Lançado durante o ano de 2020, o k-drama de oito episódios é produzido pela JTBC e tem no elenco nomes como: Jung Da-bin, Kim Sangwoo, Hwang Min-hyun, Noh Jong-Hyun, Yang Hye-ji, Yeon woo e Cho Byung-chan. Live On é dirigido por Kim Sang-woo e tem o roteiro assinado por Bang Yoo-jung.

Seguindo um tópico comum entre os dramas, Live On é um dorama coreano de vida escolar que gira em torno da protagonista Baek Ho-Rang, uma adolescente com um relativo número de seguidores nas redes sociais o que faz dela uma figura popular de influência em sua escola. Contudo, a popularidade online de Ho-Rang se contrasta com as suas poucas relações verdadeiras na vida real: sempre muito distante e aparentando ser indiferente aos demais colegas, a adolescente tem como único amigo a figura de Kim Yoo-Shin.

Relativamente bem com isso, as coisas começam a mudar para Baek Ho-Rang quando uma pessoa misteriosa começa a ameaçar revelar uma situação traumática de seu passado e passa a aterrorizar a menina contando histórias anônimas, que Baek Ho-Rang sabe que são sobre ela na rádio da escola. Determinada a descobrir quem está a perseguindo, a jovem entra no time de rádio e tv do colégio e lá vai encontrar não apenas com uma ex amiga de seu passado, mas também conhecerá o estudante Go Eun-Taek, um jovem extremamente perfeccionista e que guarda por trás de seu desempenho perfeito uma série de frustrações emocionais que sua família nunca suprimiu.

De forma inesperada, em meio a busca por enterrar de vez um passado que a machucou com tanta força, Baek Ho-Rang vai encontrar na rádio da escola não apenas um meio para expressar sua verdadeira face ao mundo, mas também irá ter a chance de solidificar amizades novas, reascender relações antigas e encontrar o amor.  


Live On foi uma grata surpresa de 2021 e que eu lamento profundamente não ser uma obra tão conhecida fora de uma bolha específica do “dramaland”. Talvez por ter sido lançado em meio a uma temporada de lançamentos grandiosos, “Live On”, com seus oito episódios e uma história que superficialmente poderia soar como “só mais um drama escolar”, acabou por não despertar a atenção que de fato merecia. E, honestamente, Live On merecia muita atenção justamente por ser uma narrativa que, em termos de trama, é considerada simples e traz tópicos comuns a enredos de vida escolar, mas tem o seu trunfo especial em um elemento essencial para uma história: os personagens.

Brilhantemente escritos e com um desenvolvimento que é sútil, verossímil e encantador, os personagens e suas tramas é o que fazem de Live On um drama tão especial e pelo qual sentimos gosto em assistir. A história solidifica esses personagens enquanto elementos que, como espectadores, podemos confiar que são quase reais e assim nos aproximamos deles de forma intensa: sorrimos, torcemos, sentimos suas dores e desejamos que eles consigam o que tanto querem. Baek Ho-Rang é uma protagonista que facilmente poderia cair em um estereotípico de personagem de trama escolar que é a figura “sofredora determinada”, mas por conta do roteiro, ela nunca cai em um arquétipo. A personagem é múltipla, seu passado a machuca, mas não a limita, vemos seus sentimentos com clareza e entendemos suas ações, mesmo que discordemos delas. Em torno da trama de Baek Ho-Rang, o drama discute problemáticas bem sérias acerca de cyberbullying e sociedade das aparências.

Ao lado da protagonista, Go Eun-Taek é outro personagem que, de forma sútil e firme, também não é um simples estereótipo do protagonista masculino “protetor e possessivo” que dramas escolares possuem. Muito pelo contrário: Go Eun-Taek encanta por sua sensibilidade, é a sua confiança absoluta em Baek Ho-Rang que torna o romance deles tão doce. Ações e diálogos entre eles preenchem qualquer requisito de enlaces amorosos que bons dramas deveriam ter. Sem precisar das cenas de beijo tão esperadas em dramas, Go Eun-Taek e Baek Ho-Rang provam seu amor nos pequenos atos: mostrando-se vulneráveis, conversando até tarde da noite pelo celular, confiando um no outro em momentos extremos e dando espaço para que o outro revele seus sentimentos da sua forma.

Go Eun-Taek também reúne em torno de si uma trama familiar bem difícil em torno da história do divórcio dos seus pais, em parte, seu perfeccionismo as vezes exagerado é um sintoma do que o passado da partida de sua mãe representou em sua vida e vemos de uma forma sensível as tentativas dele e da figura materna ausente de se entenderem após tanto tempo.

Não apenas os dois protagonistas são incríveis de acompanhar, mas também os personagens secundários são um deleite em especial: Woo-Jae, melhor amigo de Go Eun-Taek; JI So-Hyun, ex-melhor amiga de Baek Ho-Rang; Kang Jae-Yi, colega de turma de Baek Ho-Rang e Kim Yoo-Shin, melhor amigo de Baek Ho-Rang, formam um núcleo secundário extremamente agradável e que também carregam consigo um roteiro simples, mas especial justamente por serem tão bem feitos em seu propósito. Sem se tornarem arquétipos de humor ou de drama, esses personagens circulam ao redor dos protagonistas com vida própria e trazem questões típicas da adolescência, temos assim momentos bem humorados sobre corações partidos, paixões inocentes e mágoas da juventude mostradas na sua forma mais sincera.

Em torno de Woo-Jae e Kang Jae-Yi temos um casal secundário que já traz questões novas e diferentes das do casal principal, pois ambos namoram há muito tempo e representam os problemas de um casal que, após tantos anos juntos, ainda tem diferentes falhas de comunicação que acabam os afastando. Por serem tão diferentes, Woo-Jae e Kang Jae-Yi precisam conciliar suas personalidades opostas e trilhar um caminho para levar esse relacionamento adiante de forma saudável para os dois. É neles que vemos que o amor não basta em todas as situações e por essa razão outros sentimentos se fazem necessários para que um relacionamento funcione.

Já com Ji So-Hyun vemos com mais detalhes o passado de Baek Ho-Rang, traduzindo as típicas magoas da adolescência e o quanto disso pode vir muito mais de um contato mal estabelecido entre duas pessoas, do que de fato sobre uma mágoa intencional de alguém. A relação entre as duas mostra uma So-Hyun inicialmente distante de Ho-Rang, mas conseguimos entender o que machucou as duas e assim podemos ver por quais caminhos elas podem se acertar. Além disso, So-Hyun também se enquadra numa trama mais bonitinha sobre um amor mais leve com Kim Yo-Shin, rendendo ótimos momentos de humor.

Separados, esses personagens já são maravilhosos e juntos trazem uma sensação de conforto muito boa. É por meio deles que a trama se concretiza e ganha espaço como algo que é envolvente para o espectador. Juntando esse enredo com as excelentes atuações do elenco e a deliciosa trilha sonora da trama, temos em Live On um k-drama curto, rápido de assistir e que possui uma história extremamente especial em sua simplicidade e boa construção ficcional. É por essa razão que Live On é uma indicação perfeita até mesmo para quem não tem costume de ver dramas coreanos e é uma obra ótima de se assistir quando tudo que precisamos é uma história despretensiosa, mas muito boa e que vai terminar fazendo a gente lamentar um pouquinho por só ter oito episódios para aproveitar.

LIVE ON

Diretor: Bang Yoo-jung

Elenco: Jung Da-bin, Hwang Min-hyun, Noh Jong-Hyun, Yang Hye-Ji, Yeon Woo, Choi Byung-chan

Ano de lançamento: 2020

Baek Horang é uma estudante do ensino médio, muito popular na escola e nas redes socais por uma aparência. Sua personalidade, entretanto, não é das melhores, e por isso ela só tem um amigo

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros