Atenção!

Esse livro possui conteúdos sobre vícios em drogas, podendo ser um assuntos sensível para algumas pessoas.

Longo e Claro Rio, de Liz Moore, é o livro de fevereiro de 2021 do clube de assinaturas TAG Inéditos em parceria com a editora Trama.

Sobre o Livro

Mickey é uma policial que cresceu no bairro Kensington, Filadélfia, e atualmente trabalha como policial fazendo ronda nessa área, bairro abalado pela epidemia de opioides. Ao atender o chamado para mais um caso de overdose, ela percebe que, na verdade, a vítima foi assassinada.

Assim surgem mais caso de mulheres viciadas que se prostituem para manter seu vício, e logo percebe-se que há um assassino a solta, com um padrão de vítima definido.

Kacey vive nas ruas do bairro Kensington, viciada em heroína, e não é vista há um bom tempo. Sendo um alvo em potencial do assassino e desaparecida, sua irmã Mickey sai em sua busca, colocando em risco seu trabalho e também sua vida e daqueles que ama.

“Tinha mais medo da verdade do que da mentira. A verdade mudaria as circunstâncias da minha vida. A mentira era estática. A mentira era a paz. Eu estava feliz com a mentira.”


Minha Opinião

A escrita de Liz Moore me conquistou nas primeiras páginas, sendo muito bem trabalhada, séria — em primeira pessoa, retrata muito bem a personalidade da personagem — e extremamente sensível. A autora aborda as questões de vício e prostituição com muita delicadeza, e a empatia que o livro transmite em relação a essas pessoas é admirável e inspirador.

Dessa forma, Longo e Claro Rio é muito mais um drama familiar que aborda a relação de amor incondicional de duas irmãs que seguiram caminhos completamente opostos, do que um suspense policial.

Intercalando entre presente e passado, a história de Mickey e Kacey vai sendo apresentada, mostrando um pouco mais de suas infâncias, deixando a relação entre as duas e o laço de irmãs muito mais desenvolvido e palpável.

Por Mickey não fazer parte da área de investigação, não há tantos detalhes em relação a isso e, ainda que alguns aspectos sobre estejam presentes, o suspense se baseia mais na busca da policial pela irmã, e mesmo isso não me pareceu o foco da história. À vista disso o livro se torna um drama profundo, deixando o suspense como pano de fundo.

Chegou um momento do livro em que eu estava presa à leitura, mas não sabia descrever o que exatamente estava me deixando assim e esse era o sentimento. A história das irmãs e as questões da vida pessoal de Mickey me cativou, e Liz Moore entregava os detalhes de pouco em pouco, deixando-me na expectativa de mais.

Por mais que os casos de assassinatos não sejam o foco, ele está presente na história e também me deixou interessada. Dessa forma, eu tive minhas suspeitas em três personagens e mesmo assim não consegui solucionar o caso.

Para mim a autora fechou todos os pontos em abertos, alguns dos quais eu nem me recordava mais. Além disso, consigo entender as críticas em relação ao desfecho dos assassinatos, mas mesmo simples senti que foi satisfatório.

“Mas se eu tinha vergonha da minha aparência, tinha orgulho da minha inteligência, que imaginava no meu íntimo como algo que descansava tranquilamente dentro de mim, um dragão adormecido a proteger uma riqueza que ninguém, nem mesmo Gee, podia me tirar. Uma arma que eu um dia usaria para salvar nós duas: eu e minha irmã.”

Também vale ressaltar que após a revelação relembrei uma cena onde o personagem parecia muito suspeito, e eu interpretei de outra forma, portanto isso foi um ponto positivo na minha experiência.

Apesar da fonte pequena, o que torna minha leitura mais lenta, e na maioria das vezes, consequentemente arrastada, a de Longo e Claro Rio se mostrou surpreendente fluída. Ademais, a fonte não foi desconfortável visualmente para mim, mas pode ser para outras pessoas.

Por ser uma edição do clube de assinatura da TAG inéditos a edição é inédita. Essa, por mais que eu não seja meu design preferido, há um detalhe muito diferente: as letras dos títulos são cortadas e a cor laranja é a orelha. Contudo, isso torna a capa um tanto mais frágil, fazendo com que haja a necessidade de um manuseio mais cuidadoso.

Dito isso, Longo e Claro Rio é um livro que entra na minha lista de recomendações. Entretanto, acredito que ele possa agradar mais a pessoas que estão iniciando no suspense/thriller e leitores que gostam de dramas, dramas familiares e/ou suspense com drama.

LONGO E CLARO RIO

Autor: Liz Moore

Tradução: Fernanda Abreu

Editora: TAG Experiências Literárias / Trama

Ano de publicação: 2021

Em uma cidade abalada pela crise dos opioides uma família tem um perfil particularmente comovente. Uma irmã, Kacey, vive nas ruas há anos sob o forte vício da heroína; a outra, Mickey, é uma policial cuja área inclui os lugares regulares de Kacey. Elas não se falam mais e o departamento de polícia não tem ideia de sua conexão, porém Mickey nunca para de se preocupar e zelar pela irmã. Mickey entende com o que Kacey está lutando, mas ela tem seus próprios demônios para combater no dia a dia. Então Kacey repentinamente desaparece ao mesmo tempo em que uma misteriosa sequência de assassinatos tem início dentro do recinto de Mickey, o que faz esta entrar em pânico pela segurança de sua irmã – as vítimas, ao que parece, se encaixam perfeitamente no perfil de Kacey. Arriscando seu emprego e talvez até o bem-estar de seu filho de quatro anos, Mickey torna-se perigosamente obcecada em descobrir o que aconteceu com sua irmã e as outras mulheres desaparecidas. Alternando um suspense nos dias atuais com a história da infância e adolescência dessas irmãs, e com as tentativas de uma Mickey adulta para equilibrar trabalho e o papel de mãe solteira, “Longo e claro rio” é um romance rico e cinematográfico que é tão fascinante, surpreendente, emocionante e comovente, que é impossível desviar o olhar.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros