Coluna de Fogo foi publicado pela Arqueiro em 2017.

Sobre o Livro

1558. A era é de conflitos religiosos. Com o surgimento do protestantismo, diversos católicos fanáticos perseguem seus diferentes em um derramamento de sangue. Porém na Inglaterra é diferente, onde existe mais liberdade para os protestantes e onde se aspira ao trono uma rainha entre eles: a rainha Elizabeth.

Acompanhamos, através da narrativa britânica de Ken Follett, inúmeros personagens que vão desde a Inglaterra caminhando para o protestantismo até a França onde existe um genocídio em massa contra eles; e a Espanha a caminho do Novo Mundo: o Caribe.

Vender literatura protestante era um crime passível de pena de morte.

Além do contexto histórico de guerras, doenças, traições e barbaridades, acompanhamos também histórias de amor, lutas e esperança para transformar não só Kingsbridge, mas o mundo em um lugar melhor enquanto que outros tentam transformar em um inferno na Terra.

Minha Opinião

Sendo o último livro da sequência de histórias que se passam na aclamada cidade ficcional de Kingsbridge construída em O Crepúsculo e a Aurora, reconhecida em Os Pilares da Terra e revivida em Mundo Sem Fim, aqui acompanhamos uma Kingsbridge mais desenvolvida e uma das principais cidades do interior da Inglaterra.

– Mas como é possível? Todos os atores são homens.
– Os personagens femininos são sempre interpretados por homens. Mulheres não podem atuar.
– Por que não?
– Ah, suponho que por sermos seres inferiores, frágeis e intelectualmente desfavorecidos.

Diferente dos demais livros dessa sequência, Coluna de Fogo apresenta ainda mais personagens que se espalham entre Inglaterra, França e Espanha. Eu acho que tornou o livro muito mais enriquecido, até por que o contexto histórico é muito relevante e interessante de se acompanhar. De um lado acompanhamos a Espanha conquistando terras na América Latina. Daí temos personagens únicos como os latino-americanos e até um personagem africano que ganha um certo destaque, coisa que é raro nos livros de Follett.

Seguimos acompanhando também os acontecimentos brutais na França. Tornou para mim um detalhe muito importante no livro. Além também de estarmos conectado desde o início com a famosa Kingsbridge. Acompanhamos até alguns acontecimentos em Portugal, país até então pouco explorado por ele. Realmente não faltou para o autor recursos para explorar o contexto histórico que foi muito bem pontuado, como sempre.

Os livros de Follett nunca me decepcionam. Sempre há um suspense, alguma traição, casos de amor, romance e também qualidade nas reflexões quando ele aborda principalmente o papel da mulher e outras questões sociais como por exemplo a homossexualidade.

– Na aldeia onde eu nasci, padre, o evangelho de Jesus Cristo jamais foi ouvido, nem o nome do profeta muçulmano jamais foi pronunciado. Assim como meus antepassados, fui criado na ignorância pagã.

Apesar de o livro para mim prometer muita coisa, de fato não me entregou grandes surpresas. Foi uma boa leitura mas eu esperava que fosse algo mais além do que isso. O final que eu estava sempre acostumado ser algo eletrizante nos livros dele, não foi como eu esperava. Isso não me faz deixar insatisfeito, ao menos só coloquei muita expectativa em um livro de um dos autores que mais gosto.

De qualquer forma, ainda continua muito enriquecedor ler os livros de Follett. Neste pude aprender muita coisa que pouco sabia do famoso século XVI onde lá no Brasil as coisas só estavam começando.

COLUNA DE FOGO

Autor: Ken Follett

Tradução: Fernanda Abreu

Editora: Arqueiro

Ano de publicação: 2017

Em 1558, as pedras da antiga Catedral de Kingsbridge testemunham uma cidade dilacerada pelo conflito religioso. Enquanto católicos e protestantes lutam pelo poder e princípios morais entram em choque com a amizade, a lealdade e o amor, a única coisa que Ned Willard deseja é se casar com Margery Fitzgerald. No entanto, quando os dois se veem em lados opostos do embate, Ned escolhe servir à princesa Elizabeth da Inglaterra. Assim que Elizabeth é coroada, a Europa inteira se volta contra a Inglaterra e se multiplicam complôs de assassinato da rainha, planos de rebelião e tentativas de invasão do país. Astuta e decidida, a jovem soberana monta um serviço secreto de informações – o primeiro do mundo – para descobrir as ameaças com a maior antecedência possível. Entre seus principais homens de confiança está Ned Willard. Ao longo das décadas seguintes, parece não haver esperança para o amor de Ned e Margery. Ao mesmo tempo, o extremismo religioso cresce, gerando uma onda de violência que se alastra de Edimburgo a Genebra. Protegida por um pequeno e dedicado grupo de talentosos espiões e corajosos agentes secretos, Elizabeth tenta se manter no trono e continuar fiel a seus valores. Ambicioso, emocionante e ambientado em um dos períodos mais turbulentos e revolucionários dos últimos séculos, Coluna de fogo vai encantar os fãs de longa data de Ken Follett e servir como o ponto de partida perfeito para quem ainda não conhece suas obras.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros