Publicado aqui no Brasil em 2020 pela Arqueiro e de autoria de Ken Follett, este é um livro de não-ficção tendo os direitos autorais destinados à doação para ajudar a reconstrução da catedral Notre-Dame.

Sobre o Livro

Autor de vários livros de suspense histórico, Ken Follett é um dos inúmeros artistas a se sentir indignado e triste com o incêndio que ocorreu em 2019 em uma das famosas e mais importantes catedrais da história da humanidade, a Catedral de Notre-Dame, localizada em Paris.

Convidado a compartilhar com os leitores seus sentimentos pela grande perda que o incêndio provocou, Follett nos conta, brevemente, a história da catedral, criada desde o século XII em uma era onde o estilo gótico ainda era um imaturo pensamento. Sendo promissora para os cristãos, Notre-Dame levou séculos para ficar pronta. E durante todo este período, muitas coisas aconteceram até sua construção finalmente ser finalizada.

“Uma catedral é uma obra de arte, mas a ideia nunca pertence a uma só pessoa.”

Follett escrevera décadas atrás um livro que se tornou sua principal obra: Os Pilares da Terra, onde narra a construção de uma catedral com inspirações em Notre-Dame. É neste ponto em que Follett também traz trechos de seu livro e relaciona com a Notre-Dame em seu passado e em seu presente.

A história de Notre-Dame não só se acaba com a finalização de sua obra: ela vai mais além, sendo importante como cenário para a Revolução Francesa, para o movimento literário romancista tendo uma das cabeças Victor Hugo, até os momentos de hoje, quanto depois de muito tempo ela se encontra pegando fogo, sob uma França republicana conturbada por questões políticas atuais.

Minha Opinião

De forma muito breve e curta, Ken Follett me trouxe para a realidade ao qual fora uma derrota para as nossas memórias, o incêndio da Catedral de Notre-Dame. Até então, eu nunca havia mensurado a importância histórica que teve esta tão aclamada catedral. Sempre soube de sua importância, mas com este livro pude perceber que nossas perdas foram maiores do que imaginado.

Uma tristeza ser um livro muito curto. Às vezes penso que talvez foi escrito às pressas para poder não perder a lembrança do incêndio. Mas pôde nos apresentar quase que um livreto de menos de 100 páginas, contanto os principais acontecimentos com a catedral, seu corpo arquitetônico único e gótico e as diversas mãos que a catedral passou para finalizar sua construção. Além do mais, influências literárias como a de Victor Hugo em O Corcunda de Notre-Dame e Notre-Dame de Paris, e as de outros autores, foram manifestações artísticas que defenderam a importância e o simbolismo de uma catedral, em específico esta de Paris.

“Catedrais sempre atraíram turistas. Os visitantes de hoje vêm não apenas da Europa, mas de culturas bem distintas, incluindo Japão, Estados Unidos e Índia. Quando todos esses visitantes olham para nossas catedrais, o que eles pensam?”

Ilustrado e direto, o livro nos deixa uma lembrança. Lembrança de que coisas assim podem acontecer e portanto, precisamos evitar que algo deste tipo aconteça novamente. O incêndio da catedral e a leitura deste livro me remeteu também a grande perda que tivemos, tempos antes em 2018, com o incêndio arrasador que destruiu grande parte do Museu Nacional do Rio de Janeiro, sob um governo que, também, estava em constantes crises políticas e econômicas, nas quais permanece até hoje.

“[…] Uma cena fundamental no Capítulo Quatro descreve a antiga Catedral de Kingsbridge em chamas, e eu havia me perguntado: de que forma, exatamente, uma enorme igreja de pedra pega fogo?”

Museus, catedrais, casas, estátuas e outras quaisquer construções criadas pelo ser humano, sempre foram nossas fotografias do passado. É importante entendermos o por quê de permitirmos que uma construção velha como a Notre-Dame permanece até hoje, embelezando as cidades e alimentando turistas curiosos. É história guardada em uma construção de pedra. E se esta construção, por mais que seja de pedra, pegar fogo, nossa história também estará virando cinzas.

Ken Follett nos alimenta com a história e assim sempre foi em suas obras. Vale a dica para quem gostou de um de seus livros, principalmente Os Pilares da Terra, para nos aproximarmos ainda mais do autor com este pequeno livro. Livros como este sempre serão essenciais para permanecerem, tanto em memórias boas quanto as ruins, nas nossas estantes.

NOTRE-DAME: A HISTÓRIA DE UMA CATEDRAL

Autor: Ken Follett

Tradução: Roberta Clapp e Bruno Fiuza

Editora: Arqueiro

Ano de publicação: 2020

Ken Follett já vendeu mais de 160 milhões de livros no mundo. Em Notre-Dame, Ken Follett reflete sobre o papel que a catedral desempenhou ao longo do tempo e revela a influência que ela exerceu tanto em outras catedrais ao redor do mundo quanto em um de seus mais conhecidos e adorados romances, Os Pilares da Terra. Ele descreve, também, as emoções que sentiu ao saber do incêndio que quase destruiu uma das maiores catedrais do mundo: “A magnífica Catedral de Notre-Dame de Paris, uma das maiores realizações da civilização europeia, estava em chamas. Aquela visão nos deixou estupefatos e profundamente perturbados. Fiquei à beira das lágrimas. Algo inestimável estava morrendo diante dos nossos olhos. Era uma sensação desconcertante, como se a terra estivesse tremendo.”

Relacionados

Destaques

Insta
gram

[jr_instagram id='3']

Parceiros