Se passando na Idade Média, Os Pilares da Terra é um sucesso de Ken Follett. Foi publicado aqui no Brasil pela editora Rocco em 2012 e pela Arqueiro em formato digital em 2016.

Sobre o Livro

Ocorrendo no século XII, um século conturbado por guerras, política, religião e violência, Tom, o Construtor, é um típico homem à procura de emprego para sustentar sua esposa grávida e seus dois filhos. Engenhoso com obras, Tom se vê preocupado com a vinda das estações mais rigorosas, a escassez de comida e a ausência de um trabalho para prover sua família. Porém, sua vida tende a mudar quando ele conhece a cidade de Kingsbridge.

Nesta cidade, uma grandiosa catedral está para ser erguida, porém muitos conflitos estão ao seu redor. Enquanto uns tendem a atrasar a obra por interesse e perversidade, outros lutarão para que ela seja a mais magnífica e bela de toda a Inglaterra. É neste momento em que uma grande guerra política se inicia em um mundo devastado por conflitos regionais entre o clero e a realeza.

– Amaldiçoo vocês com a doença e o infortúnio, com a fome e a dor; sua casa será consumida pelo fogo, e seus filhos morrerão na forca; seus inimigos prosperarão, e vocês envelhecerão na tristeza e no remorso, e morrerão na podridão e na agonia…”

Enquanto que Tom luta para sua sobrevivência e a da sua família, novos personagens vão ao seu encontro tornando sua vida mais complicada ou mais simples. Ele precisará de sorte para enfrentar a conturbada e obscura era da nossa história.

Minha Opinião

Sendo o meu primeiro livro lido de Ken Follett, a ideia de uma história se envolvendo principalmente em torno da construção de uma catedral me chamou muita atenção. Essa ideia de mostrar como a política, os interesses de poderosos e a as más intenções de uns podem moldar a construção de um edifício. Desde que li a sinopse deste livro associei essa ideia com o Brasil de hoje marcado por corrupções e superfaturamento de obras públicas, principalmente as ocorridas momentos antes das Olimpíadas e da Copa do Mundo.

E o autor não só atingiu minhas expectativas como me surpreendeu. A história se inicia de uma forma tão mágica para nos inserir no contexto da Idade Média. Começa de um jeito que você sempre quer que um romance histórico deveria começar. E suas mais de 900 páginas não deixa a desejar, por ser uma leitura pouco complexa e surpreendente como uma grande novela com diversos personagens e personalidades.

– Vai ser castigada indo para o inferno – disse.
– Não acredito em inferno.”

Ler sobre a trama em torno de uma catedral me fez compreender como a política se constrói a partir de interesses sendo eles bons ou ruins. E, as vezes, algo que julgamos ser bom na verdade pode ter sido construído pela corrupção e pela má fé.

Ken Follett nunca abandona seu grande elenco de personagens com personalidades únicas: desde feministas e pessoas bem intencionadas, até os mais perversos e violentos. Este é o caso em que mais acompanhamos Aliena e sua personalidade contra William e sua perversão.

– Pague primeiro e depois me mate – disse imprudentemente. – Pode vir a ser enforcado ou não; mas morrerá, mais cedo ou mais tarde, e aí estarei no céu quando for para o inferno.”

Esse livro é o primeiro de uma sequência de três sendo que o segundo é Mundo Sem Fim onde se passa 200 anos depois dos acontecimentos em Os Pilares da Terra e o terceiro é Coluna de Fogo com dois séculos de história depois do segundo livro dessa sequência. Além disso o livro conta com uma adaptação para série na telona.

Um livro como esse é uma longa história e um prato cheio para todo o leitor que se interessa pela Idade Média. Para quem gostou das intrigas da série As Crônicas de Gelo e Fogo de George R. R. Martin, é difícil não se encantar com Os Pilares da Terra. Ambas obras tendem a nos mostrar a tamanha crueldade que poucos podem fazer com muitos.

​OS PILARES DA TERRA

Autor: Ken Follett

Tradução: Paulo Azevedo

Editora: Rocco

Ano de publicação: 2012

Neste livro, o autor procura traçar o painel de um tempo varrido por conspirações, jogos intrincados de poder, violência e surgimento de uma nova ordem social e cultural, buscando captar simultaneamente o que acontece nos castelos, feiras, florestas e igrejas. Philip, prior de Kingsbridge, luta contra tudo e todos para construir um templo grandioso a Deus. A galeria de personagens gravitando em torno da catedral inclui Aliena, a bela herdeira banida de suas terras, Jack, seu amante, Tom, o construtor, William o cavaleiro boçal, e Waleran, o bispo capaz de tudo para pavimentar seu caminho até o lugar do Papa, em Roma. Como painel de fundo, uma Inglaterra sacudida por lutas entre os sucessores prováveis ao trono que Henrique I deixou sem descendentes.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros