História do Pensamento Ocidental, do filósofo britânico Bertrand Russell, é um relançamento de 2016 pela editora Nova Fronteira.

SOBRE O LIVRO

Fazendo um apanhado da história da filosofia ocidental, Russell nos conduzirá pelas teorias e problematizações de diversos pensadores, desde os pré-socráticos até os que compõe o período contemporâneo.

“O único modo de descobrir o que é filosofia é fazer filosofia”.

Partindo desse pressuposto, Russell irá não só fazer um relato histórico, mas também oferecer a sua visão crítica e a sua própria forma de entender a filosofia na interpretação e questionamento de cada período, autor e teoria abordados.


MINHA OPINIÃO

A escrita do Russell é muito boa, e mesmo sendo um livro teórico como esse, o leitor que se interessa pelo tema vai se sentir envolvido pelo estilo do autor. Ele consegue atingir um equilíbrio muito delicado entre reflexão e descrição histórica que colabora fortemente para a qualidade do texto.

“Na filosofia, o importante não são tanto as respostas, mas sim as perguntas”.

Acredito que esta pode ser uma boa introdução para quem gosta de filosofia, ou mesmo de história, e tem receio de sair lendo, de cara, as obras originais dos filósofos. Além de, por abranger um longo período histórico, poder ser um bom caminho enquanto obra de referência.

Uma coisa que é muito interessante é o uso que a edição faz de imagens, tanto dos próprios pensadores, quanto como modo de ilustrar certas teorias. Mesmo em uma versão de bolso como essa, mantiveram-se muitas das imagens originais, e de fato elas ajudam bastante a compreender melhor certos aspectos do texto.

“Um dos dons mais raros é ser capaz de manter um ponto de vista ao mesmo tempo com convicção e desprendimento. Os filósofos e os cientistas, mais do que os outros homens, preparam-se com esforço para conseguir esse fim”.

Mesmo não concordando com todas as colocações do autor, eu mesma discordei de algumas de suas colocações críticas, o simples fato de ele se posicionar é muito importante. Pois faz com que o leitor reflita e adquira uma postura mais crítica diante do que lê, seja concordando ou descordando das posições dele.

“A liberdade de palavra e pensamento é a grande promotora de uma sociedade livre, na qual o investigador possa deixar que a verdade o conduza aonde quiser”.

Essa edição tem alguns problemas, mais ou menos graves. Além de ser uma edição de bolso daquelas que contam com letra e margens apertadas que podem chegar a atrapalhar a leitura de quem gosta de livros com mais espaço, tem um problema grave de referência.

Precisamos lembrar que Russell, antes de escrever História do Pensamento Ocidental (Wisdom of the West), escreveu História da Filosofia Ocidental (A History of Western Philosophy), um volume mais extenso e que não dá o mesmo espaço para a filosofia contemporânea que é dado em História do Pensamento Ocidental.

Porém, nesta edição, é citado como se ela fosse a tradução de A History of Western Philosophy, quando, no próprio prefácio, Russell faz referência a este livro como anterior (e necessário). Dá para imaginar que foi um erro na hora de inserir o título da obra original, mas mesmo assim, é confuso para o leitor, especialmente para quem está lendo como estudo.

 

HISTÓRIA DO PENSAMENTO OCIDENTAL

Autor: Bertrand Russell

Tradução: Laura Alves e Aurélio Rebello

Editora: Nova Fronteira

Ano de publicação: 2016

Em “História do pensamento ocidental”, Bertrand Russell, um dos mais notáveis pensadores do século XX, analisa o desenvolvimento histórico da filosofia, abrangendo dos pré-socráticos até as principais tendências do pensamento na primeira metade do século XX. O autor esclarece com grande habilidade as ideias do homem a respeito do mundo e de si próprio.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros