Lançado durante o último semestre de 2021, Happiness é um drama sul-coreano do gênero thriller dirigido por Ahn Gil-Ho, com roteiro de Han Sang-Woon e possui no elenco nomes como Park Hyung-Sik, Han Hyo-joo e Joo Woo-jin. Foi exibido pela rede tvN e no Brasil pode ser visto no serviço de streaming Viki. 

Acompanhando uma realidade pós-pandemia, Happiness destaca um embate biológico e político após a Coreia do Sul ser vítima de uma epidemia que transforma as pessoas em zumbis com sede de sangue. Necessitando de um isolamento rápido e definitivo, Yoon Sae-bom e Jung Yi-hyung, dois policiais que se conheceram ainda adolescentes no Ensino Médio, ficam trancados em um condomínio fechado junto de outros moradores para se proteger da infestação que já dominou os demais prédios.

Contudo, a cobiça, o egoísmo e a falta de união dos moradores vai ser uma ameaça constante para o isolamento dos personagens e cada dia a mais de convivência é um momento mais próximo do total colapso nesse pequeno ecossistema frágil e sujeito a teimosia e a ignorância humana. 

Do lado de fora do condomínio, Han Tae-Seok, chefe militar da área de saúde, tenta manter as aparências públicas enquanto sua equipe procura por uma cura e caça os infectados que ameaçam a vida de outras pessoas. Em meio ao caos da situação de vida e morte em que se encontram, Yoon Sae-bom e Jung Yi-hyun vão aprender a confiar, cuidar e a demonstrar sentimentos um ao outro que sempre estiveram escondidos desde a época em que os dois eram jovens. 

Abordando uma trama tensa, recheada de verossimilhança com a situação da pandemia e com personagens principais que precisam lidar com as enormes diferenças de pensamento com os demais personagens secundários, Happiness deixa no ar uma pergunta primordial desde o começo: a infecção é mesmo o pior inimigo para a sobrevivência das pessoas do prédio? Ou estar trancado com pessoas tão imersas em seus próprios egoísmos e ambições pode ser mais perigoso do que a sede de sangue dos infectados? 


Em 12 episódios, Happiness apresenta uma trama tensa, imersa em suspense e muito bem definida pelo brilhante roteiro que destacam com exímia habilidade os personagens que estão em isolamento dentro do condomínio. Yoon Sae-bom é de longe uma das melhores personagens femininas dos k-dramas de 2021: extrovertida, amorosa e uma amiga leal de todos que ela vê que precisam ser protegidos, a personagem não precisa ser uma caricatura da “personagem feminina forte” para ser exatamente isso! Corajosa, uma policial exemplar e que sabe colocar ordem quando outras pessoas tentam impor seu poder financeiro ou político acima das vidas humanas, Sae-bom é uma personagem apaixonante e a atuação de Han Hyo-joo só deixa sua protagonista ainda mais real e admirável. 

Ao lado de Jung Yi-hyun, detetive que tem uma queda por Sae-bom desde a época da escola, os dois formam uma dupla imbatível e encantadora: protetores, amigos antes de amantes e perfeitos arquétipos dos heróis que não hesitam em fazer o possível e impossível para proteger até quem talvez não mereça ajuda, a dinâmica dos dois é o que recheia os episódios de Happiness de bons e emocionantes momentos e por mais que toda a concentração do drama seja no aspecto do thriller, o romance lento fornece o fechamento certo para tornar a história dos personagens algo ainda mais especial. Yi-hyun também é por si um personagem incrível, que não desiste fácil e que se sacrifica ao máximo por aqueles que ele ama, seja Sae-bom, seja seus amigos ou os indefesos. 

É em meio a esses dois brilhantes protagonistas que temos o núcleo secundário mais recheado de personagens difíceis por metro quadrado: os demais moradores do prédio rendem dores de cabeça tão reais que é impossível não associar com uma crítica em relação a própria pandemia da vida real. É até um pouco estranho pensar que situações ficcionais que anos atrás seriam interpretadas como inverossímeis, hoje, após tudo que aconteceu no mundo desde 2020, são perfeitamente associadas com situações reais, pois agora é impossível negar que mesmo nas situações de maior exposição a um risco de vida que poderia ser evitado com isolamento e um pacto social coletivo de cuidado, ainda assim há pessoas que vão desafiar e expor a si mesma e as demais a um risco completo apenas por ignorância, egoísmo e ambição própria. 

É isso que os personagens secundários caracterizam: o rompimento do pacto social que expõe todo mundo a um risco de vida. Temos assim uma síndica que não aceita as ordens de restrição e isolamento porque tira dela o controle administrativo do prédio, um médico que matou a própria esposa tentando de tudo para se livrar daqueles que sabem sobre seu crime, mesmo que isso exponha todo mundo a morte certa, um religioso que sabe que foi infectado, mas que esconde isso e ainda tenta lucrar com o medo e o desespero dos demais, um advogado que trai a esposa e só pensa em como obter o maior lucro possível, um jovem adulto filho de pais já idosos que está mais preocupado em bombar na internet e descuida da própria segurança e da segurança dos demais.

Todos personagens perfeitamente relacionáveis com a realidade e que fomentam a trama de momentos de tensão e suspense. É a ambição e o egoísmo desses personagens que condena a dinâmica do isolamento e força os protagonistas a tentarem medidas desesperadas de sobrevivência e proteção

Ao lado dos personagens “problema”, temos também tramas emocionais muito verossímeis que fornecem um lado humano um pouco mais esperançoso e emocional de um modo positivo: uma criança que ficou isolada sem os pais e que é então cuidada pelos nossos protagonistas, um irmão mais velho que tinha um relacionamento ruim com a irmã, mas que após o isolamento passa a entendê-la melhor e só deseja voltar para casa e rever seus filhos, uma dona de casa que vê o quão falha é a sua relação com o marido e precisa decidir entre manter tudo como está ou desafiar esse relacionamento para salvar aqueles que ela sabe que estão do lado certo.

Há personagens infectados também que demonstram o sofrimento de se tornar alguém que representa um risco aos demais e também a emoção da perda quando alguém que você ama fica nessas condições. O personagem do tenente militar, principal foco do núcleo externo ao prédio é um que destaca bastante isso, pois todas as suas ações, mesmo as mais incompreensíveis de primeira, são em prol de salvar sua esposa, que foi uma das primeiras infectadas. É nesse personagem que vemos a corrida em busca da cura e que enlaça a trama dele com o final da narrativa. 

Repleto de cenas de ação, combates e momentos de suspense muito bem dirigidos e atuados, Happiness é um drama curto, dinâmico e com personagens pelos quais torcemos do começo até o final. É a recomendação perfeita para quem gosta de tramas de ação e histórias que abordam períodos ligeiramente caóticos. 

HAPINESS

Diretor: Ahn Gil-Ho

Elenco: Park Hyung-Sik, Han Hyo Joo, Joo Woo-jin

Ano de lançamento: 2021

Em Happiness, Yoon Sae Bom (Han Hyo Joo) é uma policial que acabou de se mudar para o novo apartamento com seu amigo de longa data, o detetive Jung Yi Hyun (Park Hyung Sik). Sae Bom aguardava ansiosamente a mudança, no entanto, algo estranho começa a se espalhar entre os moradores do condomínio. Devido a doença misteriosa, altamente contagiosa, uma aura de terror e mistério cai sobre a cidade, fazendo com que os moradores sejam forçados a se isolar do resto do mundo. Agora, eles precisam ajudar uns aos outros a sobreviver no que parece ser o apocalipse.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros