E Se Fosse a Gente? é um lançamento de 2019 da editora Intrínseca. É o primeiro livro escrito em parceria por Becky Albertalli (que já tem outros três romances publicados no Brasil) e Adam Silvera (com dois outros livros publicados por aqui).

SOBRE O LIVRO

Arthur está vivendo as férias dos seus sonhos em Nova York, encantado com tudo a sua volta. Ben vive o difícil e conturbado fim de seu primeiro relacionamento, e só quer se livrar o mais rápido possível da caixa com tudo que era do seu ex. É nesse momento de suas vidas que eles se conhecem, em uma agência de correios em Nova York, em uma cena digna de um musical da Broadway, ou de uma comédia romântica fofa.

“conheço um garoto bonito e fofo e, cinco segundos depois, estou no meio de um pedido de casamento com direito a flash mob? Poderia haver mensagem do universo mais clara do que essa?”

Porém eles não trocam números, ou mesmo nomes completos, e se vão se reencontrar ou não pode estar a cargo do Universo. Ou será que podemos dar um empurrãozinho no destino?


MINHA OPINIÃO

Eu tinha altíssimas expectativas para essa leitura, pois gosto muito dos livros da Becky Albertalli e minha primeira experiência com o Adam Silvera também foi bastante positiva, porém essa leitura acabou sendo uma grande decepção.

Os personagens não conhecem, e seus dramas soam exagerados, fracos, forçados. Não lembram em nada os livros que já li dos dois autores, sempre bem envolventes e cativantes.

“Eu só disse uma palavra nessa ligação – uma ligação que eu mesmo fiz – e já estou pronto para ouvir Arthur divagar por horas a fio”.

Somado a isso, a forma como a trama se desenvolve é muito enrolada e, em vez dos personagens ganharem profundidade, quem desperta nosso interesse são os personagens secundários, pois existe tanto drama desnecessário na relação entre Arthur e Ben que nos sentimos sendo enrolados.

“o universo sabia que era amor antes mesmo de nós sabermos”.

Apesar disso, o livro tem seus momentos fofos, que nos ajudam a seguir investidos na história. Com muitas referências potterhead e a musicais da Broadway, ele vai ganhando o leitor que também é fã, e acabamos torcendo, sim, para que eles terminem juntos.

Talvez para alguém que não tenha lido tantos livros do gênero, ou que ainda não conheça o trabalho dos autores, seja uma leitura gostosinha, para se fazer em um domingo chuvoso. Mas para quem já é fã desse estilo de livro, é provável que se sinta decepcionado, especialmente por saber o quão melhor esse livro poderia ter sido.

 

E SE FOSSE A GENTE?

Autor: Becky Albertalli & Adam Silvera

Tradução: Viviane Diniz

Editora: Intrínseca

Ano de publicação: 2019

Em Com amor, Simon, Becky Albertalli conquistou o público jovem com sua narrativa sensível e apaixonante sobre um menino gay prestes a viver uma grande história de amor. Em E se fosse a gente?, ela se une ao escritor Adam Silvera para narrar o encontro de dois garotos que não poderiam estar em momentos mais diferentes da vida, mas que vão desafiar os poderes do universo para ficarem juntos. De férias em Nova York, Arthur está determinado a viver uma aventura digna de um musical da Broadway antes de voltar para casa. Já Ben acabou de terminar seu primeiro relacionamento, e tudo o que mais quer é se livrar da caixa com todas as lembranças do ex-namorado. Quando eles se conhecem em uma agência dos correios, parece que o universo está mandando um recado claro. Bem, talvez não tão claro assim, já que os dois acabam tomando rumos diferentes sem ao menos saberem o nome ou telefone um do outro. Em meio a encontros e desencontros — sempre embalados por referências a musicais e à cultura pop ¬—, Ben e Arthur se perguntam: e se a vida não for como os musicais da Broadway e os dois não estiverem destinados a ficarem juntos? Mas e se estiverem? Aos poucos, eles percebem que às vezes as coisas não precisam ser perfeitas para darem certo e que os planos do universo podem ser mais surpreendentes do que eles imaginam.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros