O Segredo de Rose Gold é da escritora Stephanie Wrobel. Ele foi lançado pela editora Verus, em 2020.

Sobre o livro

Durante 18 anos, a jovem Rose Gold acreditou estar muito doente. Ela andava de cadeira de rodas, tinha uma sonda para se alimentar e vivia passando por diversos médicos. Eram tantas doenças que, apesar dos exames, ninguém sabia exatamente o que ela tinha.

“Mate esta charada para mim: Se passei duas décadas maltratando minha filha, por que ela se ofereceu para vir me buscar hoje?”

Por isso, sua mãe Patty Watts vivia para ela. Sempre pronta para medicá-la e cuidar de cada detalhe da sua vida. As duas viveram vidas solitárias, onde só podiam contar uma com a outra. Toda essa dependência entre as duas acabou por criar duas pessoas muito peculiares.

Agora, após 5 anos presa por maus tratos, Patty será liberada da prisão e voltará a viver com sua filha e o neto, o bebê Adam. Ela deseja reconstruir os laços com Rose e voltar a ser a família de antes. No entanto, muitas coisas parecem ter mudado durante os anos que ela esteve presa. Será que ela vai conseguir se reaproximar da filha?


Minha opinião

Se você já conhece a história real de Dee Dee e Gypsy, pode ser que você já tenha visto tudo isso antes. Além disso, ainda em 2021, foi lançado o filme Run, na Netflix, onde uma história semelhante é contada e mostra um final interessante e perturbador. Esse tipo de atitude tem até nome: síndrome de Munchausen. Ela é compreendida como um tipo de abuso infantil, em que um dos pais, geralmente a mãe, simula sinais e sintomas na criança, com a intenção de chamar atenção pra si. Parece surreal imaginar que algo assim aconteça de verdade, mas é o que encontramos em diversos casos, como este livro.

A história se passa em 2017, após Patty sair da prisão. No seu julgamento, a própria filha testemunhou contra ela e fez a mãe ficar conhecida como um monstro na sua cidade. O que achei interessante é esse salto que a história dá, começado pelo momento que tudo já deu errado e que ela está finalmente saindo do lugar onde foi parar. Não temos muitas informações sobre o que exatamente ocorreu durante o seu julgamento, prisão e o que motivou tudo isso. Já passamos por esse turbilhão de emoções e ela se mostra pronta para recomeçar. Afinal, ela acredita não ter feito nada de errado, sendo apenas uma mãe cuidando da filha doente.

Durante a narrativa, temos as visões das duas: Patty acreditando ser uma mãe zelosa e preocupada que fez tudo para manter a filha com saúde e segura, e Rose que sofreu abusos físicos e psicológicos e viveu uma vida baseada em mentiras. Cada uma apresentará seus segredos e pensamentos mais sombrios. Se por um lado a mãe está sofrendo e demorando a se adaptar na prisão, por outro Rose não sabe como viver uma vida “normal” e de liberdade. Sua mãe deixou diversas marcas nas suas lembranças e na sua pele.

“É isso que distingue as pessoas sãs daquelas insanas: saber que a loucura é uma alternativa, mas preferir rejeitá-la.”

As duas apresentam claros problemas. Todos os desafios enfrentados por Rose acabaram criando uma mulher retraída, vingativa e perigosa. Além disso, sua aparência física a incomoda muito. Ela é muito magra, possui os dentes podres e sofre em um mundo onde não sabe se portar. De qualquer forma, a única pessoa que ela conhecia e podia confiar era também aquela que destruiu sua vida. Essa dependência é tão grande entre elas que, mesmo sabendo que era algo nocivo e fatal para ela, Rose ainda sente falta da sua mãe e da estranha sensação de pertencimento e acolhimento que ela proporcionava. Para piorar, ela não consegue se adaptar à sua nova vida e sofre com as maldades das pessoas, mesmo sem fazer nada de errado.

Por outro lado, é surreal saber os pensamentos da Patty. Ela não vê nada de errado no que fez e segue enfrentando tudo e todos. Ela não mede esforços para reconquistar a confiança da filha e está disposta a ser outra pessoa para isso. Para quem está acostumado com histórias desse tipo e notar as semelhanças com outros casos, pode ser que entenda desde o princípio o que irá acontecer aqui. No entanto, é muito interessante ver a história se desenvolvendo e perceber todas as nuances e segredos que levam para o plot final.

Duas coisas que me incomodaram um pouco foram: as diversas semelhanças com um caso já conhecido e a falta de uma explicação melhor sobre o que ela viveu e o que desencadeou a prisão da mãe. Porém, entendo que a autora preferiu focar no pós e em uma forma de vingança ou redenção. Para quem gostar do livro, sugiro assistir a série The Act (2019), baseada na história da mãe e filha que citei no começo e que parecem servir de inspiração para este livro. Além disso, também está disponível um documentário sobre o caso na HBO Max, Mamãe morta e querida (2017).

A narrativa é super frenética e envolvente e, quando você menos espera, já está chegando nas páginas finais para finalmente descobrir o que está acontecendo. Cada revelação vai acontecendo aos poucos, mas algumas acontecem cedo e nos deixam de orelhas em pé esperando uma resposta para tudo isso. Adorei a narrativa e para quem gosta de livro assim, tenho certeza que vai adorar também.

 

O SEGREDO DE ROSE GOLD

Autor: Stephanie Wrobel

Tradução: Ryta Vinagre

Editora: Verus

Ano de publicação: 2020

As mães nunca esquecem. As filhas nunca perdoam. Em O segredo de Rose Gold, por dezoito anos, Rose Gold Watts acreditou estar seriamente doente. Era alérgica a tudo e vivia em hospitais. Chegou a pensar que precisasse mesmo da sonda gástrica, das cirurgias, da cadeira de rodas… Os vizinhos faziam o possível para ajudar, mas, não importava por quantos médicos a menina passasse, quantos exames ou cirurgias realizasse, ninguém sabia o que havia de errado com ela.Acontece que a mãe dela, Patty Watts, é uma ótima mentirosa. E, após cinco anos na prisão, ela está finalmente livre. Tudo o que Patty quer é deixar as mágoas para trás, fazer as pazes com a filha – que testemunhou contra ela – e cuidar do neto. Assim, quando Rose Gold concorda que Patty vá morar com ela, parece que o relacionamento entre mãe e filha está, de fato, caminhando para a reconciliação. Mas Rose Gold conhece a mãe. Patty sempre acerta suas contas. Só que, infelizmente para ela, Rose Gold não é mais sua filhinha querida… e estava apenas aguardando que a mãe voltasse para casa.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros