Um Acordo e Nada Mais é o segundo livro da série Clube dos Sobreviventes, da autora Mary Balogh. A publicação é de 2018 pela editora Arqueiro.

Sobre o Livro

Vincent voltou cego da guerra e sua nova condição deixou sua mãe ainda mais ávida por casá-lo com a melhor dama possível; de preferência escolhida por ela, é claro. Por isso ela manipula e arquiteta planos para que o visconde Darleigh case e lhe dê netos o quanto antes. Ela não se importa com o que ele pensa ou quer, desde que mantenha seu domínio sobre ele, afinal, coitado, ele não enxerga.

É numa dessas armadilhas que a Srta. Sophia Fry aparece e tenta ajudá-lo a se livrar de um escândalo previamente articulado. É claro que ela, uma simples garota órfã e sem nada, acaba sofrendo as consequências por este ato solidário. E Vincent, sendo o cavalheiro que é, não pode deixar a moça arcar com as consequências de um plano forjado pela sua própria mãe.

“Srta. Fry, me daria a grande honra de se casar comigo? Daria a nós dois a chance de realizar nossos sonhos?”

Com o objetivo de resolver seus maiores problemas ele, que está cansado de ser manipulado pela mãe e ter sua vida pormenorizada pelo fato de ser cego, propõe a ela, que precisa de um lugar para viver e de segurança para seguir em frente, que se casem e se tornem donos de seus próprios destinos. É só um acordo simples e nada mais. Certo? Mas se é só isso, o que todo aquele carinho significa? E a imensa vontade de estar perto um do outro e de tornar suas vidas cada vez mais entrelaçadas, o que quer dizer? E o que fazer quando um acordo acaba se transformando em algo mais

Com o objetivo de resolver seus maiores problemas ele, que está cansado de ser manipulado pela mãe e ter sua vida pormenorizada pelo fato de ser cego, propõe a ela, que precisa de um lugar para viver e de segurança para seguir em frente, que se casem e se tornem donos de seus próprios destinos. É só um acordo simples e nada mais. Certo? Mas se é só isso, o que todo aquele carinho significa? E a imensa vontade de estar perto um do outro e de tornar suas vidas cada vez mais entrelaçadas, o que quer dizer? E o que fazer quando um acordo acaba se transformando em algo mais


Minha Opinião

Eu estive bem ansiosa por esta leitura. No primeiro livro, que você pode conferir a resenha aqui, já temos um vislumbre de Vincent e ao certo toque de mistério relacionado à sua vida. Aqui o seu sumiço no livro anterior é explicado, e nós temos a chance de conhecer um pouco mais sobre este personagem tão gentil, mas que esconde por trás dos sorridos calorosos uma dose extra de tristeza. O fato dele ter perdido a visão durante sua curta trajetória na guerra o deixou melancólico, porque por muitos anos ele foi capaz de aproveitar tudo o que uma pessoa que enxerga é capaz. Achei interessante o modo que a autora escolheu para trabalhar esta questão; ela deixa claro que o que incomoda verdadeiramente o personagem não é sua condição, mas a vitimização que empurram para cima dele por conta disso.

Ele é um homem jovem que tem uma limitação, mas que sabe que merece e precisa viver apesar disso. Isso traz o insight que é ao mesmo tempo racional e subversivo, de casar com uma moça que nada tem a perder – e que por isso pode oferecer a ele tudo o que ele mais deseja: liberdade. Então neste livro o casamento acaba sendo o ponto de partida tanto para sua jornada de amadurecimento e fortalecimento pessoal quanto para o processo de autoconhecimento e realização de Sophia.

“Talvez eu não esteja falando de um sonho, Srta. Fry, mas de um objetivo. Sonhos são desejos que provavelmente nunca serão realizados. Eu poderia fazer meus sonhos se realizarem. Na verdade, é o que pretendo.”

Assim como no livro anterior, a relação entre o casal vai sendo construída aos poucos. O casamento começa como um acordo com tempo predeterminado, papeis bem definidos e objetivos muito claros. Mas conforme os dois vão convivendo e se conhecendo, a gente percebe que da amizade e parceria que surge entre os dois para um amor avassalador, a distância não é exatamente longa.

É claro que o livro tem sua dose dramática, afinal este não é um casal comum e esta não é uma união padrão. Mas a autora consegue dosar isso muito bem, e pontua com humor em todos os momentos necessários deixando a trama essencialmente leve. Ela também deixa claro que o romance bem construído é uma característica comumente encontrada em suas histórias; então o leitor vai se apaixonando pelos personagens e pelo que eles representam um para o outro ao mesmo tempo em que eles vão se dando conta disso. É lindo acompanhar quando suas questões particulares começam a se cruzar, e quando eles percebem que seus caminhos já estão tão inteiramente interligados que não faz sentido pensar em seguir qualquer outra direção senão a do amor.

“Naquele momento tudo aquilo foi ignorado por Vincent, pois o mundo inteiro se encontrava em seus braços. Ah, sim, e o Sol, a Lua e as estrelas.
E toda a eternidade.”

Temos aqui a participação de diversos personagens secundários que tornam a trama ainda mais rica, principalmente porque quando aparecem vão nos mostrando pedacinho de suas histórias, que serão contadas individualmente em seus próprios livros. Até o momento o que ficou muito claro é que o Clube dos Sobreviventes é comporto por indivíduos complexos, com traumas e com segredos que precisam ser compartilhados e que prometem deixar o leitor com aquela sensação de que cada livro deve ser melhor do que o anterior. Digo por mim, adorei Uma proposta e nada mais, e me apaixonei completamente por este segundo livro.

Uma Loucura e Nada mais, terceiro livro da série e com previsão de lançamento ainda no primeiro semestre, vai contar a história de sir Benedict Harper e da viúva Samantha McKay. Não vejo a hora de conhecer as aventuras e desventuras que este casal promete nos apresentar, além de matar a saudade dos casais já formados e também diminuir um pouco da curiosidade sobre o que a autora vai aprontar para os outros integrantes do grupo.

 

UM ACORDO E NADA MAIS

Autor: Mary Balogh

Tradução: Livia de Almeida

Editora: Arqueiro

Ano de publicação: 2018

Embora Vincent, o visconde Darleigh, tenha ficado cego no campo de batalha, está farto da interferência da mãe e das irmãs em sua vida. Por isso, quando elas o pressionam a se casar e, sem consultá-lo, lhe arranjam uma candidata a noiva, ele se sente vítima de uma emboscada e foge para o campo com a ajuda de seu criado. No entanto, logo se vê vítima de outra armadilha conjugal. Por sorte, é salvo por uma jovem desconhecida. Quando a Srta. Sophia Fry intervém em nome dele e é expulsa de casa pelos tios sem um tostão para viver, Vincent é obrigado a agir. Ele pode estar cego, mas consegue ver uma solução para os dois problemas: casamento. Aos poucos, a amizade e o companheirismo dos dois dão lugar a uma doce sedução, e o que era apenas um acordo frio se transforma em um fogo capaz de consumi-los. No segundo volume da série Clube dos Sobreviventes, você vai descobrir se um casamento nascido do desespero pode levar duas pessoas a encontrarem o amor de sua vida.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

[jr_instagram id='3']

Parceiros