Atenção!

Pode conter gatilho ao abordar distúrbios mentais e suicídio.

O Fundo é Apenas o Começo é um premiado romance de Neal Shusterman, publicado pela editora Valentina em maio de 2018.

SOBRE O LIVRO

Caden Bosch é um jovem que, em pleno Ensino Médio, começa a desconfiar de todos à sua volta. Passa a ver inimigos e planos secretos por todos os lados, onde os outros nada veem.

“Eu sou essa moeda descendo, gritando no tubo do túnel, sem nada além da energia cinética e da força centrífuga para me impedir de cair na escuridão”.

Ao mesmo tempo, há uma outra camada da realidade onde ele está em um navio, rumo a Challenger Deep, uma depressão marinha a sudoeste da Fossa das Marianas. Mas como é possível ser dois Caden? Qual é o limite entre imaginação fértil e transtorno mental?

MINHA OPINIÃO

Eu mergulhei nessa leitura sem saber muito bem o que ia encontrar. Só sabia vagamente que o livro abordaria o tema da saúde mental. Porém, foi apenas a partir da segunda metade do livro que eu comecei a realmente entender a profundidade do que ele pretendia trazer à tona.

Durante toda a narrativa, acompanhamos Caden em duas realidades: a sua vida comum, com seus pais, irmã e amigos, e essa vida no navio, a qual de início não é possível perceber se está situada em outro tempo, na sua imaginação ou até em um mundo paralelo.

“O mais assustador de tudo é nunca saber no que se vai acreditar de uma hora para outra”.

Foi inevitável, entretanto, já sabendo que o livro abordaria saúde mental, imaginar que esse mundo paralelo seria fruto de algum transtorno mental do personagem. Mesmo assim, me senti bastante perdida na primeira parte da história, e consigo compreender que para alguns leitores isso poderia ter sido até motivo para abandonar a leitura.

Entretanto, não vejo isso como um problema. Justamente ao contrário, pois acho que é graças a essa confusão mental que o autor provoca em nós que conseguimos, em algum nível, nos colocar no lugar de Caden. Quando temos o estalo que nos faz relacionar os elementos do navio com o que está acontecendo com o Caden paralelo, já estamos tão envolvidos com o personagem, com seus sentimentos, anseios e expectativas, que eles já nos parecem nossos.

Senti, inclusive, que a história até demora um pouco para seguir adiante. Mesmo quando ele já nos deu elementos suficientes para entendermos o que está acontecendo, ele insiste em repetições que, talvez, pudessem ter sido editadas.

“Queremos tudo na vida arrumado em caixinhas que podemos etiquetar”.

Embora eu tenha gostado da forma como os desenhos de Brendan Shusterman foram inseridos, confesso que o trabalho editorial nesse livro me decepcionou um pouco. A tradução é bem problemática, cometendo erros grosseiros que chegam a dificultar a compressão do texto em alguns pontos. Além disso, não há quebra entre os capítulos, mesmo quando eles terminam quase ao final da página, o que torna a leitura menos agradável do que poderia ter sido.

Porém, o que foi mais grave na minha opinião, foi a oportunidade perdida de oferecer um serviço importante aos seus leitores: o original conta com uma lista de serviços para leitores que precisem (ou conheçam alguém que precisa) de ajuda para lidar com um transtorno mental. A editora, em vez de adaptar essa lista e indicar os serviços disponíveis no Brasil, apenas traduziu, e manteve no livro apenas os serviços disponíveis nos Estados Unidos. O que não é muito útil para o público brasileiro.

Baseando-se nos relatos do próprio filho, e de outras pessoas que sofrem de algum tipo de transtorno mental, tudo o que Neal Shusterman nos mostra ao longo desse livro é, em algum nível, real. Talvez justamente por isso ele nos toca tão fundo. Mesmo que seja uma realidade distante da sua, Neal Shusterman faz com que você se sinta, de fato, na pele de Caden.

Com um final honesto, que é perfeitamente fiel à realidade de quem sofre de algum tipo de transtorno mental, é um livro poderoso, que nos faz refletir sobre o tema com responsabilidade e sensibilidade. Mesmo com seus momentos repetitivos, faz valer a pena cada uma de suas 272 páginas.

O FUNDO É APENAS O COMEÇO

Autor: Neal Shusterman

Tradução: Heloísa Leal

Editora: Valentina

Ano de publicação: 2018

CADEN BOSCH está a bordo de um navio que ruma ao ponto mais remoto da Terra: Challenger Deep, uma depressão marinha situada a sudoeste da Fossa das Marianas.CADEN BOSCH é um aluno brilhante do ensino médio, cujos amigos estão começando a notar seu comportamento estranho.CADEN BOSCH é designado o artista de plantão do navio, para documentar a viagem com desenhos.CADEN BOSCH finge entrar para a equipe de corrida da escola, mas na verdade passa os dias caminhando quilômetros, absorto em pensamentos.CADEN BOSCH está dividido entre sua lealdade ao capitão e a tentação de se amotinar.CADEN BOSCH está dilacerado.Cativante e poderoso, O fundo é apenas o começo é um romance que permanece muito além da última página, um pungente tour de force de um dos mais admirados autores contemporâneos da ficção jovem adulta.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros