potter) são melhores justamente por ter um plot mais tranquilo e te permitir focar no aprendizado e desafio do que em compreender uma história complexa. Evitem também livros como O Príncipe Cruel, Trono de Vidro, e qualquer outro que se passe em um universo fantástico que remeta à Idade Média. Muitas palavras de inglês arcaico são usadas nesses livros, apesar da leitura ser fácil. Minha dica é deixar esses mais pra frente.

Outra coisa que vai ser necessária na sua vida logo nas primeiras leituras é um dicionário.

Com Crepúsculo, eu usei muito o Google Tradutor (lembrando que nesse caso, para melhores resultados e compreensão, traduzir apenas algumas palavras, pois não é a melhor forma de se traduzir as coisas). Mas minha dica de ouro aqui é: leiam em um kindle.

Primeiro porque você já carrega consigo tanto o livro quanto o dicionário (pra quem não sabe, dá para baixar dicionários de graça no kindle). Segundo porque você não precisa fechar um arquivo para abrir o outro. Basta pressionar o dedo por alguns segundos em cima da palavra que quer traduzir e as definições vão aparecer na tela. Terceiro: um dicionário em inglês. Descobrir o significado de uma palavra através de uma explicação em inglês ajuda muito no processo de aprendizagem.

Agora, eu sei o que muita gente deve pensar sobre livros em inglês: “eles são muito caros!”.

São mesmo, mas novamente, vou dar dicas…

Existem quatro formas nas quais se pode adquirir um livro importado:

Ebook

De modo geral, essa costuma ser a forma mais barata de se adquirir um livro, seja ou não em outra língua. Eu costumo sempre adicionar os livros que quero ler na minha lista de desejos da Amazon, tanto da edição física quanto digital. Dessa forma, se a digital estiver mais barata, dou preferência para ela.

Os únicos livros em que gastei mais de R$ 15,00 foram as sequências de Trono de Vidro e Corte de Espinhos e Rosas. Esses eu comprava na pré-venda, porque eu ficava nervosa pra ler logo que saísse. Essa é uma das vantagens de se ler no kindle. Mas fora esses, todos os outros eu paguei baratíssimo. No máximo, doze pilas.

Ex.: Scythe (O Ceifador) e Thunderhead (A Nuvem) peguei por R$ 4,00 cada. The Flatshare (Teto Para Dois) paguei R$ 4,00 também. 1984 (1984) por R$ 6,30.

O que eu quero dizer é que vale a pena ficar de olho nos preços dos ebooks. Muitas vezes eles entram e promoção, mas a Amazon não divulga.

Clássicos também são fáceis de encontrar de graça em ebooks na Amazon, numa linha lançada pela própria loja chamada AmazonClassics.

Capa dura

Os livros em capa são os mais caros. Realmente ao ponto de ser absurdo. Livros muito famosos, como os da V. E. Shwab chegam a custar mais de cem reais. Mas isso não quer dizer que não se possa investir neles.

As edições em capa dura vêm com uma jacket (que é a capa de fato, removível), e por baixo vem o livro em si. Essas edições duram muito mais tempo, principalmente por conta das lombadas não quebrarem.

Muitas vezes, no Brasil, quando um livro importado é lançamento, as únicas opções em inglês são os ebooks e os capa dura. Dependendo da edição, eu acabo preferindo esperar uma promoção para comprar eles em capa dura mesmo. Como por exemplo, Illuminae.

Mas existem promoções muito boas que rolam na Amazon de vez em quando. As quintas-feira costumam ter bastantes livros em promoção, mas não muitos em inglês. Domingo é o dia dos livros importados nas ofertas relâmpago.

Outra oferta recorrente também é em promoções como Black Friday, você poder comprar 3 ou 4 livros e o mais barato sair de graça. Em lojas como Saraiva, cupons de desconto muitas vezes funcionam nos livros importados também. A dica para comprar na Saraiva é escolher livros que estão em estoque. Se for sob encomenda, é quase certeza que vai demorar meses para ser entregue.

Outra loja para compras é o Book Depository. Recentemente eles passaram a aceitar o Real Brasileiro como pagamento, e além disso, eles não cobram frete. A loja é internacional, portanto demora um pouco para chegar, além de que você provavelmente vai ter que pagar os R$ 15,00 de entregas internacionais pelos Correios. Eu ainda não comprei pela loja, mas conheço amigas que compraram e garantem que chegam sempre. Os preços são bem parecidos com o do Brasil, mas por lá se encontram edições diferentes, e em alguns casos preços um pouco melhores. OBS.: não tenho certeza se livros seriam taxados, mas da última vez que li sobre (alguns anos atrás), esse tipo de compra destinada à educação não poderia ser taxada.

Capa comum

Os livros em capa comum são mais baratos e tão bonitos quanto. Algumas edições especiais em capa comum são lindas de morrer. Dependendo do livro e da hype em volta dele, até mesmo os capa comum são tão caros quanto os capa dura. De forma geral, capas comum vão de R$ 35,00 à R$ 50,00. Não são necessariamente baratos, porém menos caros que os capa dura.

Pessoalmente, acho uma delícia ler com essas edições. São gostosas de segurar, tem um cheirinho bem particular. A diagramação deles, num geral, é bem boa.

Apesar de serem mais frágeis que as edições Capa dura, ainda são bem mais resistentes que as Econômicas e duram bastante tempo.

Edição Econômica

Nesse caso, os livros são bem menores e mais gordinhos. Quase sempre as páginas são de papel reciclado, além de as letras serem menores. Ainda mais quando são livros grandes. Os preços vão até mais ou menos R$ 40,00 dependendo do livro.

Edições econômicas não acontecem para todos os livros. Livros mais atuais como Trono de Vidro, ainda não têm edições assim. Autores como Stephen King e Brandon Sanderson têm várias de suas obras publicadas em edições econômicas. Livros clássicos também são mais fáceis de encontrar.

Um pequeno problema das edições em Capa comum e Econômica, é a questão das lombadas quebrarem com muita facilidade. Além de as capas serem de material mais frágil, os livros acabam deteriorando com mais velocidade, principalmente as edições econômicas.

Uma menção honrosa também às edições bilíngues. Em sua grande maioria, se não todos, são livros clássicos. Porém ajudam muito também para ir aos poucos aprendendo.

Essas foram minhas dicas para ler mais e melhor em uma língua estrangeira. É importante manter em mente também que seu ritmo de leitura vai diminuir, mas depois que se acostumar, ele volta ao normal. Espero que tenham gostado e me contem se as dicas ajudaram ou se tinha algo aqui que você ainda não sabia. Se tiver mais alguma dica para complementar esse post, coloca nos cometários, assim todo nos ajudamos a melhorar nosso aprendizado!

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros