Ferida é o primeiro livro da série Segredos, da autora Nana Pauvolih. A publicação é de 2018 pela Essência.

Sobre o Livro

Após uma tragédia Theodoro Falcão tomou as rédeas dos negócios da família, e sabendo que é o responsável por ela e por seus empregados, ele se transformou em um homem rígido, focado no trabalho e extremamente controlador. Estes aspectos da vida profissional estão intrinsecamente ligados à sua personalidade: Theo é um dominador nato, e faz questão de manter essa postura inclusive nos seus rápidos e pontuais relacionamentos amorosos. Ele impõe sua vontade de modo que ela seja satisfeita à sua maneira, no seu tempo. Ele não gosta de se sentir fora do controle e não aceita que suas ordens não sejam acatadas.

Eva é uma jovem que teve sua existência moldada para conseguir vingança. A família Falcão é responsável por horrores que ainda hoje, anos depois, mostram seu impacto. E é através destes planos de retaliação que ela encontra uma maneira de entrar na vida do chefe do clã; Theo deverá pagar por toda a dor, desespero e pobreza que recaiu sobre a família de Eva, e ela fará o possível para que isso aconteça.

“Disse a mim mesma que estava ali pela vingança, mas era mentira. Era uma mentira tão deslavada que até me envergonhava. Eu estava ali por que estava de quatro por Theo Falcão, dominada por tudo o que despertava em mim, embriagada pelo que ele era.”

A conexão que começa como um plano de vingança para Eva acaba se transformando completamente. Theo, sem saber das verdadeiras intenções da jovem, a envolve numa relação cheia de desejo e sensualidade. Os sentimentos entre eles tomam proporções que tornam ainda mais tênue a linha que separa a dor do prazer, e conforme a atração vai se convertendo em algo mais profundo, o passado dá as caras e bagunça tudo. E agora, o que fará Theo Falcão quando descobrir que a mulher por quem se apaixonou não é quem ele imaginava? E o que fará Eva ao perceber que seus planos iniciais poderão privá-la do amor da sua vida?


Minha Opinião

Li Ferida após vários contatos com o trabalho da Nana. Já estava familiarizada com suas histórias extremamente sensuais, seus textos sem papas na língua, suas narrativas que exploram a sexualidade e a existência humana através de várias óticas e que mostram ao leitor que nenhum extenso histórico de leituras é capaz de prepara-lo adequadamente para lidar com as ideias que essa autora coloca no papel. Há sempre surpresas nos livros da Nana, mesmo que algumas pessoas digam que nesse nicho só existe mais do mesmo.

Aqui temos um enredo que pode ser considerado clichê num primeiro momento: a mocinha quer se vingar e usa seu corpo como uma arma sensual para conseguir o que deseja. Ela, virginal, encontra um cara mais velho que sabe exatamente do que gosta, e que apresenta todas as possibilidades de prazer que podem existir numa relação. Há aqui uma forte cena BDSM, temos aquele homem meio ogro que vai se transformando no parceiro idealizado e a mocinha ‘inocente’ que vai se descobrindo uma mulher que é fatal do seu próprio jeito. Certamente já vimos essa premissa em vários outros livros… Mas vamos combinar, eles não foram escritos pela Nana. E ela não é considerada a rainha da literatura erótica nacional e não vai ter outra obra sua transformada em série pela Globo sem motivos. Pauvolih geralmente consegue pegar uma proposta batida e transformar em algo mais, e é isso que acontece aqui neste livro.

Theo é um personagem forte que se impõe de diversas maneiras, e por ser cheio de fetiches e vontades pode não agradar inicialmente aos leitores mais sensíveis, porque ele é essencialmente uma força bruta que vive num mundo onde as mulheres costumam idealizar os homens e transformá-los em meigos príncipes encantados. Eva é uma protagonista inicialmente frágil, que foi condicionada a ser e agir de maneiras que cumprissem ao seu propósito de vida: vingar-se em nome de sua mãe e avós e esse desejo de fazer o mal a Theo e sua família é tudo o que ela conhece. Ela pode ser considerada fraca e superficial num primeiro momento, e por isso pode não agradar aos leitores acostumados a buscar uma identificação imediata com mulheres fortes e empoderadas.

“Eu não era um homem com desejos comuns, muito pelo contrário. Para aguentar comigo, uma mulher tinha que ser realmente experiente e conhecedora do lado sombrio e violento do sexo que me agradava. Eva era antítese disso.”

Acontece que nossa opinião vai mudando no decorrer da história, porque esses dois personagens são exatamente aquilo que ambos precisam para amadurecer e se transformar numa versão muito melhor daquilo que inicialmente mostram ao leitor. Então conforme a narrativa avança a inocência de Eva vai dando a Theo sensibilidade, sutileza e o amor que ele precisava para aparar suas arestas e transformá-lo naquele cara que muitas mulheres gostariam de ter por perto. Isso porque ele faz Eva se sentir cuidada, protegida, amada e desejada. E ela floresce através dessa relação, ganha força e maturidade para fazer suas próprias escolhas, levando em consideração aquilo que deseja em detrimento do que havia sido imposto a ela.

Claro que isso não acontece facilmente. Há na história desse casal muita luta – tanto física quanto emocional -, muito desespero, choro e sexo. E é através do sexo que a autora presenteia o leitor com uma cena completamente empoderadora, que vem desmistificar algo que somos ensinadas desde sempre a enxergar como feio, sujo e nojento. É através do sexo que ela coloca um homem para naturalizar uma condição feminina e faz isso tão lindamente que a gente até se assusta, o que me faz pensar que a quantidade de leitoras que não gostam dessa cena em particular só prova o quanto a gente precisa se aceitar e ser mais gentil com as particularidades de ser mulher. E embora Theo seja o macho alfa dominador aqui, Eva é quem direciona a história, e esse é outro ponto que me faz gostar dos livros da Nana: suas personagens femininas são essencialmente as donas da coisa toda, mesmo que num primeiro momento isso não fique muito claro. Ainda mais quando se trata de uma história tão complexa como é a deste casal.

Neste livro descobrimos o início da relação e de que maneira ela ganha força e se transforma em algo mais. Temos uma alta dose de romance e drama, com subtramas se desenrolando e mostrando possibilidades diversas para personagens diferentes e o livro termina deixando o leitor com o coração quase saindo pela boca. Portanto, quem ainda não leu o livro, saiba que não há fechamento aqui. Há sim ainda mais perguntas esperando por respostas e uma ansiedade para saber como tudo vai terminar que deixa o leitor cheio de agonia nervosa.

Ferida foi publicado inicialmente de maneira independente, e é talvez a história responsável por conquistar grande parte dos fãs de Nana Pauvolih. Este primeiro livro da série Segredos é uma história extremamente forte, controversa e impactante de maneiras diversas, que trabalha abertamente a questão da realização de fantasias sexuais que podem ser inquietantes. Sugiro que a leitura seja feita com isso em mente e sabendo que há particularidades da cena BDSM que podem gerar desconforto, inclusive para quem já está acostumado com literatura erótica. Talvez pela polêmica e tabus que envolvem a história, que é um pouco dark, não haja muito meio termo: ou o leitor ama Theo Falcão, vulgo Vampirão, ou o detesta. Minha opinião sincera? Esse não é meu livro favorito da autora, mas acredito que o fato da série ter sido comprada pela editora Essência (mesmo anos após sua publicação) mostra sua qualidade e o quanto é um trabalho importante não só para a Nana, mas para cenário de literatura erótica no Brasil. Sua continuação, Duplamente Ferida, chega às livrarias em março de 2019 e dá aos leitores o desfecho deste casal. A partir daí os livros da série contarão a história dos outros integrantes da família Falcão, e eu como fã da autora não vejo a hora de conhecê-los.

Ferida

Autor: nana Pauvolih

Editora: Essência

Ano de publicação: 2018

“Em sua inexperiência e doçura, deixava-me mais doido do que jamais estive. E eu, que pensava que já tinha visto tudo, que me guiava pela força e pela violência, estava domado pela sua delicadeza.” – Theo Theodoro é o mais velho dos irmãos Falcão e assumiu os negócios da família após uma grande tragédia. Com personalidade marcante, dura e impositiva, tornou-se um homem acostumado ao poder e a ter a última palavra. Até que em seu caminho entra Eva, uma jovem com metade da sua idade que quer a qualquer custo se vingar da família Falcão. Trazendo com ela segredos do passado e usando uma identidade falsa, Eva está disposta a tudo para seduzir Theo e lutar contra uma grande injustiça cometida com seus avós e sua mãe. Mas, quando em meio ao ódio de Eva e aos fetiches de Theo surge uma poderosa atração, eles precisarão decidir quem irá ceder nessa disputa de gerações.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros