Após alguns alunos de uma das escolas mais conceituadas da Espanha saírem do elenco rumo a conquistar suas ambições nos estudos como Nadia, Lu e Carlo, um novo caso choca os estudantes que ficaram e os que recém chegaram: uma aluna nova foi brutalmente agredida e agora está em risco de vida no hospital à mercê da esperança de que ela poderá sair de lá ainda com vida.

Por outro lado, a investigação sobre o caso peculiar se inicia remontando ao passado e ao que de fato ocorreu naquela noite de ano novo quando tudo desandou. E os principais suspeitos acabam se tornando os mais óbvios na história contada entre o passado e o presente.

Com o ritmo semelhante das outras três últimas temporadas, a quarta temporada promete trazer mais personagens novos e cativantes além de abordar várias questões como sexualidade, relacionamentos e envolvimentos amoros um tanto preocupantes.

A quarta temporada parece seguir uma fórmula de roteiro como a terceira e as outras temporadas. Todo episódio retrada um momento em que os personagens vão para uma festa. É tudo tão repetitivo que chega a ser enjoativo. Depois que você vê a primeira e a segunda temporada você acha tudo ok, mas quando segue para a terceira e esta quarta você já entende que por trás do roteiro tem uma fórmula para toda a trama.

Apesar de muitos elementos serem repetitivos, eu sou suspeito de falar que mesmo que esta fórmula de roteiro traz muitos malefícios para construir um bom suspense, ao menos há um ponto positivo que se relaciona com o fato de que você sabe que no final, nos últimos episódios, irá descobrir o mistério por trás dos acontecimentos no início.

O fato é que a série é bem simplista, mas tem um suspense um pouco cativante que até te faz querer assistir os poucos episódios que cada temporada tem apesar de serem longos. Os personagens não perderam o seu estilo e os novos que chegaram “só chegaram” pois são inseridos de forma muito breve e forçosa assim como na terceira temporada.

Confira a crítica da 3º temporada

Eu acho que das quatro temporadas esta carrega também muita problemática sobre sexo. As vezes chego a pensar que estou assistindo uma série de romance jovem-adulta (por mais que os personagens vivem ainda no ensino médio) ao invés de um suspense criminal entre jovens.

Achei interessante, pelo menos, de abrirem o ambiente onde ocorre a história e se estender para a França deixando mais amplo o espaço até então concentrado nas últimas temporadas. Mas acho que tem muito a melhorar no quesito suspense e trama pois esta temporada deu para mim uma grande desandada no ritmo deixando menos empolgante no final por ser mais simples e mais vazia. Até agora nenhuma delas se compara com a primeira temporada, com uma trama muito bem construída. Talvez seja a partir dela que trouxe o público para as demais temporadas como eu mesmo fiz.

A quinta e sexta temporadas já foram confirmadas na Netflix e espero que prometam ser mais cativantes e corrijam erros que até os fãns de Elite reclamaram principalmente nesta quarta temporada. Vários personagens importantes sairão do elenco como o episódio final mostra, dando aquela velha justificativa de que irão sair para estudar longe. Ao menos espero que o ritmo melhore na história que virá.

ELITE (4° TEMPORADA)

Diretor: Carlos Montero, Darío Madrona.

Elenco: Georgina Amorós, Miguel Bernardeau, Itzan Escamilla.

Ano de lançamento: 2021

Depois de concluídas as investigações sobre a morte de Polo (Álvaro Rico) e Marina (María Pedraza), alguns dos mais icônicos alunos de Las Encinas decidem seguir seu próprio caminho. Nadia (Mina El Hammani), Lu (Danna Paola) e Carla (Ester Expósito) vão fazer faculdade no exterior, enquanto Valerio (Jorge López) passa a comandar os negócios da família. Quando um novo ano letivo começa, Guzmán (Miguel Bernardeau), Samuel (Itzan Escamilla), Rebeka (Claudia Salat), Omar (Omar Ayuso) e Ander (Arón Piper) voltam para a escola como veteranos. Eles logo descobrem que um novo diretor está à frente da prestigiosa instituição: Benjamín (Diego Martin), um dos empresários mais poderosos da Europa. Com ele vem sua família – incluindo seus três filhos adolescentes, Ari (Carla Díaz), Patrick (Manu Rios) e Mencía (Martina Cariddi), que sempre conseguem se safar dos problemas. Por outro lado, Cayetana (Georgina Amorós) também retorna a Las Encinas, agora como auxiliar de limpeza, tendo rejeitado a oferta da mãe de Polo de arcar com os custos de seus estudos.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros