A Ascensão dos Nove é o terceiro livro da série Os Legados de Lorien escrito por Pittacus Lore e publicado aqui no Brasil pela editora Intrínseca em 2012.

Sobre o Livro

No final do livro O Poder dos Seis é revelado que a jovem e Ella é A Número Dez, uma surpresa para todos os membros da Garde, e agora junto com Seis que foi até a Espanha para ajuda-la, e Marina elas enfrentarão uma emboscada tramada pelos Mogs, para matar a Número Sete. Esse confronto acarretou na morte de Adelina, Cêpan de Marina, como também destruiu boa parte do convento. Com a ajuda de Crayton, Cêpan de Ella, o grupo acaba deixando a Espanha rumo a Índia, onde segundo boatos tem um garoto fazendo milagre e se intitulando Vishnu, e agora eles acreditam que possa ser um deles, porém tem grandes chances de ser uma armadilha, mas é um risco preciso, pois o tempo está esgotando e os sobreviventes precisam se reunir. Será que realmente um membro da Garde está na Índia? E qual número será ele?

“O Número Um foi capturado na Malásia. O Número Dois, na Inglaterra. E o Número Três, no Quênia. Fui capturada em Nova York, mas escapei. Eu sou a Número Seis. Eles querem terminar o que começaram. Mas, antes, terão que lutar.”

Paralelamente, nos Estados Unidos, Jhon encontra-se com o Número Nove em um local nada provável e consequentemente se perde de Sam. No final de O Poder dos Seis, Jhon e Sam tentaram recuperar a arca lorica do Número Quatro invadindo a base dos mogadorianos, mas essa invasão acabou não sendo algo tão bem sucedido, pois Sam acabou sendo pego pelos mogs após descobrir que seu pai, há muito desaparecido, esta vivo e preso dentro da base.

Agora, Jhon e Nove terão que aprender a conviver juntos, pois a divergência entre eles são grandes. Enquanto o Número Quatro quer salvar Sam a qualquer custo e enfrentar sozinho Setrákus Ra, o grande líder mogadoriano, o Número Nove quer se reunir com os outros, e ai sim, enfrentar seu maior inimigo. Entretanto, não são apenas os mogs que eles precisam temer, pois outros perigos estão a espreita.


Minha Opinião

Mais um livro dessa série que releio e apesar de achar ele um pouco fraco comparado aos outros e ter gostado mais da primeira leitura, ainda consigo apreciar a trajetória do livro.

Nesse terceiro volume teremos três pontos de vista. O primeiro deles é o da Número Seis, vai ser a primeira vez que teremos essa percepção da personagem que é uma das que mais gosto, e essas narrativas fizeram com que eu me aproximasse mais dela e entender seus medos, seus pontos fortes e suas convicções. O segundo ponto de vista é o de Marina que no meu ver acaba sendo um pouco desnecessário por ela e Seis estarem no mesmo ambiente. A terceira percepção é a de John, que continua sendo a mais reveladora em questão de enredo e acaba tendo um destaque maior, é devido as deduções do Número Quatro que vamos conhecer um pouco sobre o Número Nove.

“Fico feliz por ela estar aqui. Depois que os Números Um, Dois e Três morreram, restaram apenas seis de nós. Com Ella, agora somos sete. O número da sorte, se você acredita em superstição. Mas eu não acredito. Acredito em força.”

John continua sendo um personagem não tão carismático, continua achando que tudo é sobre ele e que todas as suas escolhas são as mais certas e mais precisas, e é aí que o Número Nove entra para ser um contraponto ao seu ego. Nove nesse livro acaba se mostrando um personagem muito bom, ele tem carisma, é uma pessoa boa, é alguém que já fez muita burradas e aprendeu com os erros e agora pensa antes de agir de fato, porém, também tem seus deslizes e as vezes demostra ser um personagem falho e por ser muito brincalhão em situações sérias se torna irritante.

Aqui vamos ter uma imersão maior sobre Setrákus Ra e o quão forte ele é, demonstrando assim que a Garde de Lorien ainda não está realmente preparada para o enfrentá-lo e muito menos matá-lo. A Ascensão dos Nove é mais frenético que o primeiro e o segundo livro, vemos muitas cenas de ação, que eu ficava até sem respirar de tanta empolgarão, o livro nunca é parado, sempre tem muita movimentação e acaba deixando o lado mais sentimental, como o romance de John e Sarah de lado.

“- É tarde demais – sussuro con toda a minha coragem. – Estamos fortes demais agora estamos vindo pegar você. Lorien vai viver outra vez, e nós vamos derrotar você.”

Vemos também bastante representatividade feminina com Seis, que pra mim é uma das personagens mais fortes dentro da história e acaba sendo adorada por todos. Marina não é tão forte como Seis em combate, tanto por falta de prática como por seus legados serem mais de suporte, porém ela consegue representar na determinação, coragem e com o auxílio que só ela dentre todos pode fazer. Também temos introdução de um personagem de negro no núcleo principal e isso é muito relevante.

Se você, assim como eu, ama livros de ficção cientifica com muita ação e personagens fortes, não pode deixar de conhecer essa série que se inicia no livro Eu Sou o Número Quatro.

A ASCENSÃO DOS NOVE

Autor: Pittacus Lore

Tradução: Débora Isidoro

Editora: Intrínseca

Ano de publicação: 2012

Antes de encontrar John Smith, o Número Quatro, Número Seis estava sozinha, lutando e se escondendo para continuar viva. Juntos, eles eram bastante poderosos. Mas precisaram se separar para localizar os demais lorienos sobreviventes. Seis foi até a Espanha em busca da Número Sete e encontrou mais do que esperava: um décimo membro da Garde, que conseguiu escapar de Lorien. Ella é mais jovem que os outros, mas igualmente corajosa. Juntas, elas partem em uma jornada pela Índia, movidas por boatos que talvez as levem a outro Garde. Ao mesmo tempo, Quatro e Nove ainda se recuperam da fuga da caverna dos mogadorianos, em West Virginia, e travam uma briga particular: John se culpa por ter abandonado seu melhor amigo, o humano Sam Goode, e Nove menospreza a lealdade de John e o acusa de não se dedicar ao que deveria ser o principal propósito deles: destruir Setrákus Ra e vencer a guerra contra os mogs.

Relacionados

Destaques

Insta
gram

Parceiros