Fullmetal Alchemist | vol. 1 e 2 – Hiromu Arakawa

Fullmetal Alchemist é um mangá escrito e ilustrado por Hiromu Arakawa. Ele começou a ser publicado em 2001 e teve sua conclusão em 2010. A história, composta por 108 capítulos individuais, foi compilada em 27 volumes. Quando a JBC a trouxe para o Brasil pela primeira vez em 2007, publicou em um formato meio-tanko, tendo assim 54 volumes.

Agora, quase 10 anos depois de sua estreia por aqui a editora resolveu republicar os mangás em sua versão original de 27 volumes com edições bi mensais. Como algumas pessoas já tinham me indicado essa história, resolvi experimentar e adquiri os dois primeiros durante a Bienal, já que não havia encontrado em Porto Alegre para comprar.

A primeira coisa que digo é que acertei bastante em ter comprado os dois juntos e tê-los lidos em sequência também. Como não sou acostumada a ler e estava basicamente fazendo uma de minhas primeiras tentativas com uma série real que eu poderia querer continuar, tudo foi uma novidade. Minha afinidade com esse formato de narrativa é nula e tive bastante dificuldade de concentração entre texto e imagem. O que acabou funcionando pra mim foi ler todo o texto da página e depois analisar as imagens em sequência pra conectar o que eu havia lido com o que estava ilustrado. Além disso há claro a falta de prática de ler as coisas ao contrário.

Caso você não saiba, mangás devem ser lidos de trás pra frente, começando do lado do fim. Assim como a orientação de leitura também se mantém a oriental, ao invés de lermos da esquerda para a direita em “Z”, lemos da direita para a esquerda, de forma invertida. Portanto, toda essa novidade acabou me deixando um pouco dispersa e demorei para descobrir a forma que daria mais certo pra mim.

fullmetalalchemist_hero_vf1

SOBRE O QUE É A HISTÓRIA?

Após uma tentativa falha de ressuscitar a mãe, os irmão alquimistas Edward e Alphonse Elric sofrem uma grande perda. Na tentativa vã de fazer uma transmutação humana, Ed perde sua perda esquerda e vê o irmão perder o corpo todo. Para tentar consertar um pouco das coisas, Ed cede seu braço direito para unir a alma de Alphonse a uma armadura para que ele não desapareça por completo. Como alquimistas eles precisam de matéria para trabalhar e é por esse sacrifício que Edward perde também o braço.

Porém, nenhuma dessas práticas são coisas permitidas a qualquer alquimista e logo eles são abordados pelos militares para se juntarem a eles com uma proposta. Ed terá um braço e um perna mecânica implantada e, como um Alquimista Federal, recursos ao seu dispor, bem como a oportunidade de pesquisar e viajar atrás de alguém capaz de lhe devolver os membros reais e dar um verdadeiro corpo ao irmão, que agora “vive” na armadura.

Para que isso seja possível eles passam a procurar uma Pedra Filosofal, e nessa jornada cruzarão caminhos com outras pessoas interessadas na mesma coisa que podem lhes causar problemas.

Minha Opinião

maxresdefault

Confesso que ao terminar o primeiro volume ainda não tinha captado a real visão de pra onde a história iria caminhar e achei tudo um pouco bobo, me desmotivando um pouco. Porém, como mencionei, fui ler o segundo volume logo na sequência e essa foi uma ótima decisão e a qual eu recomendo a todo mundo que for ler Fullmetal Alchemist pela primeira vez e, assim como eu, não seja familiarizado com o formato ou a história.

A partir do primeiro capítulo do segundo volume já é possível ver que o tom da história mudou bastante e me causou até um certo choque por algo que acontece logo de cara. Fiquei imaginando o que iria acontecer para “consertar”e deixar tudo normal novamente, entretanto isso não veio e me dei por conta que tinha feito um primeiro julgamento precipitado da história. Os arcos iniciais, que no primeiro volume parecem avulsos, acabam por se conectar com o que é exposto na segunda parte, revelando uma história bem mais complexa por trás, se apresentando mais séria, bem trabalhada e um pouco violenta.

Ver essa evolução e enxergar as coisas se conectando foi o que fez com que eu verdadeiramente quisesse continuar a acompanhar Fullmetal Alchemist, por mais que a história tenha elementos fantásticos, que se relaciona com meu gênero literário favorito, até eu encontrar essa maior profundidade da trama ainda não havia me conectado o suficiente para querer seguir em frente. Mas o problema foi resolvido e não vejo a hora de ter o terceiro volume em mãos.

Ed é um jovem adolescente ainda, mas como o Alquimista de Aço, já tem uma fama que o precede. Ele tem um humor mais sombrio, é sério e explode com mais facilidade, gerando cenas cômicas onde retruca os personagens ou acaba por passar por maus bocados. Já Alphonse é mais tranquilo e bem humorado e está sempre pedindo paciência ao irmão. Logo que são vistos, é ele sempre com quem confundem o irmão, já que anda com a armadura e ela acaba remetendo ao codinome dado a Ed. Isso e várias outras interações dos dois geram algumas risadas ao leitor, o que é sempre algo muito bacana e ajuda a quebrar a tensão da história.

Ao fim do segundo volume eu já estava bem mais envolvida e devorando as páginas. Ver que há uma grande história por trás do que está na superfície e aos poucos também ir aprendendo como as regras desse mundo funcionam foi bem interessante. A cada novo arco novas informações e personagens são acrescentado à história e vamos começando a nos situar melhor sobre quem é importante, quem está de passagem e quem ficará na história por mais tempo, tendo também importância ao lado dos protagonistas.

Tendo em vista tudo isso, acredito que minha primeira experiência séria com mangás acabou sendo bem positiva. Me fascinei pela história e estou bem ansiosa por continuar acompanhando a jornada dos irmãos Elric em sua busca por serem completos novamente. A empolgação do pessoal que já leu e estava indicando também ajudou um pouco eu dar uma chance logo e, apesar da dificuldade inicial, rendeu um bom começo e a oportunidade de, além de desbravar uma nova forma de leitura, também conhecer essa excelente história.

captura-de-tela-2016-09-10-as-01-41-56

Fullmetal Alchemist, obra máxima de Hiromu Arakawa, está de volta em uma Edição Especial de Colecionador! Edward e Alphonse Elric são jovens alquimistas que estão em busca da lendária Pedra Filosofal para recuperarem os seus corpos. Ouvindo rumores sobre ela, os irmãos Elric vão para uma cidade profundamente devota ao seu Deus e àquele que divulga sua fé, o Pai Cornello. Este religioso tem praticado atos milagrosos que mais se parecem com transmutações alquímicas, e investigando a origem de tais milagres eles conhecem Rose, uma garota que busca na religião a esperança de rever seu amado. A jornada dos irmãos Elric que desafiará os limites da fé e da ciência começa aqui!

 

É a criadora e autora do Resenhando Sonhos.
Gaúcha do interior do Rio Grande do Sul, hoje mora na capital Porto Alegre e quer conhecer o mundo.
Publicitária por formação, sonhadora por opção. É mal humorada e chata.