No final de 2018, eu pedi para cinco amigas leitoras que conheci pelo Instabook me falares os três livros favoritos delas. A ideia era pegar um desses três livros e ler um favorito de cada uma. Foi isso que eu fiz e vou contar como foi a experiência.

A ideia me veio em mente porque eu sempre fico pensando comigo mesma sobre como é engraçado isso de o mesmo livro poder ser ao mesmo tempo o preferido de uma pessoa, e odiado por outra. Então eu quis testar essas leituras e ver quais livros, de pessoas que leem relativamente as mesmas coisas que eu, podem entrar para a minha lista de favoritos.

Filha da Floresta – Juliet Marillier

Logo que vi Filha da Floresta decidi que aquela seria a melhor escolha. Comecei a leitura dele logo no início de 2019. Levei alguns dias para engatar na leitura, já que o começo é um pouco lento, mas depois a história me fisgou e eu virei a noite inteira lendo o resto do livro inteiro.

Caso alguém se interesse em saber um pouco mais da história e do que eu achei do livro, já tem resenha dele que fiz aqui pro Resenhando Sonhos prontinha para leitura.

Esse livro foi uma surpresa maravilhosa desde o momento em que conheci ele. Foi um daqueles livros que você mal sabe da existência até que vê alguém mencionar. Ganhar ele foi uma surpresa e a leitura foi tão gostosa e satisfatória que passei os dias seguintes após terminar o livro voltando nas minhas partes favoritas e relendo elas. Esse, com toda certeza, entrou para a listinha de livros favoritos.

Kindred – Octavia E. Butler

Não é surpresa para ninguém, mesmo que não tenham lido livros da autora, que as obras da Octavia E. Butler são cheias de assuntos extremamente sérios e necessários. Logo que Kindred apareceu no Brasil, só o que eu vi foi um mar de pessoas falando tudo que se pudesse falar bem desse livro. E eu tenho que concordar com todas.

Não foi uma leitura fácil. Tiveram momentos em que eu gritava de revolta, que precisava fechar o livro e tomar um tempo para chorar e me acalmar. Mas foi uma leitura que me prendeu, que por mais nervosa e revoltada eu estivesse, eu não conseguia largar. A importância daquela leitura era grande demais, a escrita era boa demais. Foi uma leitura impactante e vou passar o resto da minha vida dizendo que todos deveriam ler esse livro. Mais um que entrou com força na lista de favoritos.

O Labirinto do Fauno – Cornelia Funke

Eu tenho muita resistência em ler livros que são a novelização de um filme. Mas como eu não sabia que esse era o caso aqui, vida que seguiu. Era um dos poucos que eu não tinha em casa e tive que comprar.

Esse livro não foi nem de perto tão pesado quanto Kindred, mas abordou assuntos importantes e sérios. A história foi um pouco confusa para mim, e como eu nunca tinha visto o filme, não sabia o que esperar do final. Fiquei confusa após o término da leitura, mas aos poucos fui entendendo um pouco melhor.

Foi uma leitura gostosa também. A escrita fluiu muito e eu teria lido um pouco mais rápido se não tivesse decidido ler alguns livros mais leves um pouco pra acalmar a mente e acabado lendo a série inteira de Academia de Vampiros. Porém, esse livro não entrou para a lista dos favoritos. Eu gostei muito, mas não senti o mesmo impacto que a maioria das pessoas.

O Hobbit – J. R. R. Tolkien

Esse projeto foi a desculpa final que eu precisava para comprar esse livro. Eu sempre enrolava e adiava a compra, principalmente por ser um livro caro. Mas me programei e comprei ele na edição que mais amei entre todas.

Um clássico que serviu de base e inspiração para tantos dos livros que são famosos hoje. Eu curti demais o mundo, a escrita do autor, mesmo sendo lenta. Foi mágico, mas não foi favoritado. Talvez eu tenha chegado tarde demais ao mundo do Tolkien, já que o que faz o livro ser tão incrível é a magia presente nele. Eu já estava familiarizada com essa magia, e acabou que o livro não foi tão fascinante para mim como poderia ter sido se minha introdução à fantasia tivesse começado ali. De qualquer forma, foi muito bom e ainda quero ler os outros livros do autor. Só me falta coragem de gastar dinheiro em um box.

Nevernight – Jay Kristoff

Eu sabia pouco sobre a história do livro, mas tantas pessoas que compartilham dos meus gostos amaram a leitura tanto que eu apostei pesado e comprei a trilogia inteira de uma vez. Inclusive, comecei comprando o último volume, porque peguei uma promoção.

Nesse caso, eu já tinha lido Illuminae, que é uma obra do Kristoff em parceria com Amie Kaufman, e amei horrores. Mas ler um livro só dele fez eu amar ainda mais a escrita. Li o livro em inglês e durante a leitura agradeci a mim mesma por ter insistido tanto em ler na língua original. Existem muitos jogos de palavras presentes no livro e fiquei tentando imaginar como eles seriam traduzidos. Não tenho como saber com certeza, mas imagino que muita coisa tenha se perdido um pouco na tradução.

O mundo criado pelo autor também me sugou com tudo e me deu muita nostalgia do meu tempo jogando Assassin’s Creed II e Brotherhood. A história do livro em si foi bem simples e não me surpreendeu muito. Apenas alguns acontecimentos aqui e ali me deixaram surpresa. Ainda tenho muitas perguntas sobre a história e pretendo ler os próximos livros, mas o que me fez favoritar foi a cultura, o mundo criado. A sociedade, a inspiração na cultura italiana, a nostalgia que senti e a escrita do autor.


Foi uma experiência incrível ler esses livros e poder compartilhar com minhas amigas o que eu sentia durante a leitura de cada um deles.

Existe algum livro que você tenha lido por recomendação e favoritado? Ou um que tenha lido com baixas expectativas e se surpreendido muito?

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros