Atenção!

O filme pode conter cenas de violência e temáticas relacionadas a saúde mental, não recomendado a pessoas sensíveis aos temas.

Todos temos dias em que queremos sentar na frente da televisão (ou tablet, ou notebook) e assistir um bom filme de suspense. Um filme daqueles que te prende simplesmente do começo ao fim e te deixe fissurado na história, nas viradas e em todos os acontecimentos que vão se interligando e tirando seu fôlego aos poucos.  

O Recepcionista é um desses filmes, onde o diretor e roteirista Michael Cristofer (Duro de Matar) que juntamente com a Netflix apresentou para nós no ano de 2020, um elenco (com alguns rostos conhecidos) muito bom e uma história eletrizante que realmente nos marca e por muito tempo, ecoou na minha cabeça e me fez ficar pensando sobre. 

Na história acompanhamos Bart(Tye Sheridan), um rapaz que possui vinte e três anos e no momento está muito feliz em trabalhar como recepcionista noturno em um pequeno hotel em uma cidade do interior dos EUA. Mas, o que praticamente ninguém sabe nessa cidadezinha, onde todos se conhecem, é que esse “aparentemente inofensivo” rapaz possui um grande segredo: ele grava TUDO o que acontece no hotel, nos quartos, no saguão, na área externa, tudo em tempo real.  

O que pra muitos poderiam ser considerado um comportamento de um perseguidor, um stalker ou no mínimo um pervertido, Bart justifica ao público que o uso dessas imagens, na realidade são para ele “um treinamento”. Um treinamento de fala e interações humanas, pois Bart pertencente a uma parcela da sociedade que possui o Transtorno do Espectro Autista (Asperger no caso), que por ter limitações nessa área necessita dessa ajuda.

 Aparentemente tudo estava bem na vida do rapaz, ele trabalhava durante a noite, ninguém sabe do seu segredo de filmar as interações humanas do hotel, passava o dia em seu porão ouvindo e reproduzindo os diálogos que havia filmado, mas, tudo isso muda quando ele vê algo da qual não deveria e acaba sob a mira de uma investigação guiada pelo detetive Espada (John Leguizamo), que desconfia que ele sabe demais.  

A partir daí, Michael Cristofer nos guia em uma corrida para desvendar o que verdadeiramente Bart viu, quem está certo ou errado nessa história, em que momento Bart vai ser exposto e como. E é tão cheio de reviravoltas que quando você acha que entendeu, na verdade você ainda não faz a mínima ideia do que está acontecendo. 

O que realmente me chamou muito a atenção nesse filme é o quão não convencional a história se mostra a nós. O que poderia facilmente cair em um estereotipo já esperado em histórias que apresentam personagens com transtornos mentais, em O Recepcionista, vemos o personagem, mesmo que dentro das suas limitações (limitações essas que também são mostradas ao espectador), guiando sua história com autonomia e maestria que realmente me surpreenderam.

A história no início conduz a história muito lentamente, propositalmente para que entremos na rotina do personagem e a ótica do mesmo sobre sua realidade, sobre seu dia a dia. São poucos os lugares que conhecemos, poucos personagens apresentados, mas isso é justamente a realidade total da vida do Bart.    

Esse é o tipo de suspense que não está acontecendo tudo ao mesmo tempo, mas que possui momentos chaves que as reviravoltas são de explodir nossas cabeças. Significa para nós telespectadores que mesmo o baixo investimento no orçamento com localidade e figurino, foi revertido em um alto investimento no roteiro, elenco que tem Ana de Armas (Entre Facas e Segredos), Helen Hunt (Do Que as Mulheres Gostam), John Legizamo (A Era do Gelo) e na trilha sonora, que juntos transformam a história no “algo a mais” que o público espera. E esse foi um dos maiores e melhores acertos desse filme.

Como todo bom suspense, O Recepcionista é um daqueles filmes que se falar demais, entrega todas as tramas. Mas, eu garanto para você que se você ter uma chance para o mesmo não se arrependera. Nele você encontrara uma história bem construída assim como nas de Harlan Coben ou Agatha Christie, como uma resolução de deixar seu queixo caído.  

Por isso não perca tempo e corra pra Netflix, pois você não irá se arrepender.  

O RECEPCIONISTA

Diretor: Michael Cristofer

Elenco: Tye Sheridan, Ana de Armas , Helen Hunt, John Legizamo e etc

Ano de lançamento: 2021

Um funcionário de hotel vira o principal suspeito quando uma mulher é assassinada no seu turno. Ele faz uma conexão pessoal com um hóspede durante a investigação, mas logo percebe que deve parar o assassino antes que ela se torne a próxima vítima.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros