Atenção!

Este livro contém cenas de estupro que podem causar sensibilidade e desconforto ao leitor.

Filha da Floresta é o primeiro de seis livros da série Sevenwaters, da autora Juliet Marillier, publicado no Brasil em 2012, pela editora Butterfly.

Sobre o livro

Em Sevenwaters, um domínio antigo e protegido pela floresta, vivem um pai e seus sete filhos. Sorcha é a filha mais nova e a única mulher presente na família após a morte de sua mãe. Com um pai severo e ausente em diversos momentos, os sete irmãos tomam em suas mãos a responsabilidade de manter a casa funcionando e a sociedade local progredindo. Juntos, os sete se completam, se amam e são extremamente unidos. Mas aos poucos tudo começa a mudar.

Quando seu irmão mais velho está prometido em casamento e começa a se interessar por outras coisas além do círculo interno que os irmãos criaram entre si, Sorcha percebe que sua vida mudará completamente. Mas é com a chegada de uma madrasta que seu mundo verdadeiramente desaba.

“As coisas mudam, Sorcha […] E nem sempre da maneira que gostaríamos.”

Após vários momentos terríveis, uma maldição é lançada sobre seus seis irmãos e, somente ela, a sétima filha de um sétimo filho, pode consertar tudo. Filha da Floresta é a jornada onde Sorcha aprenderá os custos de um sacrifício, a verdade sobre o mundo exterior e o verdadeiro sentimento do amor.


Minha opinião

Eu já tinha visto muita gente comentar sobre esse livro, então um belo dia decidi adicioná-lo na minha interminável lista de desejos na Amazon. Pouco tempo depois, ganhei ele de presente de uma amiga que disse que esse era um de seus livros preferidos. Alguns meses depois, tive a ideia de montar uma TBR somente com os livros favoritos de cinco amigas e ver o que eu acharia deles. Filha da Floresta foi o primeiro deles que li, e também minha primeira leitura de 2020. Eu não poderia ter começado o ano melhor.

O começo do livro é um pouco lento, enquanto a autora nos apresenta o mundo, o dia a dia e os personagens. Mas mesmo assim, é interessante e sempre te puxa de volta, te deixando curiosa pra saber o que vai acontecer a seguir. Mas depois que a maldição cai sobre a família e Sorcha precisa de fato iniciar sua jornada, eu não consegui largar de jeito nenhum. Li mais de 400 páginas de uma vez só, fiquei acordada a noite inteira lendo e fui dormir as seis da manhã após terminar o livro.

Ele se passa durante a época celta da velha Irlanda e está repleto de magia. Cheio de momentos tensos e surpreendentes, esse livro me angustiou do começo ao fim. A cada página que eu virava, o aperto no meu peito aumentava. Eu só queria entrar nas páginas e abraçar a Sorcha. Mas a história é cativante, os personagens são complexos e interessantes. A escrita é fácil e fluida.

“Sempre imagino nós sete como membros de um corpo. Podemos estar separados e ter a impressão de que não há futuro para nós. Podemos seguir caminhos diferentes, cair, quebrar e voltar a ser inteiros novamente. Mas no fim, tão certo quanto o sol e a lua atravessam o arco dos céus todos os dias, a força de um será a força dos sete.”

Filha da Floresta funciona como um livro solo. Apesar de fazer parte de uma série, e terminar com algumas pontas soltas, o livro em si é sobre a história de Sorcha e o que ela fez por seus irmãos e seu povo. A série completa conta com mais cinco livros, e em cada um deles o personagem principal será diferente, mostrando sua própria contribuição para a história de Sevenwaters. Particularmente, eu gostei muito disso, já que eu não sei se teria condições de viver nessa angústia toda por seis livros inteiros até descobrir o que acontece com a personagem. Apesar de estar curiosa para ler os próximos livros, ainda não me sinto pronta para simplesmente me despedir de Sorcha e acompanhar o desenrolar da história sem ela.

Depois que terminei a leitura, eu pesquisei mais sobre o trabalho da autora e descobri que ela tem diversos livros publicados fora do Brasil. E agora eu estou me tremendo toda pra não gastar meu dinheiro comprando todos. Eu me encantei com a forma como ela construiu a narrativa e os personagens, a mitologia e o romance.

Um momento do livro que ao mesmo tempo doeu muito, mas teve uma construção interessante foi uma cena de estupro. Doeu porque foi bem gráfica, triste, angustiante. Porque abuso é uma realidade atual e recorrente, e que muitas vezes sai impune. Porém, a autora soube escrever a cena e trabalhar as consequências dessa violência. E mais importante de tudo: o estupro não foi usado como uma forma da personagem crescer e se empoderar. Em momento nenhum o estupro é tipo como uma muleta para algo maior e melhor na vida da personagem (To falando com você, Game of Thrones).

“Mas toda luta tem dois lados. Começa sempre com algo pequeno, como um comentário infeliz, um gesto mal interpretado, e toma proporções descabidas. Ambos os lados podem ser injustos. Ambos podem ser cruéis.”

Uma outra coisa que eu gostaria de ver seriam mais cenas românticas e mais momentos no final do livro mostrando a nova realidade da Sorcha. Senti que o final acabou sendo meio superficial, enquanto o livro inteiro tomava seu tempo com cada cena e momento importante. Gostaria de ter presenciado mais do desfecho ao invés de somente momentos narrados rapidamente.

A edição brasileira do livro, honestamente, é bem ok. Não é necessariamente ruim, mas podia ser melhor. Acho a capa em si é simples demais, com uma foto que poderia ser muito mais trabalhada. O material do livro é fraco, tirando as páginas que são amareladas e ótimas. Após apenas uma leitura, apareceram bolhas de ar em alguns lugares da capa.

Eu recomendo muito esse livro, ainda mais sabendo que tem tantas pessoas que ainda não conhecem e deveriam conhecer. É apaixonante, foi uma surpresa incrível e foi a melhor escolha possível para começar meu ano.

FILHA DA FLORESTA

Autor: Juliet Marillier

Tradução: Yma Vick

Editora: Butterfly

Ano de publicação: 2012

O domínio de Sevenwaters é um lugar remoto, estranho, guardado e preservado por homens silenciosos e criaturas encantadas, além dos sábios druidas, que deslizam pelos bosques vestidos com seus longos mantos… Passada no crepúsculo celta da velha Irlanda, quando o mito era lei e a magia uma força da natureza, esta é a história de Sorcha, a sétima filha de um sétimo filho, o soturno Lorde Colum, e dos seus seis amados irmãos, vítimas de uma terrível maldição que somente Sorcha é capaz de quebrar. Em sua difícil tarefa, imposta pelos Seres da Floresta, a jovem se vê dividida entre o dever, que significa a quebra do encantamento que aprisiona seus irmãos, e um amor cada vez mais forte, e proibido, pelo guerreiro que lhe prometeu proteção.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros