Atenção!

Esse filme contém violência física e psicológica sendo sua classificação indicativa 16 anos.

Fuja, disponível na Netflix, é dirigido por Aneesh Chaganty, o mesmo responsável pela direção do filme Buscando… (2018), que recebeu inúmeras críticas positivas.

Chloe (Kiera Allen) é uma adolescente com inúmeras complicações na sua saúde, incluindo paralisia, responsável por ela necessitar de uma cadeira de rodas. Ao notar um comprimido diferente em suas medicações diárias, a jovem questiona sua mãe, Diane, que lhe informa a respeito de seu médico ter trocado um de seus remédios.

Desconfiada, Chloe busca a embalagem do medicamento sem que sua mãe saiba e nela aponta que o mesmo pertence a Diana. Mesmo com as explicações da mãe a jovem não fica satisfeita e decide procurar mais informações a respeito do remédio, e assim descobre segredos obscuros que podem mudar tudo.


O filme não possui uma duração muito longa (1h29m), o que não foi um problema, visto que o tornou mais objetivo. Um ponto positivo que deriva dessa objetividade, é o filme não ter momentos cansativos ou cair em qualidade.

Levando tal fato em consideração, Fuja prendeu a minha atenção e fez com que eu me mantivesse ligada ao filme durante todo ele. Outra razão para isso é a tensão que está presente durante toda a experiência, o que me proporcionou diversas sensações, sendo predominante apreensão.

Kiera Allen apresenta uma ótima interpretação no papel de Chloe, conseguindo transmitir todos os sentimentos que a personagem estava sentindo, o que gerou em mim inúmeros momentos de angustia, torcendo para que tudo desse certo. A atriz, assim como sua personagem, também é cadeirante, o que deixa Chloe mais real junto de sua ótima atuação, fugindo de estereótipos. 

Já sobre a atuação Sarah Paulson não tenho o que comentar. Para mim ela é uma excelente atriz que não deixa nada a desejar e sempre entrega uma atuação impecável e digna de admiração.

Apesar desses pontos positivos, o filme traz uma trama bastante conhecida, presente em muitas outras obras. E apesar de isso não ser necessariamente um ponto negativo, visto que é possível inovar no que já se é conhecido, não é o caso de Fuja, o qual não apresenta nenhuma novidade no enredo que o diferencie dos outros, sendo assim “mais do mesmo”.

Entretanto, o final traz uma reviravolta que não chegou exatamente a ser surpreendente, mas achei bastante interessante e não estava esperando por ela. Uma das informações apresentadas ao telespectador no desfecho abre muitas perspectivas de interpretação do público a respeito das motivações da personagem, o que pode gerar boas discussões.

Gostei muito da experiência devido o que ela me proporcionou, sendo assim recomendo para aqueles que buscam um filme que conte a história de forma objetiva, que prenda a atenção e que seja carregado de tensão para não tirar os olhos da tela!

FUJA

Diretor: Aneesh Chaganty

Elenco: Kiera Allen, Sarah Paulson

Ano de lançamento: 2021

Em Fuja, Chloe (Kiera Allen) é uma adolescente que sofre de inúmeras doenças, inclusive paralisia, que a colocou em uma cadeira de rodas. Ela é educada em casa por sua mãe, Diane (Sarah Paulson), e aguarda a carta de resposta da faculdade. No entanto, o comportamento estranho apresentado pela matriarca começa a deixar a jovem desconfiada de que algo está errado. Quando encontra um remédio receitado para a mãe, a jovem passa a questionar tudo o que Diane faz, suspeitando que algo muito mais sinistro está por trás de tudo.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros