Vem Comigo é um romance da autora Karma Brown, publicado em 2019 pela editora Verus.

SOBRE O LIVRO

Tegan estava grávida de seis meses quando sofreu um acidente de carro e perdeu o bebê. A gravidade foi tanta que tiveram que retirar seu útero também. Nevava na hora do acidente, a rua estava bastante escorregadia, mas nada disso faz tirar a culpa que ela joga em cima de seu marido Gabe. Afinal, era ele quem dirigia o carro, e não estava com as duas mãos nos volantes, porque comia balas de açúcar. Essa é a única lembrança que ela tem do pior dia da sua vida.

“A morte deixa uma dor que ninguém consegue curar. O amor deixa uma lembrança que ninguém é capaz de roubar.”

– De uma lápide na Irlanda.

Já se passaram três meses desde o acidente trágico que tirou a vontade de Tegan de viver. E cada vez que Gabe tenta ajudá-la a melhorar, é sempre um motivo para ela acusa-lo de seu mal estar. Mas, quando ele sugere que ela escolha 3 coisas para fazer do “pote dos desejos” que criaram juntos há um tempo atrás, ela acaba aceitando. E juntos eles embarcam em uma viagem de seis semanas, que pode trazer a felicidade de volta à vida de Tegan ou levá-la de vez ao fundo do poço.


MINHA OPINIÃO

Se apaixonar por Tegan e sua história não vai ser tão fácil e nem de primeiro momento. Isso porque o livro já se inicia com o acidente que tirou o filho de Tegan e toda a possibilidade de ela engravidar de novo. A raiva que ela sente de seu marido, Gabe, por essa tragédia também só nos faz sentir antipatia por ela e acreditar que ela não passa de uma mulher bastante egoísta. Afinal, Gabe também era o pai do bebê, e com certeza ele se sente culpado, ela não precisa dizer isso a todo momento.

Contudo, não é muito difícil entender seus momentos de extremo estresse e como ela chegou em uma depressão profunda. No início do livro, ela está em fase de negação. Não aceita que tem depressão, muito menos que tentou tirar a própria vida em decorrência. E por conta desse início, a história tem seus primeiros capítulos bastante intragáveis, e se você tem gatilhos favoráveis a depressão, eu não te recomendo este livro.

“O friozinho do final do inverno, que mexe com meus sentidos, sempre me faz sentir bem, mas não quero me sentir assim. Ainda não. Só se passaram setenta e nove dias. Então, peço a minha mãe que feche a janela, e ela suspira, mas sempre fecha. Essa é a questão de passar por algo assim. As pessoas fazem qualquer coisa na tentativa de ver você feliz outra vez; elas lhe dão o que você quiser. Exceto aquela coisa que você realmente quer e nunca mais poderá ter. Essa ninguém pode trazer.”

Quando Tegan aceita fazer a viagem que Gabe propõe, consequentemente acabamos torcendo por ela e para que ela encontre o perdão de que precisa e também paz. Pois são vários momentos de lutas contra seu próprio bem estar. Momentos esses que alcança picos altos e baixos aos extremos. E por isso, mais do que uma linda história de vida, Vem Comigo é também uma história de absolvição e de esperança. Uma busca por uma felicidade que parece tão distante.

A história é narrada somente do ponto de vista de Tegan. E ela se divide entre o presente e lembranças que a protagonista vai tendo ao decorrer do livro. Lembranças que não seguem uma ordem cronológica. O que de primeiro momento pode ser um pouco confuso, mas quando se entende a escolha da autora por esse tipo de narrativa, tudo faz total sentido.

De todas as resenhas que ouvi e li, e pela própria sinopse eu jamais esperei uma história tão densa quanto foi a leitura para mim. Em nenhum dos casos, foi mencionado que o tema depressão estaria tão presente, e por isso, Vem Comigo foi ao mesmo tempo que uma leitura sofrida, foi também o interessante. Um livro que comecei com vontade de largar, acabou me surpreendendo em seu desenvolvimento e terminou sendo uma leitura inesquecível.

” Mordo o lábio não para segurar as palavras, mas para sentir dor física. Enquanto me recuperava da cirurgia, descobri o valor da dor física para manter distante a angustia emocional. Mas a dor física teria que ser extrema para contrabalancear o que estou sentindo, porque, na maioria dos dias, a sensação é a de que meu interior está coberto por um milhão de cortes e eu acabei de engolir uma garrafa de suco de limão.”

Este é um daqueles livros que eu gostaria de indicar para todo mundo. No entanto, não são todas as pessoas que podem lê-lo. E não por não gostar do gênero ou algo do tipo, porque dúvido que essa história não seja capaz de mexer com o coração mais duro que exista. Mas sim, por que realmente a depressão é bastante presente. E pessoas vulneráveis a ela, devem tomar cuidado com a leitura. Por isso, eu ressalto que se você é uma dessas pessoas, infelizmente não te recomendo a leitura. Mas, se não é ou se considera-se forte o bastante, siga em frente. Este livro vai te deixar sem fôlego.

VEM COMIGO

Autor: Karma Brown

Tradução: Mauricio Tamboni

Editora: Verus Editora

Ano de publicação: 2019

Cheio de amor e esperança, Vem comigo é uma comovente celebração da força do espírito humano. Tegan Lawson tem tudo o que poderia querer da vida, incluindo Gabe, seu marido amoroso, e um bebê a caminho. Mas um acidente deixa a vida de Tegan tão devastada como o carro do qual ela foi resgatada. Entre a perda do bebê e a raiva incontrolável por Gabe, que estava dirigindo naquela noite, Tegan está afundando em tristeza. E, quando ela pensa que chegou ao fundo do poço, Gabe a lembra do “pote dos desejos”, uma coleção das viagens e experiências dos sonhos do casal. E assim se inicia a aventura. Dos tumultuados mercados da Tailândia até os sabores da Itália e as ondas do Havaí, Tegan e Gabe embarcam em uma jornada para escapar da tragédia e encontrar o perdão. Mas, quando as coisas tomam um rumo chocante no Havaí, Tegan é forçada a encarar a verdade ― e a decidir se a vida ainda vale a pena, mesmo que não seja exatamente como ela sonhou.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros