Lançado durante o ano de 2020 e distribuído internacionalmente pela plataforma de streaming da Netflix, Run On ou Na Direção do Amor, em tradução para o português, é um drama coreano estrelado por Im Si-Wan e Shin Se-Kyung, roteirizado por Park Min-Seook e dirigido por Lee Jae-Hoon.

O k-drama conta a história de Ki Seon Gyeon, um atleta de grande carreira nas pistas de atletismo e que pertence a uma família rica e influente no mundo da fama e da política. Ao lado de Seon Gyeon, a protagonista Oh Mi Joo representa o outro lado desse universo de holofotes e dinheiro, pois sendo uma tradutora de legenda de filmes, Oh Mi Joo cresceu órfã e tem como família sua amiga de trabalho com quem divide uma casa.

Pertencentes a universos opostos e com personalidades que nem sempre se conversam, Ki Seon Gyeom e Oh Mi Joo vão ter seus caminhos cruzados quando ele a ajuda a recuperar um item roubado em um assalto. Em seguida os dois vão acabar se esbarrando diversas vezes por circularem em alguns ambientes de trabalho improvavelmente em comum. Seon Gyeom é filho da maior atriz de cinema da Coreia e é ironicamente o trabalho de Mi Joo como tradutora de legendas que vai fazer com que os dois precisem trabalhar juntos, com ela atuando como intérprete dele em algumas entrevistas.

Próximos por diferentes coincidências do destino, os dois vão precisar lidar com as distintas vidas que eles vivem, com o pai bastante controlador de Seon Gyeom e as pendências que a vida das aparências deixa nos caminhos do atleta, bem como também vão precisar aprender a conversar um com o outro e expor seus sentimentos de forma clara e sincera. Acostumados a nunca demonstrar fraqueza, Oh Mi Joo e Ki Seon Gyeom vão descobrir que se mostrar vulneráveis um para o outro é talvez o maior desafio que um relacionamento pode ter de enfrentar para se estabilizar.


De enredo simples e poucas reviravoltas dramáticas, todo o mérito de Run On reside na sutileza da construção do relacionamento de seus personagens e na abordagem narrativa que o roteiro faz sobre a importância da comunicação entre as pessoas. Seon Gyeom é um protagonista atípico devido a sua introversão, sua dificuldade de se expressar por vezes gera confusões emocionais e conflitos com Oh Mi Joo e é esse um dos desafios que o personagem precisa enfrentar durante a trama.

Além disso, é muito interessante acompanhar a construção de mundo no qual o mocinho cresceu; filho de pais muito influentes, seja na mídia ou na política, a vida de Seon Gyeom sempre foi cercada de câmeras, de entrevistas roteirizadas, fotos programadas para ressaltar a família feliz e perfeita que a sua deveria aparentar externamente e até sua profissão foi decidida após jogos de influência do seu pai. O tempo todo anulando sua própria vontade em prol dos demais, Seon Gyeom vê-se diante de um novo momento na sua vida quando, pela primeira vez, desafia o pai e denúncia situações de bullying que aconteciam nos bastidores do atletismo contra colegas menos ricos e importantes que ele. Essa temática o segue por toda a trama e suas decisões giram tanto em torno de tentar concertar as injustiças que ele vê sendo cometidas, quanto também aprender pela primeira vez quais decisões e gostos são de fato dele e não apenas concessões que ele faz em prol da imagem da família.

Enfrentando uma jornada diferente, Oh Mi Joo é uma protagonista muito interessante que traz em sua história o desafio de entender qual seu papel profissional e quais são os limites entre ser mediana no que faz por medo de desejar sonhos mais altos. Apaixonada por cinema, ao escolher legendar filmes e viver sua vida da forma mais confortável possível, Mi Joo talvez estivesse deixando passar oportunidades únicas de enfrentar desafios que a levassem mais alto, tudo por medo de sair da sua zona de conforto. Em seu relacionamento com Seon Gyeom, vemos o quanto ela também precisa se esforçar para entendê-lo e não deixar que estremecimentos pequenos abalem o relacionamento deles, sendo um esforço de ambas as partes fazer com que a relação funcione de forma honesta.

Outro destaque da trama são seus personagens secundários, em particular Seo Dan Ah e Lee Young Hwa, que protagonizam o casal secundário da história e possuem sozinhos tramas extremamente divertidas e empolgantes de acompanhar. Dan Ah cresceu no mesmo ambiente que Seon Gyeom, sendo filha de um empresário muito rico que viveu em prol das aparências e que, apesar de saber que a competência da filha era extraordinária no trabalho, ainda a reduzia apenas a ideia de casamento e dava ao irmão dela o controle das heranças da família.

Obstinada a enfrentar isso, Dan Ah projetou para si mesma uma personalidade ácida, durona e que constantemente machuca as pessoas com sua arrogância, o que causa conflitos em seus relacionamentos amorosos e até com seu irmão mais novo que foi vítima da mesma criação que ela. Sua acidez encontra uma barreira na amável personalidade de Lee Young Hwa, um jovem universitário que pinta quadros para estabelecimentos e no qual Dan Ah enxerga um grande talento. Engraçado e emocionalmente aberto, Lee Young Hwa chora quando se sente triste, ri quando está feliz e toma decisões sempre baseadas em seu coração, atitudes que Dan Ah jamais poderia tomar. Com os caminhos cruzados graças as pinturas de Lee Young Hwa, os dois vão protagonizar momentos hilários e muitas brigas de cão e gato que geram um dos casais mais bonitos do drama.

Como tópicos interessantes, Run On aborda a temática do bullying de forma a ressaltar o quanto a situação ainda é um tabu para a mídia e o quanto as vítimas de violência muitas vezes são as que pagam pela situação. Observamos como que uma sociedade que vive de aparências detesta quando alguém revela a verdade cruel e feia por trás de algo que idolatram e é muito triste, mas muito necessário acompanhar os passos que os personagens dão para dar a volta por cima. Outro detalhe de enredo muito interessante é justamente observar os bastidores do cinema. Como Mi Joo é tradutora, vemos a produção de filmes e o trabalho quase desumano realizado por aqueles que não estão sob os holofotes. Também são pontuados os casos de xenofobia de estrangeiros em posição de poder contra funcionários coreanos, bem como há a abordagem da homofobia e da auto aceitação de um personagem LGBTQ+ que está na jornada da autodescoberta.

De brinde, a trilha sonora é muito bonita, o elenco tem muita sintonia em tela e quando os núcleos se juntam é um show de humor e de diversão que recheiam o episódio e dão um quentinho no coração. É reunindo leveza com tópicos importantes e bons personagens que “Run On” se torna a recomendação perfeita para quem quer se entreter com uma história simples, mas que deixa uma marca muito feliz na nossa memória quando terminamos.

RUN ON

Diretor: Park Min-Seook, Lee Jae-Hoon

Elenco: Im Shi Wan, Choi Soo Young, Shin Se Kyung, Kang Tae Oh

Ano de lançamento: 2020

ma estrela do atletismo desvia-se do seu trilho de vida pré-definido e segue o seu próprio ritmo e coração quando uma tradutora de filmes entra na sua vida.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

[jr_instagram id='3']

Parceiros