O Que Restou de Mim é o primeiro livro da trilogia As Crônicas Híbridas da autora Kat Zhang e foi publicado aqui no Brasil pela Galera Record em 2014.

Sobre o Livro

Eva e Addie nasceram no mesmo corpo, duas almas dividindo o mesmo espaço como todas as outras crianças. Porém a maioria delas naturalmente se definem, ou seja, a alma recessiva deixa de existir e apenas a alma dominante permanece no controle. Mas Eva e Addie nunca se definiram por completo, apenas Eva perdeu todo o controle do corpo e passou a existir apenas no interior e isso passa a ser o segredo das duas irmãs, pois são o que chamam de Híbridos e isso não deveria acontecer, pois o hibiridismo é uma doença que deve ser tratada o mais rápido possível.

Addie e eu nascemos dentro do mesmo corpo, os dedos fantasmagóricos de nossas almas entrelaçados antes de inspirarmos o ar pela primeira vez. Os primeiros anos que passamos juntas foram também os mais felizes. Depois vieram as preocupações, as rugas de tensão em torno da boca de nossos pais, os olhares de censura de nossos professores do jardim de infância, a pergunta que todos sussurravam quando achavam que não estávamos escutando.”

Eva e Addie fazem de tudo na escola para não demostrar que não conseguiram se definir, e estavam conseguindo passar despercebidas, porém Hally, uma colega que também é híbrida, descobre e diz que pode ajudar com que Eva possa voltar a ter acesso ao corpo. De início Addie recusa com medo de ser descoberta por outras pessoas, mas depois acaba criando uma amizade, entretanto, essa oportunidade que Eva tinha de ter liberdade desaparece, pois um dia Hally some e o segredo delas pode estar em risco.


Minha Opinião

Como um fã louco por distopia, quando me deparei com esse livro não pensei duas vezes que queria ler, porém logo em seguida que comprei descobri que o último livro tem grandes chances de não chegar no Brasil. Fiquei desanimado em ler, mas mesmo assim resolvi que leria, e nisso descobri uma das minhas melhores leituras do ano.

A história nos é contada em primeira pessoa, no ponto de vista da personagem Eva, a alma recessiva e isso é uma das cerejas da história, a autora consegue nos mostrar toda a angústia que ela passa em ser apenas uma consciência à mais. A narrativa é bem fluída e leve o que me prendeu durante horas e me fez amar o universo da autora, que é extremamente único, o que não se pode dizer dos desfechos, mas isso não me incomoda muito.

Eva é sem dúvida a melhor personagem, ela toma a cena mesmo sendo só uma consciência presa no corpo comandando por sua irmã. A interação que ela tem com sua irmã Addie é muito legal, vemos que mesmo com as dificuldades elas se apoiam, uma não quer ser melhor que a outra, hora ou outra pode ter alguns desentendimentos entre elas, porém logo é resolvido. Algo bacana também presente aqui é a representatividade de pessoas negras, pois temos dois personagens super importantes na trama que estão ali, personagens esses que faz a trama girar.

Quem já leu distopias não vai achar muito surpreendente o enredo, porque vai seguir a mesma coisa de jogos vorazes, Divergente e outras, mas o carisma de cada personagem faz você amar aquilo, mesmo sendo mais do mesmo. Os vilões da história não são odiáveis como eu julgo que deveriam ser e isso fica sendo o ponto negativo, falta neles “maldade” e a consequência dessa falta de maldade é que o peso das ações não causam impacto no leitor.

Quero ressaltar a beleza da capa, ela me chamou atenção desde quando vi, a diagramação não é muito bonita, dá a impressão que o texto foi espremido para que pudesse caber nas páginas.

A indicação vai para amantes de distopias! Algumas cenas dele me lembrou The Promised Neverland, então a indicação também vai para quem curte essa obra.

O QUE RESTOU DE MIM

Autor: Kat Zhang

Tradução: Joana Faro

Editora: Galera Record

Ano de publicação: 2014

UMA HISTÓRIA ORIGINAL SOBRE A BUSCA DA IDENTIDADE Eva e Addie nasceram como todas as outras crianças: duas almas entrelaçadas no mesmo corpo. À medida que cresciam, começavam os olhares de censura e os questionamentos: Por que elas não estão se definindo? Definindo. Todo ser humano se define ainda na infância, o que significa que a alma recessiva deve partir para que a dominante possa ter uma vida normal. Mas isso nunca acontecia e Eva, a alma recessiva, continuava lá… escondida no próprio corpo. Eva e Addie eram híbridas. Considerados instáveis e perigosos, os híbridos foram perseguidos e eliminados das Américas. Por isso, Addie e Eva vivem da forma mais discreta possível. Mas Eva descobre que há uma chance de voltar a andar, falar e sorrir por conta própria, e agora está disposta a tudo para conseguir isso. O problema é que não estará arriscando apenas a própria vida. Afinal, ela nunca está sozinha. • O que restou de mim é o primeiro livro publicado por Kat Zhang. • “O conceito da autora é original e provocativo” – Publishers Weekly • “Um intrigante retrato de relacionamentos entre irmãos e de seus desafios ao aprender a viver como indivíduos distintos, embora juntos fisicamente” – Booklist

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros