Todos os Nossos Ontens é uma distopia da autora Cristin Terrill, e foi lançado em 2015 aqui no Brasil pela Editora Novo Conceito.

Sobre o Livro

Em um mundo futuro um cientista descobre a fórmula para construir uma máquina do tempo. Porém, em sua busca por evitar que catástrofes aconteçam no mundo e em seu país, o poder lhe sobe a mente e ele começa a mandar, junto com o governo, pessoa para mudar o passado e evitar que grandes maus aconteçam, causando pequenos maus, achando-os justificáveis para preservar o futuro.

“Objetos densos deformam o tecido do espaço-tempo, da forma como um trampolim afunda quando alguém sobe nele. Se você tiver algo pesado o bastante, absurdamente pesado, pode abrir um buraco no tecido.”

O Doutor, como é chamado por nossa protagonista Em, a mantém em uma base militar, torturando-a dia após dia, tentando extrair dela a localização de documentos que contém informações sobre essa máquina do tempo, e que se caírem nas mãos de outros governos, tiraria sua vantagem. Em, assim como Finn, seu amigo de longa data, estão enclausurados. Até que ela encontra um bilhete de suas várias outras versões que conseguiram voltar no tempo. Várias Em’s, de diferentes timelines e que sempre falharam em impedir que o futuro que ela vive hoje se concretizasse.

É quando Em e Finn conseguem escapar e voltar no passado em uma tentativa suicida de impedir o doutor de construir sua máquina, que o destino deles vai cruzar com Marina e James, jovens que vivem seu presente no passado de Em e Finn. E quando esses dois mundos e tempos se chocarem, o futuro de todos estará comprometido.


Capa e Edição

Eu gosto muito dessa capa e acho que ela chama bastante a atenção do leitor. O relógio representa a passagem de tempo, que super se relaciona com a temática do livro, bem como o nome, que foi o que mais instigou minha curiosidade.

O interior do livro é composto de páginas amareladas e boa diagramação e os capítulos variam entre os pontos de vista de Em e Marina, mudando também entre o passado, futuro e presente de ambas as personagens e das pessoas que os cercam.

20151225_223357


Minha Opinião

Como mencionei na resenha em vídeo, é bem difícil expressar exatamente minha opinião sobre esse livro, já que fiquei super empolgada com a leitura e, ao mesmo tempo, não compreendi inteiramente o final, precisando voltar várias vezes para reler e ver se tinha deixado algo passar despercebido.

Após isso, me pus a pesquisar e descobri que esse não é um stand alone e que terá continuação, explicando, portanto, que talvez o final do livro realmente não esteja na mesma timeline que a história que eu estava lendo, e só se resolverá em um próximo livro, esclarecendo assim minhas dúvidas, ou não.

Mesmo assim, dei 5 estrelas pois gostei bastante da história. Gosto quando a narrativa é ampla e permite ao autor e a própria história seguir por diversos caminhos diferentes, e isso normalmente se manifesta em livros que tem a viagem no tempo como premissa. Todos os Nossos Ontens me lembrou um pouco 12 Monkeys, que também trabalha com um mundo ruim e com viagens no tempo tentando solucionar o problema e desgastando aqueles que retornam.

20151225_223416

Acho que não ter entendido o final poderia ter sido um buzz killer, mas funcionou ao contrário, fiquei com ainda mais vontade de ler o segundo livro e saber como vamos chegar ao futuro apresentado no último capítulo. Foi muito interessante ir descobrindo aos poucos como as duas histórias e todos os personagens, tanto do futuro como do presente estão interligados e fadados a se chocarem. Me irritei um pouco apenas com a personagem Marina, mas foi coisa pouca e quase não atrapalhou a leitura.

Fiquei pensando também como seria difícil prever um futuro em um mundo onde qualquer parte do passado pudesse ser alterada, mudando assim o rumo da vida de todos aqueles que estão envolvidos. Louco né?

TODOS OS NOSSOS ONTENS

Autor: Cristin Terrill

Editora: Novo Conceito

Ano de publicação: 2015

O que um governo poderia fazer se pudesse viajar no tempo?
Quem ele poderia destruir antes mesmo que houvesse alguém que se rebelasse?
Quais alianças poderiam ser quebradas antes mesmo de acontecerem?
Em um futuro não tão distante, a vida como a conhecemos se foi, juntamente com nossa liberdade. Bombas estão sendo lançadas por agências administradas pelo governo para que a nação perceba quão fraca é. As pessoas não podem viajar, não podem nem mesmo atravessar a rua sem serem questionadas.
O que causou isso? Algo que nunca deveria ter sido tratado com irresponsabilidade: o tempo.
O tempo não é linear, nem algo que continua a funcionar. Ele tem leis, e se você quebrá-las, ele apagará você; o tempo em que estava continuará a seguir em frente, como se você nunca tivesse existido e tudo vai acontecer de novo, a menos que você interfira e tente mudá-lo…

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros